18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Cochonilha - Duplo dano ao abacaxi

Cochonilha – Duplo dano ao abacaxi

 

José Roberto Silva

Engenheiro agrônomo, coordenador técnico regional da EMATER-MG, especialista em Fruticultura Comercial

jroberto@emater-mg.gov.br

 

Plantação de abacaxi
Plantação de abacaxi

O sucesso ou insucesso da abacaxicultura tem sido historicamente relacionado com a incidência de pragas e doenças. A cochonilha, por exemplo, ocasiona o enfraquecimento das plantas, além de estar associada a uma doença, possivelmente de origem virótica, conhecida como murcha do abacaxizeiro.

Esse complexo cochonilha x murcha do abacaxizeiro tem se constituído um dos maiores entraves para o aumento da produtividade da cultura, ocasionando perdas à produção da ordem de 70% e, ainda, promovendo o abandono de muitas áreas cultivadas.

Mais que prejuízos

Desde a redução do desenvolvimento vegetativo e desenvolvimento dos frutos, até a morte das plantas são prejuízos constatados pela cochonilha ao abacaxi. A maioria das plantas atacadas por esta praga acabam apresentando os sintomas de murcha, chegando a não frutificar e, caso frutifiquem, os frutos são imprestáveis para o comércio.

Portanto, a cochonilha pode reduzir drasticamente a produtividade e a qualidade dos frutos. A praga é a responsável pela transmissão de um vírus que causa uma doença nas plantas, denominada “Wilt“, conhecida também como a murcha do abacaxizeiro.

O ataque

Praticamente todas as variedades comerciais existentes no mercado são suscetíveis ao ataque da cochonilha, com menor incidência na variedade Pérola. No período seco a intensidade do ataque parece ser maior, devido ao aumento da população das mesmas na lavoura.

Utilizando mudas infestadas no plantio e a presença de “formigas doceiras“ na área, como a lava-pés, teremos condições propícias à disseminação da praga na lavoura.

José Roberto Silva  Engenheiro agrônomo, coordenador técnico regional da EMATER-MG, especialista em Fruticultura Comercial
José Roberto Silva, Engenheiro agrônomo, coordenador técnico regional da EMATER-MG, especialista em Fruticultura Comercial

A murcha do abacaxizeiro

Entre os métodos de controle eficientes contra a murcha estão:

“¢ Pulverizações sobre as plantas, contra a cochonilha, com agrotóxicos específicos e registrado para a cultura, direcionando a aplicação, de preferência, para a base e em volta das plantas;

“¢ “Arranquio“ das plantas após o plantio, que apresentarem sintomas da doença (avermelhamento / murcha), tomando o cuidado de após efetuar a retirada das mesmas colocá-las em um saco ou carrinho de mão e levá-las para fora da lavoura, onde deverão ser queimadas;

“¢ Controle efetivo das formigas doceiras;

“¢ Lançando mão do controle integrado teremos como evitar ou reduzir bastante a incidência de cochonilha nas lavouras de abacaxi e, consequentemente, a murcha do abacaxizeiro.

 

Controle da cochonilha

Entre as medidas preventivas que podem ser adotadas contra a cochonilha estão:

“¢ Utilização de mudas sadias;

“¢ Plantio de variedades menos suscetíveis à cochonilha (murcha do abacaxi), a exemplo o abacaxi Pérola e Imperial.

“¢ Controle das “formigas doceiras“;

“¢ Monitoramento da lavoura e proceder a erradicação das plantas logo no início da presença da cochonilha ou de algum sintoma;

“¢ Eliminação completa dos restos culturais “soqueira“, de preferência roçar, picar e incorporar o material no solo e aguardar a decomposição do mesmo para proceder novo plantio na mesma área;

“¢ Tratamento químico (inseticida específico e registrado para a cultura) das mudas antes do plantio, quando essas mostrarem a presença de cochonilha;

“¢ A utilização do “mulching“ (filme plástico) no plantio tem se mostrado promissor na redução da disseminação da cochonilha na lavoura.

A cochonilha pode reduzir drasticamente a produtividade e a qualidade dos frutos - Crédito Ana Maria Diniz
A cochonilha pode reduzir drasticamente a produtividade e a qualidade dos frutos – Crédito Ana Maria Diniz

Mulching

Podemos denominar “mulching“ a aplicação de uma cobertura sobre o solo, constituindo um obstáculo físico à translocação de energia e vapor de água entre o solo e a atmosfera. Essa técnica (mulching sintético), utilizada no cultivo do abacaxi, reduz a infestação de ervas daninhas; diminui as perdas de água do solo (manutenção da umidade), reduz a disseminação de pragas na lavoura, o uso e o custo com agrotóxicos, protege o solo e o meio ambiente, pode reduzir o ciclo e aumentar o rendimento da cultura e a qualidade da produção.

A utilização da técnica do “mulching“ consiste em aplicar um filme plástico com máquina apropriada sobre canteiros levantados com equipamento (tratorizado) apropriado ou manualmente. Posteriormente, efetua-se o plantio das mudas em orifícios sobre o plástico, no espaçamento adequado e pré-determinado.

Recomenda-se sua utilização tanto em plantio de sequeiro como irrigado. O custo dessa técnica, considerando aluguel das máquinas e equipamentos, mais o filme plástico e a mão de obra, fica em torno de R$ 3.500,00/ha. Considerando a redução de custos com capinas, herbicidas, inseticidas, economia de água, como também os benefícios para a planta e produção, seu custo-benefício é bastante favorável ao investimento na técnica pelo produtor.

Essa matéria você encontra na edição de julho da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua.

Inicio Revistas Hortifrúti Cochonilha - Duplo dano ao abacaxi