CEO da AMVAC do Brasil convida autoridades

0
99
Soja e milho – Créditos: shurtterstock

Evento contou com a presença de autoridades e representantes do setor agrícola brasileiro. CEO da AMVAC do Brasil abordou a importância de melhorar a imagem do agronegócio brasileiro no exterior e como o desenvolvimento de novas ferramentas e a digitalização no campo ajudarão na manutenção das gerações nas lavouras 

Realizado no último dia 19, o Fórum Brasileiro do Agronegócio, organizado pela Global Council of Sales Marketing (GCSM), contou com participantes de diversos segmentos do agronegócio brasileiro, que discutiram diferentes temas durante as mais de 10 horas de evento. Entre os assuntos abordados, destaque sobre a importância da sustentabilidade no campo, a balança comercial agropecuária, a importância do agronegócio para a economia do País, a importância do avanço tecnológico para as empresas do setor e os gargalos logísticos para o transporte de matérias-primas. 

Para o CEO da AMVAC do Brasil, Thomas Britze, que participou do painel “A importância da tecnologia e inovação no agronegócio brasileiro”, junto a Roberto Rodrigues, consultor da FGV Agro; Geraldo Borges, Presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite); Evandro Gussi, Presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Única); e Monique Vanni, da área de Inovação e Estratégia da International Development Solidaridad Network, “o Brasil sempre foi um exemplo no desenvolvimento na implantação de tecnologias no campo e isso é muito positivo no mercado global”. 

Imagem do agronegócio brasileiro no exterior 

O executivo mencionou a criação de novas variedades de sementes e o plantio direto, que revolucionaram a agricultura brasileira, e a importância da comunicação para melhorar ainda mais a imagem do agronegócio no Brasil: “Sou alemão e ainda mantenho ligação com o País e com o continente europeu. Sempre sou questionado sobre o momento do campo no Brasil. E está acontecendo muita coisa boa aqui, a agricultura é uma das mais sustentáveis do mundo e, lá fora, se vê muita coisa negativa. Temos muita coisa boa para mostrar para o mundo”, disse.  

Aproveitando a presença de autoridades e de representantes de grandes empresas e associações do setor no evento, Thomas, que trabalha no País há mais de 15 anos, convocou-os a ajudarem na promoção do agronegócio brasileiro no exterior. “Nossa agricultura merece ser mais bem comunicada, pois somos um dos países mais sustentáveis nas práticas agrícolas. Nossos produtores rurais são verdadeiros guerreiros e merecem mais respeito. E o Brasil merece ocupar um papel de mais protagonismo, pois somos o celeiro do mundo e responsáveis por grande parte da produção mundial de alimentos”, ressaltou o executivo, que comanda a companhia diversificada de insumos agrícolas, que oferece o Portfólio 3P de Soluções: Performance, Proteção e Produção com as linhas Crop Production e Crop Protection. 

Importância da comunicação envolver diferentes públicos e atingir, inclusive, crianças, para que conheçam com profundidade a origem dos alimentos 

O executivo propôs a realização de uma campanha para promover o agronegócio do País, envolvendo desde clientes a jornalistas, para que mostrem ao grande público a realidade tecnológica, produtiva e sustentável da agricultura nacional. Na opinião de Thomas, o conhecimento tem de começar já na infância, com campanhas dentro de escolas. “A disseminação do conhecimento começa cedo, então é importante que as crianças conheçam de onde vem os alimentos que consomem diariamente, para que elas saibam, desde pequenos, que a origem dos produtos não é o supermercado, e sim a lavoura. Assim, elas saberão, desde pequenas, a importância do campo para toda a sociedade e, quem sabe, despertem interesse em atuar no setor”, destacou.  

Sobre a adoção cada vez maior da tecnologia pelos produtores brasileiros, o executivo trouxe uma fala otimista, declarando que o desenvolvimento de novas ferramentas e a digitalização no campo ajudará na manutenção das gerações na lavoura, promovendo a sucessão familiar: “Muita coisa irá acontecer no Brasil, revolucionando ainda mais o campo. Inteligência artificial, agricultura 4.0, transformação digital e machine learning são práticas que veremos cada vez mais presentes no agronegócio brasileiro, o que será positivo para todo o setor. Porém, é necessária a desburocratização do setor, para que todas as ferramentas tecnológicas possam ser utilizadas por nossos produtores, para obtermos lavouras cada vez mais rentáveis, com alta performance e, acima de tudo, sustentáveis”, citou, ressaltando a importância das diversas frentes de pesquisas existentes no Brasil, lideradas por diversas entidades, voltadas ao desenvolvimento da agricultura.  

O CEO da AMVAC do Brasil ressaltou o papel da companhia no desenvolvimento da agricultura nacional. “Somos muito comprometidos com o Brasil. Há dois anos, fizemos a aquisição da Defensive & Agrovant, uma empresa de Jaboticabal (SP), e nós estamos desenvolvendo soluções modernas em insumos para todos os perfis de produtores e culturas agrícolas. Além disso, possuímos uma tecnologia disruptiva, que irá permitir que o agricultor economize em insumos e faça uma aplicação segura, contribuindo para o meio ambiente e, naturalmente, com a qualidade de vida de nossas futuras gerações”, mencionou, destacando que o ESG (sigla em inglês para Environmental, Social and Corporate Governance – meio ambiente, social e governança corporativa) é uma prioridade para a empresa.  

Por fim, o executivo destacou o lançamento da tecnologia SIMPAS, que tem como objetivo desenvolver diagnósticos sobre deficiências no solo, tanto nutricionais quanto em relação às pragas e doenças, otimizando a aplicação de insumos. A ferramenta utilizará três produtos simultaneamente, aplicando cada um deles apenas na quantidade e tempo correto. “Nosso propósito, aqui no Brasil, é o de contribuir para uma agricultura melhor e mais sustentável, e, mais que isso, colaborar para a longevidade do nosso mundo. Afinal, esse é o planeta que temos e não temos plano B”, finalizou.  

A íntegra do evento pode ser assistida aqui (a fala de Thomas Britze inicia-se aos 3h13min).  

Sobre a American Vanguard  

A American Vanguard vem atuando há 50 anos com protagonismo no agronegócio mundial. Em 2019 chegou ao Brasil e se estabeleceu como AMVAC do Brasil. Uma expansão estratégica com o objetivo de ampliar os seus negócios na América Latina e continuar a oferecer o que há de melhor em soluções para o campo em um país de dimensões continentais.  

A AMVAC do Brasil oferece ao produtor seu amplo e avançado Portfólio 3P Solutions: Performance, Proteção e Produção. As soluções da AMVAC do Brasil proporcionam maior produtividade às culturas, contribuindo para uma agricultura melhor e mais sustentável, garantindo a longevidade do mundo. Com uma equipe proativa, qualificada e comprometida, a AMVAC do Brasil leva o respeito, a ética e a dedicação em cada um de seus produtos de qualidade superior e em cada atendimento.

Além das Soluções Crop Production e Crop Protection, a AMVAC do Brasil oferecerá, em breve ao mercado brasileiro, a tecnologia disruptiva SIMPAS, uma tecnologia moderna, segura e que tem vantagens econômicas e ecológicas.

Outras informações no site www.amvacdobrasil.com.br