21.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 24, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFlorestasChegou a hora do controle da vespa-da-galha

Chegou a hora do controle da vespa-da-galha

 

De setembro a fevereiro é o período de maior produção de mudas de eucaliptos e, com isso, deve-se intensificar o monitoramento de ocorrência e o tratamento preventivo desta praga

Crédito Bayer
Crédito Bayer

Nos meses de estiagem não é só a falta de água que pode prejudicar o plantio do eucalipto. De abril a outubro, período de menor precipitação de chuvas, há também a maior incidência dos ataques da vespa-da-galha, praga que danifica plantações da árvore.

O inseto ataca as folhas e deposita ovos, o que determina a formação de galhas (tumores) nas nervuras centrais, caules e ramos finos. Esses danos podem comprometer o crescimento de mudas e árvores, assim como a produtividade de clones suscetíveis ” plantas de eucalipto menos resistentes a esta praga ou mais atrativas à praga.

No início da primavera até o mês de fevereiro vem o período em que os viveiros normalmente produzem o maior número de mudas para vender, aproveitando a volta do tempo chuvoso. Então, nesses meses é fundamental que o produtor faça o controle preventivo das suas mudas de eucalipto.

Quem é ela

De acordo com o Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, a vespa-da-galha (Leptocybe invasa) é uma praga exótica, originária da Austrália. O adulto é uma minúscula vespa de coloração marrom escuro brilhante e mede 1,2 mm de comprimento.

João Galon, gerente de contas-chave da unidade de Saúde Ambiental da Bayer CropScience, explica que o inseto ataca as plantas de eucalipto desde o viveiro de mudas até a floresta adulta. “Quando presente na fase de viveiro o dano pode chegar a 100% das mudas, sendo necessário o descarte e incineração do material. Se não houver o manejo e tratamento químico pode ocorrer a disseminação de mudas contaminadas para outras regiões“, conta Galon.

Além disso, o especialista esclarece que, em campo, os danos ainda são visuais, como formação de tumores causando deformação no caule das folhas, e nos ramos finos causam desfolha e secamento de ponteiro.

Infestação

Atualmente, a praga é encontrada nos plantios comerciais nos Estados da Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins; sendo que as maiores ocorrências são constatadas no Maranhão, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Tocantins.

Solução para os viveiros

Para apoiar o produtor de eucalipto no manejo de suas plantações, a Bayer CropScience desenvolveu o produto Evidence 700 WG. De acordo com Galon, a solução deve ser utilizada em viveiro florestal.

Além do tratamento químico, as ações principais são o monitoramento e prevenção, realizado com armadilha adesiva. Em florestas adultas o monitoramento deve ser realizado o ano todo, principalmente nos meses com temperaturas mais elevadas. Em viveiro, recomenda-se um levantamento minucioso das mudas e instalação das armadilhas adesivas, com avaliação semanal o ano inteiro.

Essa matéria você encontra na edição de outubro/novembro  da revista Campo & Negócios Floresta. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Projeto de uso customizado da água na agricultura

Unesp orienta produtores rurais a fazer a irrigação Unesp desenvolve projeto de uso customizado da água na agricultura. Trabalho visa orientar os produtores rurais em...

Brasil se torna o maior exportador de milho

            O Brasil tornou-se em 2019 o maior exportador de milho do Planeta com o embarque de 44,9 milhões de toneladas, um crescimento de 88% em...

Fertilizantes com ácidos húmicos aumentam enraizamento da planta

Nilva Teresinha Teixeira Doutora em Agronomia e professora de Nutrição de Plantas, Produção Orgânica e Bioquímica da Unipinhal TESConsultoria Socioambiental "Divisão Agronômica nilvatteixeira@yahoo.com.br   Tempos atrás, a preocupação com...

Fertilizantes e aminoácidos – A chave para a tuberização da batata

A batata é um alimento de grande importância mundial, sendo atualmente a terceira fonte alimentar mais importante do mundo, superada apenas pelo arroz e o trigo. No Brasil, o consumo médio por habitante ao ano atinge 15 kg, o que é considerado baixo quando comparado aos 70-80 kg por habitante ao ano de países como Alemanha e Holanda. Atualmente, Minas Gerais é classificada como o maior produtor de batata do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!