Citricultura favorece a preservação

0
38
Abelha – Foto Fundecitrus: Rafael Garcia

Matas localizadas nas proximidades dos pomares de laranja, que têm vida produtiva de cerca de 20 anos, tornam-se estáveis e seguras para a vida animal; propriedades de SP e MG possuem 182 mil hectares de floresta preservada

A perenidade da citricultura cria condições favoráveis para a preservação da biodiversidade nas fazendas. Como as árvores de citros têm vida produtiva de cerca de 20 anos, sem movimentação frequente da terra ou da cobertura verde, e o sistema de cultivo demanda baixo trânsito de equipamentos invasivos, as matas localizadas nas proximidades dos pomares tornam-se estáveis e seguras para a vida animal. Além disso, os frutos servem como alimento para pássaros e pequenos animais.


Dentro das propriedades citrícolas do cinturão de São Paulo e Triângulo/Sudoeste de Minas Gerais, maior região produtora de laranja e suco de laranja do mundo, existem 181.750 hectares de floresta preservada, uma relação de 1 hectare de mata nativa para cada 2,5 hectares com plantio de citros – os dados são de um levantamento feito pelo Fundecitrus com metodologia da Embrapa Territorial.
É por isso que animais silvestres, como veados, capivaras, tucanos e araras, são vistos com frequência nas proximidades e até mesmo em meio aos pomares de citros.


Para incentivar a proteção ambiental pelo setor e a preservação da biodiversidade nos pomares, o Fundecitrus acaba de lançar o Citricultura Sustentável, conjunto de ações que promove ainda a adoção de boas práticas agrícolas e a capacitação de citricultores, profissionais do setor e trabalhadores do campo.
“A atuação do Fundecitrus sempre buscou estimular a produção responsável de alimentos e a redução de impactos, com muitos resultados importantes já obtidos, e o Citricultura Sustentável reúne e amplia os projetos e programas da instituição”, diz o engenheiro agrônomo do Fundecitrus Marcelo Scapin, membro do comitê gestor da iniciativa.


Preservação dos polinizadores
O biólogo do Centro de Estudos de Insetos Sociais da Unesp-Rio Claro, Osmar Malaspina, chama a atenção para a influência positiva da conservação das matas junto aos polinizadores.
“Essas áreas protegidas ajudam na preservação de espécies polinizadoras, como as abelhas. A presença desses polinizadores gera ainda um retorno financeiro significativo ao produtor, aumentando a quantidade e a qualidade dos frutos produzidos”, diz o pesquisador.
Segundo dados do IBGE, 84% do mel produzido no estado de São Paulo vem de municípios do cinturão citrícola. Nestas cidades, o crescimento da produção de mel de 2000 a 2016 foi muito maior (+136%) do que em cidades de fora do cinturão citrícola (+72%).
Galeria de fotos: na página do Citricultura Sustentável, diversos registros mostram a presença e riqueza da fauna e flora nas fazendas de citros. Confira em www.fundecitrus.com.br/citriculturasustentavel.