18.6 C
Uberlândia
segunda-feira, maio 27, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesCafé de Caldas (MG) é o campeão do Especialíssimo 2023

Café de Caldas (MG) é o campeão do Especialíssimo 2023

Edenilson Aparecido de Carvalho colheu o melhor café especial produzido na área de atuação da Cooxupé nesta safra

O Programa Especialíssimo da Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé e da SMC Specialty Coffees revelou que o melhor café especial colhido em 2023, na área de atuação da Cooxupé, vem de Caldas, cidade do sul mineiro. Ao obter a nota 89,75, o cooperado Edenilson Aparecido de Carvalho foi o campeão no Programa deste ano. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 03 de novembro, em Guaxupé (MG).

Cooperada Dulce Vieira Franco de Souza e o head judge do Especialíssimo, professor Flávio Borém

No total, o Especialíssimo distribuiu R$ 330 mil em premiação aos cooperados. O lote de café campeão ficou com o valor de R$ 50 mil.

Emocionado, o cooperado Edenilson, que integra o Núcleo de Campestre da Cooxupé, explica a chave do sucesso para produzir um café de altíssima qualidade. “O segredo é o grande amor que eu e minha família temos pelo café. Isso é um sonho de criança. Recebendo o apoio técnico da Cooxupé e da SMC, comecei a colher café especial a partir de 2017. Meu café esteve dentre os 50 em todas as edições do Especialíssimo. Não estava esperando esta vitória. Eu sei que tenho um café bom, mas saber que é o melhor é muita emoção. São necessários muitos cuidados especiais para obter um café de qualidade e de alta pontuação”, afirma o cooperado campeão.

Segundo e terceiro colocados

O café especial produzido pelo cooperado Adriano Muniz foi o vice-campeão de 2023, com a nota 89,68. Na edição de 2022, o produtor esteve entre os cinco primeiros. De Cabo Verde (MG), ele afirma que para obter uma qualidade ainda mais especial, do ano passado para cá, e chegar à segunda colocação foi preciso contar com a ajuda de recursos tecnológicos. “Tudo isso confirma a importância da tecnologia, que está sempre mudando, pois são muitas coisas diferentes no processo de secagem, no terreiro e nas fermentações. E quando acontece um resultado desse confirma que estamos na linha correta. Meu objetivo é elevar ainda mais a pontuação do meu café”, disse Muniz. A premiação dele foi de R$ 30 mil.

Já com a nota 88,50, o café da cooperada de Campestre (MG), Dulce Vieira Franco de Souza, conquistou a terceira colocação e, assim, recebeu o prêmio de R$ 20 mil. Ela conta que a preocupação maior foi corrigir os erros ao buscar orientação técnica na Cooxupé e, assim, alcançou a qualidade esperada. “Estou muito contente por estar entre os 50. Este café premiado é exótico e é um café que dá força. Nós temos uma propriedade relativamente pequena e temos uma estrutura só, terreiro, tudo junto. Sempre tentamos caprichar e fiquei impressionada com a pontuação”, contou a produtora.


Avaliações

Todos os 50 lotes selecionados pelo Especialíssimo passaram por avaliação de um time composto por 12 Q-graders, profissionais licenciados com vasto conhecimento em classificação e degustação de cafés. A equipe foi liderada por Flávio Borém, head judge do Programa, docente da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e pesquisador especialista em cafés especiais.

“O ranking é feito de acordo com as notas de cada café, seguindo o protocolo SCA (Associação de Cafés Especiais – Global). Assim, a nota é uma representação dos atributos técnicos e sensoriais. Ou seja, características como o nível de doçura, o tipo de acidez, o tempo de permanência dos sabores na boca, todas de suma importância para a classificação de um café especial. Neste sentido, todo detalhe importa e foi levado em consideração no momento da avaliação”, explica Osvaldo Bachião Filho, vice-presidente da Cooxupé.

Mercados brasileiro e internacional

Absorvidos rapidamente pelo mercado, os lotes premiados pelo Especialíssimo são comercializados a compradores de países como Brasil, Japão, Inglaterra, Estados Unidos, Irlanda, Itália, Grécia, Austrália e Coreia do Sul.

