Cafés do BR ocupam 5º lugar no ranking da receita das lavouras

0
281

O Valor Bruto da Produção – VBP total das lavouras brasileiras em 2020 deverá atingir o montante de R﹩ 453,36 bilhões, valor que foi calculado com base no volume produzido e nos preços médios recebidos pelos produtores dos 21 principais produtos agrícolas pesquisados, tendo como referência dados e estimativas agrícolas do mês de março do corrente ano.

Com base nos dados desta pesquisa do VBP, se for estabelecido um ranking dos cinco produtos agrícolas, exclusivamente das lavouras, que apresentaram maior faturamento, constata-se o seguinte: a soja figura em primeiro lugar, com R﹩ 159,20 bilhões, que equivalem a 35% do faturamento total; em segundo, destaca-se o milho, com R﹩ 76,17 bilhões, receita que corresponde a 17% do VBP total; em terceiro lugar vem a cana-de-açúcar, com R﹩ 62,02 bilhões de faturamento, montante que equivale a 14% da receita total apurada.

Na sequência deste ranking, em quarto colocado, vem o algodão herbáceo, cujo faturamento bruto de suas lavouras está estimado em R﹩ 42,03 bilhões, montante que corresponde a 9,3% do VBP nacional. E, na quinta colocação, destacam-se os Cafés do Brasil com receita prevista de R﹩ 26,62 bilhões, os quais equivalem a 5,9% do total que será arrecadado com as lavouras em 2020.

Conforme ainda os dados constantes desta edição do VBP, o qual teve como referência o mês de março de 2020, cujo faturamento bruto do café está calculado em R﹩ 26,62 bilhões para este ano, cumpre destacar que a receita exclusivamente da espécie arábica está estimada em R﹩ 21,80 bilhões, valor que representa em torno de 81,9% do VBP total do café. E, em relação ao café da espécie conilon, a receita foi calculada em R﹩ 4,82 bilhões, montante que corresponde a 18,1%.

Por fim, com base no VBP , vale também ressaltar a receita bruta da cafeicultura estimada para as cinco regiões geográficas brasileiras, incluindo as duas espécies – arábica e conilon -, a saber: Região Sudeste, com faturamento de R﹩ 23,87 bilhões, que correspondem a 89% do total; Região Nordeste, R﹩ 1,20 bilhão, 4,5%; Região Norte, R﹩ 830 milhões, 3%; Região Sul, R﹩ 483 milhões, perto de 2%; Região Centro-Oeste, R﹩ 226 milhões, menos de 1%.

Cálculo do VBP do Café – Tem como base a safra anual estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e os preços médios recebidos pelos produtores, divulgados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Cepea, da Universidade de São Paulo – USP.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.