Como cuidar do cafeeiro com equilíbrio nutricional?

0
175

Autores

Viviane Maria RuelaDoutoranda em Agricultura Sustentável – Universidade José do Rosário Vellano (Unifenas)

Regina Maria Quintão LanaProfessora de Fertilidade e Nutrição de Plantas – UFU

Mara Lúcia Martins MagelaDoutoranda em Fitotecnia – UFU

Luciana Nunes GontijoDoutoranda em Produção Vegetal – UFU

Café – Crédito: Shutterstock

O mês de setembro marca o final da safra de café 2020/21. Segundo dados divulgados pela Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), que é a maior do segmento, com sede no Sul de Minas e tendo mais de 11 mil cooperados, foram colhidos 92,54% da safra de café 2020, conforme levantamento divulgado na primeira semana de setembro.

Nesse momento de finalização da safra, o produtor já deve se atentar ao manejo de pós-colheita do café, o qual exige muita atenção, principalmente em alguns pontos, como: controle de broca, podas em lavouras mais velhas ou que necessitam desse manejo devido à alta safra, intempéries climáticas ou o próprio manejo safra zero, bem como as pulverizações com protetivos e o preparo para a adubação.

Época de adubação dos diferentes tipos de fertilizantes

Com a retomada do período chuvoso, o manejo da adubação deve ser muito bem planejado. O ciclo vegetativo e produtivo do cafeeiro começa assim que as primeiras chuvas caem, pois tem-se o aumento das temperaturas e o fornecimento de água para o solo.

Nesse momento que estamos, as plantas estão vindo de um período de repouso e, especificamente neste ano, também sofreram com estresse hídrico. Apesar dos volumes hídricos significativos no início do ano, já são meses sem chuvas, o que pode afetar a próxima safra. Como consequência, os cafeeiros vêm perdendo bastante folhas e, provavelmente, também perderam algumas raízes, principalmente as mais finas e superficiais.

A condução de uma adubação adequada da lavoura de café deve considerar vários fatores, dentre eles a idade e necessidade da cultura, conforme suas características vegetativas e produtivas; bem como a disponibilidade de nutrientes do solo e seu equilíbrio e, então, indicar os adubos apropriados, as doses e modos de aplicação, visando atender às necessidades da cultura.  

Manejo

A melhor época para adubação do cafeeiro ainda é bem discutida, e varia de acordo com a fonte, tipo de proteção do fertilizante ou recomendação do fabricante. Para adubos convencionais, a Fundação Procafé recomenda fazer a 1ª adubação de 20 – 30 dias após a florada principal, o que, normalmente, coincide com o início de novembro. Depois, recomendam-se mais dois parcelamentos, sendo um no final de dezembro e o último em meados de fevereiro.

Cafeicultores e técnicos, ao usarem ou recomendarem fertilizantes para o cafezal, tendem a se preocupar mais com a quantidade e se descuidam da fonte, do modo e época de aplicação dos produtos, aspectos estes tão importantes quanto o estabelecimento da dose.

O Brasil é um dos países com maiores destaques mundiais na produção agrícola, entretanto, as taxas de aproveitamento dos nutrientes pelas plantas ainda são muito baixas devido à predominância de solos com características como argilominerais 1:1, ou óxido; alta acidez e baixo teor de matéria orgânica, o que torna a produção agrícola muito dependente de fertilização.

Gargalos

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.