Inicio Revistas Hortifrúti Como cultivar acelgas

Como cultivar acelgas

0
385

Glaucio da Cruz Genuncio

Professor de Fruticultura ” Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

glauciogenuncio@gmail.com

Elisamara Caldeira do Nascimento

Doutora em Agronomia e professora da Sesitec – MT

Talita de Santana Matos

Doutora em Agronomia

Rafael Campagnol

Professor de Olericultura – UFMT

Crédito Shutterstock

A acelga (Beta vulgaris) é da família das Quenopodiáceas (a mesma da beterraba), porém, e diferentemente desta, a parte consumida é a aérea, e podem ser comercializadas tanto com a apresentação de folhas verdes e compactas até vermelhas e roxas, dependendo da variedade plantada.

O excelente desenvolvimento das folhas e do talo é o diferencial deste cultivo. Um cuidado especial é a não confusão da acelga com a couve chinesa (Brassicapekinensis). Atualmente, a acelga é uma planta muito utilizada na produção de microverdes.

Quanto às qualidades organolépticas, a acelga é uma planta que se destaca por seu conteúdo de vitaminas A e C, além de fibras e de seu acúmulo de cálcio e ferro. Quanto aos aspectos agronômicos básicos, ao se cultivar a acelga, respostas produtivas são obtidas quando são cultivadas em temperaturas entre 15 e 30°C, UR entre 60 a 80% e irradiância entre 1.200 a 1.500 µmol de fótons m-2s-1, além de pluviosidade entre 1.000 a 1.200 mm.

 

Cultivo protegido

 

O cultivo da acelga em ambiente protegido apresenta inúmeras vantagens, tais como a redução significativa do ataque de pragas e doenças, a eliminação de intempéries que podem ocasionar danos e perdas produtivas causadas pela chuva ou pelo vento. Ressalta-se, ainda, que o cultivo protegido engloba um conjunto de práticas e tecnologias utilizadas pelos produtores para um cultivo mais seguro de plantas, como a acelga.

Por outro lado, para uma maior eficiência do uso deste tipo de cultivo, torna-se necessário compreender a inter-relação da acelga com fatores microclimáticos dentro do ambiente protegido. Por assim dizer, o cultivo da acelga pode ser afetado por diversos fatores, tais como: ambientais, genéticos (variedades) e fisiológicos, como: transpiração, respiração, absorção de água e elementos minerais e seu transporte; além do clima, temperatura, fotoperíodo, entre outros.

Especificamente, tanto a qualidade quanto a quantidade de luz afetam consideravelmente o crescimento e o desenvolvimento dos vegetais. Sendo assim, o uso de ferramentas que possibilitem o controle no que diz respeito à radiação solar podem promover o aumento da precocidade, produtividade e permitir a produção fora de época da acelga.

 

Inovação

O excelente desenvolvimento das folhas e do talo é o diferencial deste cultivo – Crédito Pixabay

Uma das principais inovações no assunto está relacionada a modificações ambientais em função do uso de filmes ou malhas de cobertura que alteram o balanço de radiação do sistema composto pela planta, solo e atmosfera.

Esta tecnologia pode propiciar aumentos à produtividade de até 200% na acelga, a partir do efetivo controle de temperatura no interior da casa de vegetação, do uso de telas de sombreamentos termorrefletoras ou com pigmentos que selecionam o comprimento de onda mais eficaz no processo de fotossíntese, maximizando o aproveitamento da energia solar.

Além disso, a associação do cultivo protegido às técnicas de fertirrigação e hidroponia apresenta melhorias no controle nutricional da acelga, com a aplicação de nutrientes baseada em curvas de absorção e doses diárias nas quantidades necessárias e de acordo com o estádio da cultura, além da redução no ataque de patógenos do solo, tais como fungos e bactérias.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

SEM COMENTÁRIO