Carrossel holandês em estufas – Produtividade garantida

0
93
Crédito da foto: Ricardo Zepter
Crédito da foto: Ricardo Zepter

O cultivo de tomates é basicamente dividido em duas formas de condução em razão de uma característica muito peculiar dessa espécie de hortaliça-fruto: seu hábito de crescimento.

Diversos tipos de tomates, independentemente de seus formatos, cores e sabores, dividem-se, quanto ao seu crescimento e florescimento, em determinado e indeterminado. Ricardo Augusto Zepter Valença, especialista em hortaliças e consultor em Agribusiness, explica cada um deles a seguir:

Determinado

Crescem e florescem de maneira “determinada“, ou seja, quando cerca de 80% de suas flores se abrem, as plantas param de crescer e completam seu ciclo, não passando de 2 m de comprimento. Verifica-se que sua gema apical termina em um cacho floral ou penca de frutos. Em geral, correspondem às variedades destinadas ao processamento industrial, pois concentram a maturação dos frutos. Variedades de porte médio podem ser conduzidas à meia estaca.

Indeterminado

Crescem e florescem “indeterminadamente“, podendo alcançar mais de 10 m de comprimento da haste principal. Normalmente, intercalam uma inflorescência e, por conseguinte, um cacho de frutos a cada três folhas. Correspondem aos tomates cultivados para consumo in natura, independentemente de serem do tipo salada, caqui, italiano ou cereja. É para esse grupo que serão feitas as considerações a respeito dessa relevante forma de condução de plantas, que é o carrossel holandês ou belga em ambiente de cultivo protegido.

Como funciona

Esse sistema é comum em diversos países, tais como França, Bélgica, Holanda e, mais recentemente, Chile, Espanha e México. Nesses países, o cultivo protegido (ou em estufas) é uma realidade sem volta, seja por necessidade (temperaturas extremamente baixas no inverno) ou pela certeza de que, sob a proteção de pelo menos um teto contra intempéries, o retorno do investimento é garantido, pois permite produtividades que vão desde 230 t/ha a até mais de 480 t/ha em ciclos de 250 a 300 dias, com qualidade de frutos assegurada.

No Brasil, avalia Ricardo Zepter, esse mesmo sucesso pode ser alcançado. Basta ater-se a pequenos detalhes e iniciar a experiência com variedades mais nobres para facilitar a competição e diferenciação com quem produz a campo aberto.


Principais funções do carrossel holandês na condução de tomateiros indeterminados:

“¢ Obter melhor aproveitamento dos espaços internos nas estufas ou em telados;

“¢ Garantir maior longevidade no cultivo de uma mesma planta, inclusive as que foram enxertadas;

“¢ Permitir a formação de frutos com bom calibre, sabor e cor padronizados com perdas mínimas;

“¢ Retardar o surgimento de enfermidades nas folhas do terço inferior da planta;

“¢ Melhorar a aeração entre as plantas, pela condução apenas da haste principal;

“¢ Ter disponíveis frutos em épocas em que as intempéries climáticas (chuvas, por exemplo) frustram, sobremaneira, as produtividades esperadas.

Para ler a matéria completa, adquira já o exemplar da Revista Campo & Negócios HF, edição de maio. Ligue (34) 32312800.