Como escolher a melhor semente?

0
71

Ana Beatriz Crivéllibiacriveli@gmail.com

Marcelo Fernando Pimentamarcelofpimenta@outlook.com

Graduandos em Agronomia – Centro Universitário de Ourinhos (Unifio)

Adilson Pimentel JúniorEngenheiro agrônomo, doutor em Agronomia e professor no Centro Universitário de Ourinhos – Unifioadilson_pimentel@outlook.com

Soja – Créditos: shurtterstock

A escolha da semente é o principal passo para o sucesso da lavoura, por isso sempre é importante fazer a escolha correta. Portanto, se o produtor escolher mal as sementes ou usar sementes não certificadas, poderá ter prejuízos por não ter o potencial garantido, refletindo em baixa produtividade.

A melhor semente a ser escolhida para a lavoura deve apresentar um vigor alto, e ainda uniformidade do grão, qualidade fisiológica, taxa de germinação, ciclo adequado à realidade local, pureza, resistência mecânica e ao ataque de patógenos. 

Além desses requisitos, para a escolha da semente é preciso ficar atento à idoneidade da empresa que irá fornecer as sementes para o plantio. Isso vai evitar as perdas devido à pirataria. O produtor também precisa verificar se a empresa faz tratamento de sementes e se a semente escolhida é adaptada para a região de plantio, considerando o sistema de plantio adotado.

Mesmo após verificar todas essas características, o produtor pode pedir ao vendedor provas do desempenho agronômico da semente e da produtividade. Caso a empresa não apresente esses dados, é indicado procurar experimentos em que foi utilizada a semente em questão.

Benefícios proporcionados

Os benefícios da escolha correta da semente são: qualidade da produção, melhor germinação e emergência, máximo potencial produtivo, agilidade no desenvolvimento, plântulas emergem mais rápido, folhas trifoliadas maiores, população de plantas mais adequada e vigorosas, raízes mais profundas, maior produção de vagens e sementes, rendimento maior de grãos, maior rentabilidade e menor consumo de semente.

Todas essas técnicas da escolha e implantação da semente de soja, feitas passo a passo e corretamente, garantirão ao produtor uma produtividade satisfatória, excelente qualidade do produto e aumentará seus lucros. Uma semente de alta qualidade pode apresentar até 24,3% a mais de produtividade em relação a uma semente de baixa qualidade.

Em campo

A qualidade de uma semente é composta por diferentes atributos, dentre eles a qualidade fisiológica. Para determinar essa qualidade, devemos considerar a germinação e o vigor, a germinação e o percentual de sementes que originam plântulas, além do vigor, que é a soma de atributos que conferem o potencial para uma emergência rápida e uniforme, além do desenvolvimento sob condições diversas do ambiente.

Com a utilização de sementes de alto vigor, o agricultor tem uma lavoura mais produtiva e, por esse motivo, é fundamental conhecer muito bem as sementes que serão utilizadas na plantação, para que a produtividade seja sempre elevada.

Sementes de boa qualidade trarão ao produtor uma boa uniformidade de germinação e desenvolvimento, maior tolerância a intempéries climáticos e estresse com competição, além do alto potencial produtivo e melhor rentabilidade ao produtor.  

Erros mais frequentes

Os erros mais comuns na hora de escolher a semente são: optar pelo preço mais em conta, escolher a semente devido ao mercado e não levar em conta a idoneidade da empresa.

Para evitar esses erros, um estudo deve ser realizado para obter sucesso na lavoura. É importante adquirir sementes certificadas e de revendedores credenciados, com um alto nível de pureza, germinação e vigor.

Realizar o transporte com o mínimo de danos mecânicos também é importante, além de armazenar este material antes da semeadura em local fresco e sombreado.   

Custo-benefício

Supondo que um produtor adquira dois tipos de sementes: a semente A: Pirata e a semente B: Certificada.

A semente A sendo uma semente pirata, custa em torno de R$ 200,00. Porém, ocorre uma série de fatores que podem prejudicar sua área de cultivo. Durante a colheita podem surgir contaminações de sementes indesejadas, como a de plantas daninhas, além de pragas e doenças que causarão problemas de manejo futuramente, sendo então contaminadas.

Durante a sua manipulação e beneficiamento podem surgir danos mecânicos, prejudicando o vigor e germinação, acarretando falhas na área e má produtividade. Assim, é inviável o plantio dessas sementes que não são certificadas.

Já a semente B, sendo uma semente certificada, custa em média R$ 400,00/saca. Porém, elas possuem altos testes de qualidade, entre os quais podemos citar a pureza, ou seja, livre de sementes indesejadas, como plantas daninhas, pragas e doenças, que acarretarão complicações futuras.

Elas ainda são beneficiadas e selecionadas de acordo com o tamanho, possuem altas taxas de vigor e germinação, e durante o processo de embalagem e transporte elas sofrem o mínimo de danos mecânicos e influências com temperatura e clima. Conclui-se que a semente B será mais vantajosa em relação à semente A.