21.2 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 19, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasCafé: uniformidade do grão

Café: uniformidade do grão

Estudo coordenado pelo Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM), apontou incremento de produtividade de 6,9 sacas ha-1 em plantas tratadas com soluções naturais durante as fases de pré e pós florada

Café – Crédito Alltech Crop Science

Impactada pela bienalidade negativa e também por más condições climáticas, a safra de café 2021 deve registrar uma redução de até 42,8% no volume total colhido – se comparado ao exercício anterior – segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Entre as alternativas para reduzir os impactos dessas e outras adversidades enfrentadas pelos produtores, estão os cuidados relacionados ao manejo nutricional no pré e pós florescimento. Isso porque a formação e o enchimento dos grãos impactam diretamente no rendimento do cultivo, assim como na qualidade final da bebida. 

Estudo coordenado pelo Centro Universitário de Patos de Minas (UNIPAM), em parceria com a Alltech Crop Science, apontou que o uso de soluções naturais à base de manganês, zinco e extratos vegetais, nas fases de pré e pós-florada, minimizou os efeitos do estresse fisiológico nas plantas. A pesquisa também mostrou melhor condição de desenvolvimento do cafeeiro, com uma maior retenção de frutos, e por final, um maior incremento de produtividade, ao nível de 6,9 sacas/ha de café beneficiado em relação às plantas que não receberam o tratamento.

Conforme explica o engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico especializado em HF e café da Alltech Crop Science, apesar dos cuidados serem essenciais durante todas as etapas da cultura, é durante a formação do fruto de café que se determina o rendimento e a uniformidade da colheita, o que impacta diretamente na produtividade dos cultivos e qualidade da bebida.

“Toda fase da cultura é muito importante para que aconteça a formação adequada do fruto e respectivamente do grão. Se a constituição dos componentes que irão dar origem ao grão acontece de forma adequada, seja na formação das suas células ou no acúmulo dos componentes que integram a sua morfologia, nós teremos ao final um benefício que o produtor sempre almeja, que é ter o grão mais uniforme e bem formado – o que reflete não apenas na produtividade, mas na qualidade da bebida do café”, explica.

Revoredo ressalta ainda que, mesmo atendendo todas as demandas e exigências nas fases seguintes, nos aspectos nutricional, hídrico e fitossanitário, é na fase de granação que acontecem as alterações morfológicas para a formação desse grão, exigindo que a planta esteja equilibrada nutricionalmente. Assim sendo, são muito importantes as adubações que foram feitas antes, como também a aplicação de micronutrientes como zinco e cobre, que fazem parte da manutenção da atividade fisiológica e fotossintética da folha, que é responsável pela geração de energia para formação dos tecidos. Já o manganês faz parte da formação dos grãos, então é um elemento muito demandado pela cultura, para que se tenha melhor retenção dos frutos no momento de granação, evitando sua queda em período de estresse fisiológico.

Experimento

O estudo coordenado pela UNIPAM foi realizado na Fazenda Catuaí, em Presidente Olegário (MG). Os produtos utilizados foram o Grain-Set, composto por micronutrientes como manganês e zinco e rico em extratos vegetais, que, quando aplicado na planta, auxilia no melhor direcionamento do fluxo de seiva, fazendo com que ela seja mais eficiente no transporte das suas reservas para a formação dos frutos e dos grãos. Também foi utilizado o Liqui-Plex Bonder, rico em aminoácidos e que tem como principal função de auxiliar na redução doestresse fisiológico da planta para que ela suporte as adversidades ambientais. Além desses, o Liqui-Plex Fruit, apesar de não ter sido utilizado no estudo, é outra solução natural indicada aos produtores pela Alltech Crop Science, para auxiliar na manutenção dos níveis nutricionais da planta, principalmente do zinco, do manganês e do boro nessa fase de formação dos frutos.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Espírito Santo: Clima interfere no resultado

Com a consolidação da safra 2019 de café no Estado, houve a confirmação da produção de aproximadamente 13,5 milhões de sacas, sendo cerca de 3 milhões de sacas com o café arábica e 10,5 milhões de sacas com o café conilon

Resultados de altas doses de gesso na formação e produção do cafeeiro

As altas doses de gesso são relativas, pois quem pretende fazer perfil de solo tem que entender o solo na vertical, ou seja, pelo menos a um metro de profundidade. As recomendações de adubos e corretivos são baseadas na profundidade de 0 a 20 cm, e quando falamos numa profundidade de 1 metro (100 cm), esta dose pode ser cinco vezes maior, que ainda está dentro da normalidade. Um metro de profundidade equivale a cinco camadas de solo com espessura de 20 cm.

Controle integrado da ferrugem do cafeeiro

  Luiz Paulo Vilela Mestre em Agronomia e coordenador de Cursos e Assistência Técnica do ReHAgro Recursos Humanos no Agronegócio   No Brasil, a ferrugem do cafeeiro foi...

Uniparts rifa equipamento para ajudar Hospital do Câncer

O Hospital do Câncer, que completa 15 anos em 2015, sendo referência na região, que é mantido por meio de contribuições provenientes da comunidade...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!