Inicio Revistas Grãos Cálcio e enxofre são fundamentais para uma boa fertilidade

Cálcio e enxofre são fundamentais para uma boa fertilidade

0
845

Autor

Thales Barcelos Resende
Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia/Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
thales_br@outlook.com

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A principal responsável pela deficiência de alguns nutrientes no solo é, em geral, o tipo de formação (gênese) do solo. O Brasil possui um amplo território, sendo possível encontrar em suas terras os mais diferentes tipos de solos, dos mais férteis até os mais inférteis possíveis.

A deficiência de alguns nutrientes importantes para as plantas, assim como cálcio (Ca) e enxofre (S), se dá, na maioria dos casos, pela matéria de origem do solo, sendo argilas não reativas ou até mesmo areia, que possuem uma fertilidade baixa em relação aos demais materiais de origem. Neste caso, grande parte dos solos brasileiros são formados predominantemente por estes dois materiais.

Lei do mínimo

A fertilidade do solo se baseia em algumas leis como, por exemplo, a lei do mínimo, em que o elemento em menor disponibilidade no solo será o limitante para a produção, independente de qual seja. Sendo assim, deve-se levar em consideração o equilíbrio entre os elementos no solo para que não ocorram problemas com a produção.

O Ca e S geralmente são nutrientes que não possuem uma disponibilidade natural alta no solo, por isso, a adubação com estes elementos torna-se quase que indispensável para o equilíbrio no solo.

O Ca é um elemento essencial para a planta, sendo ele responsável pela estrutura da planta e formador da parede celular. Sua falta pode ser identificada pela análise de solo, foliar ou até mesmo pela diagnose visual, sendo confirmada com uma das duas análises anteriores.

O Ca compete com outros cátions pela sua absorção, como é o caso do N+, K+ , Mg2+, NH4+, Fe2+ e Al3+, e por esse motivo em solos não corrigidos e com alta disponibilidade de Al3+ ou em adubações do sistema com alta intensidade de amônio a absorção de cálcio é dificultada, podendo se tornar visível sua falta para a plantas. Em se tratando de um nutriente pouco móvel na planta, a deficiência de cálcio é identificada em folhas novas.

Suprimento

O suprimento de cálcio para as plantas é uma atividade relativamente barata, dependendo da fonte que o produtor utiliza. Por meio da análise de solo é possível calcular a quantidade de calcário a ser aplicada. Este fertilizante é o principal fornecedor de Ca, pois é um excelente corretor de pH, neutralizador de Al+3 do solo e fornecedor de Ca para o solo. Com isso, a disponibilidade deste nutriente é favorecida.

Devido à baixa mobilidade do Ca nas plantas, algumas frutíferas necessitam de um olhar mais crítico do produtor, exigindo, algumas vezes, o complemento via folha ou fruto, realizando pulverizações para suprir a necessidade deste nutriente.

O S, assim com o Ca, são elementos essenciais para a sobrevivência da planta devido à sua atividade em várias partes, sendo responsável pela formação da clorofila, ativador de enzimas, auxilia na formação de sementes e em algumas plantas está presente nos compostos que conferem aroma característico.

Opções

O enxofre é encontrado de duas formas na natureza: mineral e orgânica. A deficiência de S na planta é dificilmente observada, devido às formas em que ele é fornecido para a planta, por exemplo, pelos sulfatos, gesso e superfosfatos. Com isso, a necessidade das plantas já é atendida.

A aplicação de nutrientes essenciais deve ser realizada em qualquer cultura que se vá implantar, sempre levando em consideração a exigência de cada uma, sendo algumas mais e outras menos exigentes a um determinado nutriente, podendo este limitar a produtividade por falta ou excesso do nutriente.

Erros

Quando se leva em consideração estes dois nutrientes – Ca e S, os erros em relação ao enxofre são menores devido ao fato de ele não inibir a absorção de outros e também por ser fornecido de maneira indireta por meio de fosfatos, gesso e matéria orgânica para o solo.

Deste modo, os erros são menos comuns de serem encontrados no campo. Por outro lado, quando falamos em Ca, tanto a falta quanto o excesso são casos comuns encontrados em campo, como por exemplo, a não correção de solo.

Com isso, o alto teor de Al+3 e o baixo pH do solo inibem a absorção de Ca pela planta, deixando o produtor preocupado quanto à tomada de decisões que podem onerar o custo e não resolver o problema.

Outro caso comum é a utilização constante de calcário com alto teor de Ca e baixo de Mg, causando um desequilíbrio entre estes dois nutrientes, o que é prejudicial à cultura e difícil de se corrigir.

Para evitar os erros com qualquer nutriente que se aplique em campo, é preciso o acompanhamento de um engenheiro agrônomo e a realização de análises de folha e solo para respeitar os teores adequados e recomendar nutrientes de forma equilibrada, otimizando os recursos e maximizando a produção para melhor obtenção de lucros.

SEM COMENTÁRIO