25.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiCálcio proporciona bom desenvolvimento do citros

Cálcio proporciona bom desenvolvimento do citros

Rafael Campagnol

Doutor em Agronomia e professor de Olericultura ” Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

rafcampagnol@hotmail.com

Elisamara Caldeira do Nascimento

Doutora em Agronomia ” Zeólita Consultoria Agronômica

Talita de Santana Matos

Doutora em Agronomia ” Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Glaucio da Cruz Genuncio

Doutor em Agronomia e professor de Fruticultura ” UFMT

Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock

O cálcio (Ca) é um macronutriente secundário importante para o desenvolvimento das plantas. Apresenta-se tanto na forma de cátion como parte insolúvel dos minerais do solo. As formas disponíveis de Ca++ são adsorvidas nos coloides do solo. Por meio das trocas de cátions, passam para a solução do solo tornando-se disponíveis para absorção pelas plantas. Do total de Ca encontrado no solo apenas uma pequena parte está na solução do perfil e, portanto, disponível par absorção.

O Ca condiciona melhoria na estrutura, a permeabilidade e a infiltração de água no solo e ajuda a planta a suportar o estresse por salinidade. É absorvido pelas plantas como íon bivalente Ca++ ou em forma de quelatos, junto com a água do solo, por fluxo de massa, e se desloca principalmente para os órgãos de transpiração, acumulando-se nas folhas, sendo limitado o seu transporte, via floema, para os frutos.

Assim, ele não é redistribuído das folhas mais velhas para as mais novas, nem das folhas para os frutos ou sementes, estando a maior parte dele localizado nas paredes celulares. Sua concentração no citoplasma é bastante baixa, sendo armazenado no vacúolo nas formas de oxalatos ou carbonatos.

Até 90% do total de Ca está localizado na parede celular, ou mais especificamente na lamela média, onde é o “cimento“ que une as células, constituindo uma barreira física contra o ataque de patógenos.

Importância para o citros

As plantas cítricas apresentam grande exigência por esse nutriente. Sua deficiência se caracteriza por um sistema radicular mal desenvolvido, com poucas radicelas, clorose nas margens e extremidades das folhas maduras, caracterizada pelo surgimento de uma faixa clorótica ao longo da nervura principal.

As folhas caem prematuramente, seguindo-se a morte de ramos.Os frutos gerados são pequenos, deformados e sem suco. O excesso de cálcio, em solos pobres em potássio, como pode ocorrer com calagens, aumenta a deficiência de potássio, surgindo problemas sérios de frutos de tamanho reduzido, queda dos frutos e de folhas e ressecamento das extremidades dos ramos.

O cálcio, algumas vezes, aumenta a resistência das plantas ao ataque de doenças; porém, em outros casos, torna o patógeno mais virulento, aumentando a severidade dos sintomas da doença. Várias desordens fisiológicas no armazenamento de frutos estão relacionadas às concentrações de cálcio nos tecidos, sendo que o aumento desse nutriente normalmente diminui a ocorrência.

Sendo assim, desequilíbrios nos teores de Ca disponíveis para as plantas impactam diretamente na produção e produtividade, diminuindo drasticamente a rentabilidade do produtor.

O cálcio propicia firmeza aos frutos, qualidade e melhor condição para armazenamento. É importante para o crescimento das raízes e dos brotos e aumenta a tolerância ao estresse por calor, vento e frio.

Em pomares comerciais, a deficiência de Ca nos frutos provoca a deformação no albedo (creasing), que pode ser causada por desequilíbrio entre as doses de K e de Ca na adubação, além de rachadura (splitting).

Existem poucos sinais visuais de deficiência de cálcio nas folhas. As folhas podem apresentar sintomas entre as nervuras similares às deficiências de ferro e manganês, mas raramente ocorrem. Folhas com níveis de cálcio abaixo de 1,6% são deficientes, porém, as plantas perdem vigor e começam a desfolhar quando os níveis de cálcio estão abaixo de 3%.

Plantas deficientes em cálcio ficam atrofiadas devido ao insuficiente desenvolvimento de raízes, com folhagem verde escura.

Foto 02

Quando aplicar

As principais fontes de cálcio são o calcário e o gesso, que devem ser aplicados no momento da realização da correção do solo. Outros fertilizantes comumente usados também apresentam cálcio em sua composição, como o superfosfato simples com 18 a 20% de cálcio, o superfosfato triplo com 12%, entre outros. Essa aplicação já disponibiliza as quantidades necessárias para as culturas.

Entretanto, alguns estudos com citros vêm apresentando resultados positivos com aplicação de Ca via adubação foliar e fertirrigação. Geralmente o uso da fertirrigação com cálcio reduz e pode eliminar a necessidade de aplicações foliares.

A época de aplicação é crítica, e melhorias significativas no pegamento dos frutos ocorre pelas aplicações feitas imediatamente antes e durante o florescimento. O cálcio, na forma de nitrato de cálcio, ajuda a impulsionar o pegamento e número de frutos.

Pulverizações com nitrato de cálcio são particularmente eficientes em ajudar a reduzir o colapso do Albedo. O suprimento inadequado de boro também reduz a extração de cálcio e, portanto, pode induzir um colapso do albedo e causar podridão pós-colheita.

Pesquisas mostram que pulverizações foliares com cálcio são altamente eficientes. Em ensaios, apenas 13% dos frutos tratados mostraram sintomas, comparado com 35% em tratamentos controle.

Na dose certa

A dosagem recomendada é de 1% de Ca. Já a adubação com cálcio deve ser baseada na análise química do solo e posterior aplicação de calcário calcítico para correção da deficiência em camadas superiores e gesso agrícola para camadas mais profundas.

Os efeitos indiretos do cálcio são tão importantes quanto o seu papel como nutriente. O cálcio promove a redução da acidez do solo, melhora o crescimento das raízes, aumenta a atividade microbiana, a disponibilidade de molibdênio (Mo) e de outros nutrientes.

Os principais impactos de deficiência de cálcio são os sistemas radiculares mais suscetíveis às doenças radiculares e frutos mais propensos a rachaduras e ao colapso de albedo.

Essa matéria você encontra na edição de abril 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Ação do silicato de cálcio nas mudas de eucalipto

A incorporação de metais pesados no solo é decorrente de ações antrópicas e exerce efeitos deletérios em diversas formas de vida. Sobre as plantas, excesso de metais no solo limita seu crescimento e desenvolvimento, pois as mesmas absorvem e acumulam quantidades tóxicas desses metais, inibindo seus processos fisiológicos, como transpiração, respiração e fotossíntese.

Deficiência de cálcio causa queda de flores e frutos no pimentão

Devido a ser um elemento estrutural na planta, o cálcio é um elemento pouco móvel, e os sintomas de sua deficiência podem ser observados em partes novas das plantas.

Sete Cachoeiras aprova Usinas Solares

As unidades de produção do grupo Sete Cachoeiras Estate Coffee estão localizadas no Sul de Minas Gerais, região maior produtora de café arábica. De...

Vinícola Guatambu, do Rio Grande do Sul, recebe Selo Solar inédito no País

Certificação é dada àqueles que consomem eletricidade, a partir da geração fotovoltaica. A vinícola tem energia 100% limpa desde 2016 e investiu R$ 1,5 milhão...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!