23.3 C
São Paulo
sexta-feira, julho 1, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Câmara fria - Nova opção para comercialização da beterraba

Câmara fria – Nova opção para comercialização da beterraba

 

Rita de Fátima Alves Luengo

Pesquisadora da Embrapa Hortaliças

Crédito  Luize Hess
Crédito Luize Hess

A vantagem do uso de câmaras frias para quem planta e comercializa beterrabas é poder abastecer o mercado de forma continuada. Isso é muito importante para o abastecimento do mercado e para o mecanismo de formação de preço, diretamente influenciado pela lei de oferta e procura do mercado.

Cooperativas e grandes produtores usufruem melhor da técnica de armazenamento refrigerado por trabalharem com volumes de produto grandes. No livro da Embrapa Hortaliças “Armazenamento de hortaliças”, o capítulo “Armazenamento refrigerado” esclarece que, em geral, quanto mais elevada for a temperatura, menor a vida útil das hortaliças, porque a velocidade das reações bioquímicas e do desenvolvimento de infecções e infestações é aumentada.

A elevação da temperatura acelera o desenvolvimento e a reprodução de microrganismos, aumentando a velocidade de transpiração e causando um aumento exponencial da respiração, que é o principal indicador do funcionamento metabólico da planta.

Em consequência, sob temperaturas elevadas o produto murcha e deteriora muito mais rapidamente do que quando armazenado sob refrigeração, na temperatura e na umidade recomendadas.

Recomendações

A temperatura recomendada para o armazenamento refrigerado da beterraba é de 0ºC e a umidade relativa é de 98 a 100%. O tempo de armazenamento é de 120 a 180 dias. É muito importante enfatizar que para o sucesso no armazenamento refrigerado de hortaliças é necessário aplicar quatro princípios:

1) Somente hortaliças sadias e de alta qualidade devem ser armazenadas, pois a baixa temperatura não destrói os patógenos, apenas diminui sua atividade. Além disso, a qualidade não pode ser melhorada, apenas preservada pela refrigeração;

2) A refrigeração deve ser aplicada à hortaliça no menor tempo após sua colheita, sendo esta operação conhecida como “pré-resfriamento“;

3) Cada hortaliça precisa de condições específicas de temperatura e umidade relativa para o seu armazenamento;

4) A utilização do frio deve ser ininterrupta até o consumo, isto é, o produto deve ser pré-resfriado, transportado, armazenado e comercializado sob refrigeração, para evitar danos causados por condensação de água e outros efeitos nocivos que ocorrem quando se impõem aumentos abruptos de temperatura.

Viabilidade

O armazenamento refrigerado é muito usado em países que têm fortes limitações de produção, como por exemplo invernos muito rigorosos, quando a produção é guardada para uso após a colheita nos períodos de entressafra.

No Brasil, para beterraba e outras hortaliças temos um abastecimento contínuo de safras solidárias entre as muitas áreas de produção de nosso país gigante. Mas o armazenamento refrigerado é uma técnica de conservação de hortaliças útil para prover o mercado para quem trabalha com volumes de produção e/ou abastecimento grandes.

Essa matéria você encontra na edição de agosto da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

Inicio Revistas Hortifrúti Câmara fria - Nova opção para comercialização da beterraba