16.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 20, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiCaqui: Entre os maiores produtores mundiais da fruta

Caqui: Entre os maiores produtores mundiais da fruta

Caqui – Crédito: shutterstock

Os maiores produtores mundiais de caqui são China, Coréia, Espanha, Japão e Brasil. Considerando o período de 1961 a 2013, houve um crescimento na área cultivada e na produção mundial de caqui de, respectivamente, 755 e 424%.

Deve-se ressaltar a importância dos países asiáticos, sendo a China, Coreia e Japão responsáveis por 86% da produção mundial e 96% da área cultivada, sendo consideradas as regiões tradicionais de cultivo, com a maior parte da produção destinada ao mercado interno. Por outro lado, destacam-se a Espanha, Austrália, Nova Zelândia e Israel na produção de caqui para exportação.

No Brasil, a área cultivada de caqui é de 8.588 ha, concentrada nas regiões sudeste, sul e nordeste. Os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro são responsáveis por, respectivamente, 58, 19, 8,0 e 6% da produção nacional.

A produtividade média da cultura do caqui no Brasil é de 22,4 ton/ha, com destaque para o Estado de São Paulo, que apresenta a maior produtividade (28,5 ton/ha) em função da alta tecnologia adotada no cultivo dessa frutífera.

No Estado de São Paulo destacam-se como as principais regiões produtoras Mogi das Cruzes, Sorocaba, Campinas, Itapetininga e Itapeva, sendo responsáveis por 93% da produção estadual de caqui.

Variedades

No Estado de São Paulo, as cultivares de caqui Rama Forte, Giombo, Fuyu e Taubaté respondem por, respectivamente, 50, 19, 15 e 14% da produção de caqui. Referente ao Rio Grande do Sul, segundo produtor nacional, a principal cultivar produzida é o Kyoto.

Apesar da menor produtividade em relação aos demais, o caqui Fuyu é o que atinge as maiores cotações de mercado, possuindo aspectos qualitativos como melhor conservação e qualidade geral do fruto.

Mercado consumidor e precificação

O preço médio normalmente oscila de acordo com a oferta da fruta, sendo mais altos no início de safra, menores no pico de oferta e voltando a subir no final da safra. Para os produtores da Cooperativa Agrícola Nossa Senhora das Vitórias (Cooperativa NSV), situada em Jundiaí, cuja produção majoritária é da cultivar Rama Forte (90% da produção de caqui), a janela de produção ocorre de fevereiro a julho, com pico de oferta entre maio e junho.

Segundo relatos dos produtores, em 2018 o preço médio pago no início da safra (fevereiro/março) estava em R$ 5,00/kg, sendo comercializado em caixas de 6,0 kg. Para o pico de oferta (abril/maio) o valor decresce para R$ 2,60/kg, voltando a ter uma valorização no final da safra, sendo comercializado por R$ 5,00 (junho/julho). No ano de 2017, o preço médio do caqui ficou em R$ 5,22/kg.

Em relação ao custo de produção, varia entre produtores, de acordo com o manejo adotado. Segundo informações da Cooperativa NSV de Jundiaí, estimam-se que a média de custo de produção situa-se entre R$ 8,00 a R$ 12,00/caixa de 6,0 kg de frutos.

De acordo com levantamento feito por especialistas da Associação Paulista de Produtores de Caqui (APPC), Cooperativa Agrícola de Capão Bonito (CACB) e Thomasetto Frutas, o custo de produção para o caqui em 2018 foi de, aproximadamente, R$ 48.000,00/ha.

Do custo total, os gastos com embalagem, mão de obra, defensivos, horas máquina, fertilizantes/corretivos, são de, respectivamente, 40,4; 10,8; 8,5; 3,2 e 1%. Os demais gastos (36%) referem-se a outras despesas e custos indiretos.

Referente ao mercado consumidor, os caquis produzidos no Estado de São Paulo atendem os mercados de Rio de Janeiro, Goiânia, Belo Horizonte e também a região nordeste (Recife e Aracaju), entre outros.

Autoria:

Marco Antonio TecchioCoordenador do Programa de Pós-graduação em Agronomia/Horticultura – FCA/UNESPmarco.a.tecchio@unesp.br  

Ronnie Tomaz Pereiraronnie@educarpv.com   

Victória Monteiro da Mottavictoriamonteiro11@gmail.com

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Horticultura – FCA/UNESP

No Brasil, a área cultivada de caqui é de 8.588 ha, concentrada nas regiões sudeste, sul e nordeste. Os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro são responsáveis por, respectivamente, 58, 19, 8,0 e 6% da produção nacional.

ARTIGOS RELACIONADOS

Atemoia – o cruzamento que deu certo

A atemoia pertence à família das anonáceas, e é um híbrido interespecífico ...

Tendências do mercado de alimentos perecíveis em 2024

O desperdício no Brasil é estimado em mais de R$61 bilhões por ano.

Drones: Resultados na produção

Conhecidos popularmente como drones, os Veículos Aéreos Não Tripulados (Vant’s) ....

Nutricional para a melancieira

O cultivo da melancia [Citrullus lanatus (Thumb.) Matsum & Nakai] no Brasil é realizado sobretudo ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!