25.6 C
Uberlândia
quarta-feira, junho 19, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiComo fazer calagem e adubação do caquizeiro

Como fazer calagem e adubação do caquizeiro

Renato Alves Pereira

Engenheiro agrônomo da Casa da Agricultura de Guararema

alves.pereira@cati.sp.gov.br

O desenvolvimento vegetal é função de diversos fatores, tais como água, ar, luz, temperatura e sais minerais. A produtividade ideal não é função apenas de um solo com níveis ideais de fertilizantes, mas também dos teores de matéria orgânica, de umidade, de boas condições climáticas, do potencial genético e do adequado controle fitossanitário. Assim, um solo fértil não será necessariamente um solo produtivo, mas potencialmente capaz de produzir boas safras.

O manejo do solo e a nutrição da planta devem visar a manutenção das características químicas, físicas e biológicas do solo ideais para o crescimento e desenvolvimento das plantas. Para evitar o processo erosivo do solo e tornar eficaz a ciclagem de nutrientes, o solo deve se manter permanentemente coberto por vegetação.

O uso de fertilizantes deve ser baseado em análise de solo e de folhas, bem como no crescimento dos ramos produtivos e na produção, minimizando, assim, o risco de contaminação ambiental por excesso de fertilizantes.

Manejo de solo coberto - Crédito Renato Alves Pereira
Manejo de solo coberto – Crédito Renato Alves Pereira

Calagem

A necessidade de calagem é a quantidade de calcário necessária para neutralizar a acidez do solo que decorre do balanço de H+ e OH. Sempre que se tem mais H+ do que OH ocorre a acidificação do solo. O aumento de H+ é decorrente dos ácidos orgânicos, da sua liberação pelas raízes no processo de absorção e da lixiviação de nutrientes.

Portanto, a calagem prepara o solo para a adequada nutrição das plantas. Os benefícios decorrentes desse preparo são: neutralizar o alumínio e manganês tóxicos, aumentar os teores de cálcio e magnésio, aumentar a disponibilidade de fósforo e molibdênio, aumentar a atividade dos microrganismos, e elevar o pH.

Todavia, é preciso evitar aplicações exageradas, porque elas podem reduzir a disponibilidade de alguns nutrientes e prejudicar as características físicas do solo.

As necessidades nutritivas do caquizeiro variam nas diferentes fases do ciclo fenológico da planta - Crédito Pixabay
As necessidades nutritivas do caquizeiro variam nas diferentes fases do ciclo fenológico da planta – Crédito Pixabay

Passo a passo

A calagem deve ser feita antes do plantio e do preparo das covas, em áreas mecanizáveis, visando proporcionar uma profunda incorporação, o que não seria possível após o plantio. Nas áreas não mecanizáveis, o calcário deve ser aplicado no preparo da cova.

Os benefícios oriundos da aplicação de calcário são restritos à sua profundidade de aplicação, sendo impraticável a incorporação, em profundidade, nos pomares implantados, pelos riscos oferecidos ao sistema radicular das frutíferas. Com isso, em muitos casos as condições do subsolo podem permanecer inadequadas ao crescimento radicular. Diante disso, o monitoramento mediante a coleta de amostras na camada de 20 ” 40 cm é recomendado.

O primeiro passo para a correta recomendação de calagem e adubação do caquizeiro baseia-se numa boa amostragem do solo da área de plantio, nas camadas de 0 ” 20 cm e de 20 ” 40 cm. De posse dos resultados, sob orientação técnica calcula-se a dose pelo método usado em cada região.

A incorporação do calcário deve ser feita no mínimo três meses antes do plantio, usando calcário dolomítico (25 – 30% de CaO e 13 – 20 MgO) para fornecer magnésio e manter o teor mínimo de 9mmolc/dm3 e a saturação de bases para 70%, ou calcítico (40 – 45% de CaO e 1 – 5% MgO) para solos com teor de magnésio elevado devido aos cultivos anteriores.

O pH deve ser elevado para 6,0, visando neutralizar ou reduzir os efeitos tóxicos do alumínio e/ou do manganês, e proporcionar melhores condições para absorção de alguns nutrientes essenciais, porém, se for acima de 6,5 pode provocar redução acentuada na absorção de zinco.

Se o calcário foi aplicado em área total, deve-se fazer a complementação nas covas. Para isso, use o seguinte raciocínio: o calcário aplicado em área total foi incorporado em 2.000 m3 de solo. Uma cova de 60 x 60 x 60 cm, descontando os primeiros 20 cm de profundidade, sobra 40 x 60 x 60 cm com um volume de solo de 0,144 m3, que receberá a quantidade equivalente de calcário aplicada em área total.

Por exemplo, se a quantidade de calcário aplicada em área total foi de 5.000 kg ha-1, cada cova receberá 360 gramas para complementar a operação.

A calagem prepara o solo para a adequada nutrição das plantas - Crédito Pixabay
A calagem prepara o solo para a adequada nutrição das plantas – Crédito Pixabay

Adubação

Os nutrientes necessários para o adequado desenvolvimento das árvores frutíferas são os mesmos exigidos pelas demais plantas superiores. Isto é, os macronutrientes (além do oxigênio, hidrogênio e carbono), tais como nitrogênio, fósforo, potássio, enxofre, cálcio e magnésio, que são consumidos em quantidades mais elevadas; e os micronutrientes como o boro, cloro, cobre, ferro, molibdênio, manganês e zinco, que são exigidos em pequenas quantidades.

Todavia, eles desempenham papel tão importante quanto os macronutrientes e a sua carência pode levar a uma sensível queda de produção. Para esclarecer a diferença entre macro e micronutrientes, pode-se dizer que os primeiros são recomendados em quilogramas, enquanto os micronutrientes em gramas.

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Alerta – Resistência das plantas aos fungos

Claudia Vieira Godoy Pesquisadora Embrapa Soja "Fitopatologista claudia.godoy@embrapa.br A resistência nada mais é que um processo natural de seleção. Toda vez que se usa muito um determinado...

Proibição do paraquate aumentaria custo de produção em 129%

Para a CNA, defensivo agrícola paraquate tem de ser reavaliado cientificamente, pois até os Estados Unidos mantêm seu uso   De acordo com dados apresentados pela...

As perdas de alimentos e o Brasil 

Jornal “Folha de São Paulo“, Caderno Mercado, 27/05/2017   Marcos Sawaya Jank (*) Altivo A. Almeida Cunha (**)   Um terço do que é desperdiçado no mundo já seria...

Algas estimulam o crescimento do milho safrinha

Nilva Teresinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora do Curso de Engenharia Agronômica do Centro Regional Universitário de Espírito...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!