“A cada edição do programa percebemos maior engajamento de nossos cooperados para produzir café de qualidade especial e, para isso, é preciso muita atenção em várias etapas, especialmente na de pós-colheita. Este tipo de café traz aos produtores mais competitividade e rentabilidade, uma vez que um lote de café especial é melhor remunerado em relação ao commodity. Além disso tudo, apresentamos aos compradores internacionais o quanto o Brasil é exemplo na produção cafeeira, garantindo ao mercado global um café com qualidade e sustentabilidade comprovadas”, destaca o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo.

Dentre as exigências estabelecidas pelo Especialíssimo consta que todos os lotes selecionados devem atender, no mínimo, ao requisito Nível 1 do Gerações, o protocolo próprio de sustentabilidade da Cooxupé implantado junto às famílias cooperadas desde o ano passado. O protocolo possui quatro níveis de sustentabilidade e é totalmente flexível de acordo com a realidade dos produtores, cuja maioria representa – em mais de 97% – a agricultura familiar, sendo mini e pequenos produtores.

Safra Especial 2023

Campeão Edenilson, acompanhado de sua esposa Silmara Fabiana Garcia de Carvalho e de sua filha Fabiana Garcia de Carvalho, junto com o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo

Ainda na cerimônia de premiação do Especialíssimo, a Torrefação da Cooxupé lançou o café Prima Qualità Safra Especial 2023 com edição limitada no varejo brasileiro. A cada ano, este produto é produzido a partir da seleção entre os lotes finalistas do Programa Especialíssimo. Com tipo de café 100% arábica, esta linha apresenta pontuação de nota 87,5; aroma frutado; corpo licoroso e notas sensoriais de cereja e caramelo.

O Safra Especial 2023 reúne microlotes finalistas do Programa Especialíssimo vindos dos cooperados Carlos Paulino de Sousa, de Lambari (MG); Ronaldo Reis Madeira, de Nova Resende (MG); e Adolfo Henrique Vieira Ferreira, de Monte Belo (MG).

Os 10 melhores lotes de cafés especiais da safra 2023 da Cooxupé selecionados pelo Programa Especialíssimo

1º) Edenilson Aparecido de Carvalho – cidade de Caldas, núcleo de Campestre.

2º) Adriano Muniz – cidade e núcleo de Cabo Verde.

3º) Dulce Vieira Franco de Souza – cidade e núcleo de Campestre.

4º) Weber Marcos Dias – cidade de Poços de Caldas, núcleo de Botelhos.

5º) Túlio Henrique Renno Junqueira – cidade de Heliodora, núcleo de Lambari.

6º) Carlos Paulino de Souza – cidade e núcleo de Lambari.

7º) Alex Sandro Cardoso – cidade de Bom Jesus da Penha, núcleo de Nova Resende.

8º) Thales Eduardo da Silva Carvalho – cidade de Caldas, núcleo de Campestre.

9º) Thiago Henrique Maringoli Muniz – cidade e núcleo de Cabo Verde.

10º) Marcelo Edinan Teixeira – cidade de Bandeira do Sul, núcleo de Campestre.

ARTIGOS RELACIONADOS

Controle da corda-de-viola em lavouras cafeeiras

Arthur Henrique Cruvinel Carneiro Técnico em Agricultura e Zootecnia, graduando em Agronomia na Universidade Federal de Lavras (UFLA), membro do Grupo de Estudos em Herbicidas,...

Tubetes – Ferramenta versátil para a cafeicultura

  Fernando Takayuki Nakayama Pesquisador científico APTA " Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Polo Regional da Alta Paulista, Adamantina (SP) fnakayama@apta.sp.gov.br A cafeicultura é, sem dúvida, uma...

Café tem a pior infestação de broca dos últimos anos

Os prejuízos causados pela broca-do-café são a queda prematura de frutos novos broqueados, perda de peso do café beneficiado e alteração na qualidade da...

Tramontina incentiva o reaproveitamento de materiais por meio da compostagem

  Trituradores e composteira são produtos da marca que auxiliam na tarefa   Quando o assunto é jardinagem e agricultura, trituradores são tópico importante na pauta....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!