Cálcio favorece enchimento do abacate?

0
558

Autores

Marcela Caetano Lopes
Bióloga e doutoranda em Agronomia/Horticultura – UNESP/Botucatu
macaetano20@hotmail.com
Saulo Strazeio Cardoso
Engenheiro agrônomo, doutor em Agronomia/Produção Vegetal – FCAV/UNESP/Jaboticabal e professor – Faculdades Associadas de Uberaba – FAZU
saulo.cardoso@fazu.br
Fotos: Shutterstock

O abacateiro (Persea americana Mill.) pertence à família Lauraceae, originário da América Tropical, podendo ser cultivado em todas as regiões do mundo onde existam solos férteis e calor suficiente. O sucesso da produção está aliado ao manejo da adubação, que é feito de acordo com o estádio de desenvolvimento da cultura, ou seja, adubação de plantio, formação e frutificação. Para cada um desses estádios, a cultura é exigente em quantidades diferentes de macro e micronutrientes. A nutrição mineral afeta diretamente o rendimento e a qualidade do abacateiro, bem como a presença de distúrbios fisiológicos.

A aplicação foliar de cálcio é justificada em função da sua pouca solubilidade na planta e da baixa concentração no floema. Hoje, a adubação foliar é utilizada no mundo inteiro em diferentes culturas e tem como interesse prático, dentre outros: corrigir deficiências eventuais dentro do ciclo da planta; fornecimento de micronutrientes, principalmente em culturas perenes, onde no solo apresenta menor eficiência; aumentar a eficiência de aproveitamento dos adubos; fornecimento de nutrientes em cobertura, quando há impossibilidade de aplicação mecânica no solo; fornecimento de cálcio diretamente aos frutos, evitando desordens nutricionais e distribuição mais uniforme dos frutos.

Enchimento do abacate

A absorção do cálcio e a resposta do fruto ao nutriente podem estar associadas a diversos fatores, como a região de origem, a cultivar e o estádio de maturação. A maioria das funções do cálcio é como componente estrutural ou regulatório das macromoléculas e está relacionada à sua capacidade de coordenação, por meio da qual fornece vínculos moleculares estáveis, mas reversíveis.

O cálcio pode ser fornecido em altas concentrações e pode atingir mais de 10% do peso seco, sem sintomas de toxicidade ou inibição séria do crescimento da planta.

A adubação foliar complementar (ou preventiva) com cálcio tem sido utilizada rotineiramente em algumas culturas, cujo objetivo é atingir diretamente os frutos. Uma vez que o nutriente é de pouca mobilidade nos tecidos vegetais, as aplicações foliares de cálcio são uma alternativa para incrementar o nutriente na planta.

Seria importante desenvolver métodos que favorecessem a absorção pelas folhas e flores do abacateiro e, posteriormente, a translocação do nutriente para o fruto, em pulverizações foliares.

Manejo

As adubações foliares em abacateiros são divididas em três momentos. A adubação com boro é realizada na pré-florada, fase de gema inchada, pouco antes da fase caracterizada como couve-flor, para promover uma melhor qualidade das flores, aumentando a viabilidade do pólen e o tamanho do ovário da flor.

No florescimento e início da florada, quando não mais de 10% das flores estão abertas no lado norte (quente) da copa, realizar adubação foliar com nitrato de cálcio, com objetivo de fornecer nitrogênio e cálcio para sustentar as flores, pois a falta de chuvas impede a aplicação de adubos ao solo.

Depois do florescimento e no início da frutificação, quando aparecem os chumbinhos e as brotações novas, de cor avermelhado, faça uma adubação foliar com ácido bórico + sulfato de zinco, sem espalhante. O objetivo desta adubação é fornecer zinco e boro que possam ser melhor absorvidos pelas folhas novas.

Benefícios proporcionados

O cálcio é o elemento principal para a membrana celular do tecido do abacateiro, essencial para o funcionamento fisiológico da estrutura (permeabilidade) e indispensável na formação e bom crescimento dos frutos após a fecundação até a sua maturidade fisiológica, além de constituir a parede celular.

A presença de cálcio nos frutos auxilia na redução das desordens fisiológicas, como o amadurecimento prematuro, a coloração do mesocarpo, podridões, aumento no peso e número de frutos.

Outro benefício da aplicação via foliar de cálcio diretamente nos frutos é a resposta na firmeza deles. Essa característica aumenta a vida útil dos frutos pós-colheita. Tais efeitos podem ser explicados por cruzamentos de pectinas na lamela intermediária e pela preservação da integridade da membrana por meio do cálcio, retardando o amolecimento das frutas durante o armazenamento.

Nos frutos de abacate, altas concentrações de cálcio estão relacionadas à menor incidência de escurecimento da polpa e bronzeamento vascular. Outra característica de extrema importância em relação ao cálcio nos frutos é a correlação com o amadurecimento retardado.

Esses efeitos podem ser explicados em parte pela respiração; um atraso no pico do etileno e uma menor velocidade da senescência do fruto. Aplicações de cálcio pós-colheita reduzem as lesões quando o fruto é armazenado a baixas temperaturas, sendo de grande importância para a comercialização e exportação deles.

Existe uma relação indireta estabelecida entre a concentração de cálcio no abacate e a cor da polpa na maturação. Deste modo, há um conjunto importante de testes que ligam diretamente as concentrações de cálcio no fruto com distúrbios fisiológicos que podem se desenvolver em abacates durante o manuseio pós-colheita.

O escurecimento da polpa, também conhecido como escurecimento interno ou descoloração da polpa, evidenciado por vários fatores que podem causá-lo, como a presença de altas concentrações de CO2 e a utilização de baixa temperatura durante o armazenamento, idade avançada a colheita ou senescência da fruta. Esses distúrbios, como o escurecimento da polpa, estão relacionados à deficiência de cálcio, que induz as falhas no sistema de membranas celulares.

A oxidação de compostos fenólicos, os quais foram armazenados no vacúolo, resulta no escurecimento da polpa, ocorrendo após a perda das membranas que são oxidadas pela ação da enzima polifenol oxidase presente no citoplasma. Altas concentrações desse nutriente reduzem o escurecimento da polpa e o bronzeamento vascular, mostrando a importância de aplicações de cálcio pós-colheita para reduzir as lesões quando o fruto é armazenado a baixas temperaturas.

Erros

Um erro que pode ser cometido pelos produtores é a não realização de análise foliar das plantas, pois esse método de diagnose nutricional pode mostrar a falta ou excesso de cálcio nas plantas e, consequentemente, nos frutos.

Tais erros podem ser evitados com a aplicação em época adequada; direcionar a aplicação corretamente no alvo, no caso os frutos; seguir os métodos corretos de aplicação foliar; realizar análise foliar com frequência, na época e com as folhas corretas.

Os benefícios que podem ser alcançados com a aplicação foliar de cálcio são: frutos com calibres maiores, isentos de distúrbios fisiológicos, maior uniformidade e firmeza da polpa.