18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Notícias Condicionamento das propriedades biológicas do solo melhora resultados na agricultura

Condicionamento das propriedades biológicas do solo melhora resultados na agricultura

 

Programa de adubação biológica auxilia na recomposição da biodiversidade e devolve a vida ao solo

DCIM100MEDIADJI_0008.JPG

As reflexões sobre o agronegócio brasileiro tendem a chamar a atenção para os recordes de produção, indicadores de geração de empregos e renda. Olhar o solo é quase um exercício de estudo de bastidores, ao qual órgãos internacionais têm se dedicado. Desde 1935, o solo é reconhecido internacionalmente como um recurso natural e não renovável pelo órgão norte-americano, que atualmente leva o nome de Natural ResourcesConservation Service (NRCS). Há mais de 80 anos, o órgão alertava para os prejuízos sociais e econômicos decorrentes da degradação do solo causada pela combinação de ventos, erosão e agricultura. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) aponta que os solos acolhem 95% da produção alimentar e mais de um quarto da biodiversidade do planeta.

No Brasil, pesquisadores como Fernando DiniAndreote, Doutor em Genética e Melhoramento de Plantas pela ESALQ/USP e, entre outros títulos, Coordenador da área de Microbiologia do Solo na Sociedade Brasileira de Microbiologia ” tem se dedicado ao estudo da microbiologia e da biodiversidade do solo. Em recente artigo publicado na revista BioBrasil, Andreote cita que estudos, com outros especialistas como como VigdisTorsvik e ElkeJurandyBran Nogueira Cardoso, ambos da ESALQ/USP, apontam valores de aproximadamente 107 a 109 células vivas em um único grama de solo, divididas em aproximadamente de 10 mil a 30 mil espécies. Dentre essas espécies, podem ser encontradas bactérias, fungos, arqueias, vírus, protozoários, insetos, anelídeos, nematoides, algas e as próprias plantas.

Ainda nesse artigo, Andreote destaca capacidade de re-inocular a biodiversidade e aumentar a atividade biológica do solo.No mercado, entre as alternativas disponíveis para esse procedimento, há o Adubo Biológico MICROGEO®, composto por microrganismos, nutrientes e fitormônios, uma alternativa bem sucedida para promover benefícios físicos, químicos e biológicos ao solo, favorecendo o aumento das comunidades ali presentes e a biodiversidade. Ele auxilia no incremento da diversidade e no reequilíbrio dos microrganismos que vivem associados às plantas, fornecendo nutrientes e incentivando o crescimento e até proteção contra agentes patógenos. Os resultados práticos desse processo podem ser atestados pela empresa brasileira Agristar, uma das maiores do país na produção e comercialização de sementes de hortaliças, flores e frutas. Estudos realizados em 2015 e 2016 focaram a produção de tomate dominador e de abóbora italiana, com aplicação anual de Adubo Biológico de 300 L/ha, na Estação Experimental localizada em Santo Antônio de Posse, no interior do Estado de São Paulo.

No cultivo do tomate da variedade dominador, na área com aplicação do Adubo Biológico MICROGEO®, a Agristar registrou aumento de 10,5% na produtividade, em relação à área testemunha, sem aplicação do produto. Outro ganho constatado com a adubação biológica foi aumento de 14,87 % no peso dos frutos, quando comparados os frutos das duas áreas.

A outra cultura analisada foi da abóbora tipo italiana.  Nesse caso, o programa de Adubação Biológica MICROGEO® também elevou os níveis da produção. A área com aplicação de MICROGEO® registrou aumento de 11,3% no número de frutos e um ganho de 11,7% no peso dos frutos, em comparação com a área de plantio sem MICROGEO®.

“Há dois anos, integramos a adubação biológica ao nosso manejo padrão, tendo em vista o incremento na produção aliado ao condicionamento do solo. Nós optamos por essa estratégia de buscar melhores resultados, apostando no recondicionamento do solo“, explica Henrique Geniselli, Coordenador da Estação da Agristar. Já Paulo Antonio D’Andrea, diretor de P&D da MICROGEO®, acrescenta que muitos agricultores brasileiros ainda não visualizam os benefícios da fertilidade percebida pelas plantas e, consequentemente, a melhora dos resultados. “Trabalhamos como uma força tarefa para conscientizar os produtores de que o recondicionamento biológico do solo deve estar incluso nas práticas de manejo agrícola, buscando a sustentabilidade e lucratividade de sua atividade“, finaliza D’Andrea.

Como funciona o MICROGEO®?

O MICROGEO® é um componente balanceado para nutrir, regular e manter a produção contínua do Adubo Biológico, o qual é produzido pelo próprio agricultor, através da instalação da Biofábrica CLC® (Compostagem Líquida Contínua), em sua propriedade, com suporte da empresa.

A produção no local de aplicação é estratégica. Afinal, parte dos micro-organismos, nutrientes e metabólicos envolvidos na Compostagem Líquida Contínua® são exclusivos da localidade. A Adubação Biológica MICROGEO® visa reestabelecer a biodiversidade microbiana do solo, além de estimular a microbiota local, o que garanteo condicionamento das propriedades físicas, químicas e biológicas do solo, seja para agricultura, pecuária ou reflorestamento.

A Compostagem Líquida Contínua® é uma biotecnologia inovadora para a produção do Adubo Biológico pelo próprio agricultor no campo. O Adubo Biológico é aplicado via pulverização nas doses de 150 L/ha nas culturas anuais e 300 L/ha nas culturas permanentes, em qualquer temperatura, luminosidade ou mesmo umidade.

Informações para a imprensa:

ADRIANA ROMA
adriana@haproposito.com.br
skype: adriana-roma
+55 (19) 9 9265-9955

Inicio Notícias Condicionamento das propriedades biológicas do solo melhora resultados na agricultura