18.6 C
Uberlândia
sábado, junho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiCanaletas - A novidade na produção de tomate

Canaletas – A novidade na produção de tomate

Glaucio da Cruz Genuncio

Doutor em Agronomia e professor de Fruticultura – UFMT

glauciogenuncio@gmail.com

Elisamara Caldeira do Nascimento

Talita de Santana Matos

Doutoras em Agronomia – UFRRJ

Créditos Hidrogood
Créditos Hidrogood

O tomateiro é originário da América do Sul, na região compreendida entre o Equador e o Norte do Chile, sendo encontrado na forma silvestre ou cultivado desde o nível do mar até 2.000 m de altitude. Destaca-se por ser bastante tolerante a uma ampla variação de temperaturas. No entanto, são consideradas ideais temperaturas médias noturnas em torno de 18°C e diurnas ao redor de 25°C.

Sob proteção

O cultivo em ambientes protegidos com substrato (canaletas) proporciona o controle da temperatura, assegura estabilidade de produção, qualidade do produto e aumento na produtividade devido, principalmente, à ampliação do período da produção, que pode ser prolongado por até quatro meses.

Além disso, permite o plantio em áreas cujos solos não são apropriados para o cultivo (solos esgotados, infectados por patógenos como bactérias, fungos e nematoides) ou salinizados, além de se justificarem pela significativa redução de gastos com mão de obra, maior eficiência no uso da água na irrigação, melhor controle da nutrição do cultivo e redução da ocorrência de doenças e do uso de defensivos.

Como desvantagens encontram-se o maior custo inicial com montagens da estrutura, do sistema de irrigação/fertirrigação e compra do substrato (com merecedor destaque para este custo variável), dos contentores e fertilizantes solúveis e maior conhecimento técnico exigido em nutrição de plantas e fertirrigação.

Manejo

O cultivo do tomateiro é realizado em canais ou canaletas preenchidas com substrato (geralmente fibra de coco ou substrato comercial), que serve como suporte físico para as plantas e retém água e nutrientes.

Tais substratos devem apresentar como características fundamentais: serem inertes; terem alta porosidade para facilitar a aeração e a circulação de água ou solução nutritiva e o crescimento das raízes; alta capacidade de retenção de água facilmente disponível para as raízes; serem de fácil aquisição; não reagirem com os fertilizantes ou sais que serão utilizados como fonte de nutrientes; possuírem estrutura estável e decomposição lenta (estabilidade frente à mineralização), para que sua vida útil seja a maior possível; baixa salinidade; não estarem contaminados com microrganismos nocivos ou fitopatogênicos.

Os substratos orgânicos não satisfazem todas estas condições, pois têm suas características físicas e químicas alteradas com o tempo, requerendo ajustes no fornecimento de água e nutrientes, o que normalmente é feito com fertirrigação. Em média, devem ser utilizados de 08 a 10 litros/planta do substrato.

O cultivo em canaletas proporciona o controle da temperatura e assegura estabilidade de produção - Créditos Hidrogood
O cultivo em canaletas proporciona o controle da temperatura e assegura estabilidade de produção – Créditos Hidrogood

Irrigação

A irrigação é realizada por gotejamento, que permite a aplicação da solução nutritiva de forma precisa, em pequenas doses, com alta frequência e boa uniformidade. Recomenda-se o uso de tensiômetros para o controle mais eficaz da fertirrigação.

Para a obtenção de altas produtividades e de frutos de tamanho adequado, é muito importante que os gotejadores sejam de boa qualidade e o sistema de irrigação seja bem dimensionado, de modo a garantir que todas as plantas recebam aproximadamente a mesma quantidade de solução nutritiva em cada irrigação (alta uniformidade de aplicação).

Entre os inconvenientes do sistema de gotejamento, citam-se o custo inicial relativamente alto e a ocorrência de entupimentos. Para prevenir os entupimentos dos gotejadores, recomenda-se a utilização de filtros adequados ao tipo de água disponível e a realização de limpezas de manutenção das linhas de gotejadores. A distância do gotejador em relação à planta normalmente varia de 03 a 08 cm.

O uso de controladores e de válvulas solenoides para automatizar a irrigação é importante por permitir a aplicação da irrigação várias vezes ao longo do dia. Para o preparo da solução nutritiva, o produtor pode adquirir formulações prontas disponíveis no mercado ou fazer a sua própria formulação, utilizando fertilizantes solúveis para fertirrigação.

Na literatura existem várias formulações de solução nutritiva para o tomateiro, desenvolvidas para diferentes condições climáticas. É de fundamental importância fazer uma análise química da água que será usada na fertirrigação, uma vez que as concentrações de sais e o pH afetam a formulação da solução nutritiva.

Condutividade elétrica

Para o cultivo do tomate, a água de irrigação deve apresentar uma condutividade elétrica de no máximo 3,5 dS/m na fase de frutificação. Aconselha-se o controle da EC da solução drenada. Por outro lado, diagnósticos nutricionais baseados na análise química da solução drenada associada à análise foliar são importantes para a tomada de decisão quanto ao manejo nutricional.

Assim, o produtor deve contar com o auxílio de um técnico com experiência em nutrição vegetal, a fim de utilizar uma formulação de solução nutritiva adequada para a cultura e as características químicas da água de irrigação.

Tratos culturais

O tutoramento e a poda são práticas imprescindíveis para se conduzir o tomateiro e evitar que as folhas e os frutos toquem o solo, melhorando a aeração e favorecendo o aproveitamento da radiação e a realização dos tratos culturais. Faz-se o tutoramento utilizando-se fitilho de plástico com proteção UV, para se evitar ressecamento.

A polinização é um fator importante para a garantia da produção e de produtividade no tomateiro conduzido em canaletas. O uso de sopradores, vibração e introdução de polinizadores nestes ambientes são os mais recomendáveis para uma polinização eficiente.

Essa matéria completa você encontra na edição de abril 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Emater-MG divulga lista dos classificados na primeira etapa do Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais

Segunda etapa irá contar com 78 cafés concorrentes A Emater-MG divulgou a lista dos classificados na primeira etapa do 13º Concurso de Qualidade dos Cafés...

Biolchim apresenta oportunidades para o segmento HF

A Biolchim participa da Hortitec desde 2009, um evento de grande importância para a empresa, onde há oportunidade de interagir e confraternizar com vários...

Livro analisa resultados de diagnóstico de produtores de maracujá do DF

O segundo volume da obra “Maracujá: prospecção de demandas para pesquisa, extensão rural e políticas públicas baseadas na adoção e no impacto de tecnologias” apresenta os resultados da Expedição Safra Brasília - Maracujá, evento promovido pela Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri-DF) em parceria com a Emater-DF e a Embrapa em 2017 para diagnosticar a cadeia produtiva do maracujá no DF.

Cenoura de inverno: qual a época certa de plantio?

A cenoura é uma hortaliça que naturalmente produz melhor em clima ameno, e seu plantio de inverno geralmente inicia-se no mês de julho e encerra em outubro. Isso porque esse grupo de cultivares é menos tolerante a condições de temperatura elevada, o que poderia comprometer o desempenho da cultura no campo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!