Como cultivar pimentas Capsicum

0
526

Autores

Cleide Maria Ferreira Pinto Engenheira agrônoma, doutora e pesquisadora – Embrapa/Epamigcleide@epamig.br

Sérgio Maurício Lopes Donzele Engenheiro agrícola, doutor e pesquisador da Epamigsergio.donzeles@gmail.com

Pimenta – Crédito: Shutterstock

A diversidade de propriedades benéficas presentes nas pimentas do gênero Capsicum e sua grande aplicação na culinária, indústria de alimentos, farmacologia, odontologia, medicina, entre outras e, mais recentemente, sua utilização como planta ornamental, indicam a grande importância do seu cultivo para o agronegócio.

A oleorresina extraída da pimenta (concentrado oleoso), um corante natural utilizado na indústria de alimentos para corrigir ou intensificar a cor de certos produtos e também como flavorizante, é um produto supervalorizado no mercado nacional e internacional. A páprica, pó de coloração vermelha obtido pela moagem de frutos desidratados de pimenta e de pimentão, é um dos condimentos mais consumidos no mundo.

Benefícios

As pimentas do gênero Capsicum apresentam expressiva importância econômica e social para o agronegócio mundial. Os dados disponíveis de produção mundial de Capsicum englobam pimentas e pimentões. Em 2018, a produção mundial foi de 40,9 milhões de toneladas em uma área cultivada de 3,8 milhões hectares.

Os principais produtores foram: China (45,3%), México (8,4%), Turquia (6,3%), Indonésia (6,2%), Índia (4,6%), Espanha (3,1%), Nigéria (2,0%), Egito (1,9%), Estados Unidos (1,7%), Argélia (1,6%) e Tunísia (1,1%).

Com relação ao Brasil, estatísticas de produção de Capsicum sp não se encontram disponibilizadas nos informativos da FAO, mas estima-se que a área de produção seja de 13.000 ha, com produção anual de cerca de 280.000 t. Acredita-se que são, aproximadamente, 5 mil hectares de área cultivada de pimenta por ano, gerando uma produção de 75 mil toneladas.

Minas Gerais é o principal Estado produtor de pimentas, seguido por São Paulo, Goiás, Ceará e Rio Grande do Sul. A produção mineira de pimenta, em 2019, foi de 2.898 t.

A Centrais de Abastecimento de Minas Gerais S/A (CeasaMinas), no ano de 2019, em todas as suas unidades, comercializou, aproximadamente, 1.095 t de pimenta fresca, no valor de R$ 9.383.351,39, sendo 99,3% procedentes de Minas Gerais e o restante de São Paulo e Goiás.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.