18.6 C
Uberlândia
quarta-feira, maio 22, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosFlorestasConservação das matas ciliares

Conservação das matas ciliares

Andressa Trestres.andressa@gmail.com

Bruna Kovalsykikovalsyki.b@gmail.com

Doutoras em Engenharia Florestal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Fernanda Moura Fonseca Lucas Doutoranda em Ciências Florestais – Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)fernanda-fonseca@hotmail.com

Mata – Crédito: Shutterstock

Mata ciliar é a vegetação presente ao longo de cursos d’água, como os rios, e no entorno de outros corpos d’água, como as lagoas e as nascentes. Somada ao solo e à fauna, essa vegetação forma o ambiente ciliar. Aliás, o termo “ciliar” te lembra alguma coisa?

Assim como a função dos cílios é proteger os nossos olhos, as matas ciliares têm como função proteger os rios, as nascentes e outros corpos d’água. Logo, faixas marginais de curso d’água natural, áreas no entorno dos lagos e lagoas naturais, das nascentes, olhos d’água e veredas são definidas pelo Código Florestal (Lei n° 12.651, de 25 de maio de 2012) como Áreas de Preservação Permanente (APP).

A APP é definida pela referida lei como uma “área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas”.

Porém, é importante ressaltar que as matas ciliares são somente algumas das delimitações previstas pelo Código Florestal como Áreas de Preservação Permanente. Outros exemplos de APP são: topos de morro, manguezais e restingas.

Quais as funções ecológicas das APPs?

A presença da vegetação nativa na borda dos rios cumpre diversas funções ecológicas e viabiliza ações que agem diretamente no desenvolvimento agropecuário. Conheça as vantagens da permanência das matas ciliares e as consequências de sua remoção.

ð Corredores ecológicos – por serem grandes cinturões de vegetação, as matas ciliares garantem a conectividade entre fragmentos florestais e formam ambiente propício para o tráfego de animais silvestres, que transitam em busca de alimentos e moradia. Consequentemente, os corredores ecológicos facilitam a dispersão de sementes, aumentando também o fluxo gênico dessas áreas. 

ð Conservação da fauna e flora – a mata ciliar é um ambiente de interação entre fauna e flora terrestre e aquática, sendo uma importante aliada para conservação da biodiversidade, uma vez que nestes espaços a ação antrópica é limitada. A conservação da fauna também é importante para a agropecuária, uma vez que é essencial para garantir a polinização de diversas culturas.

ð Proteção do solo – a presença de vegetação no ambiente ciliar cria uma barreira natural fundamental para a proteção do solo. Esta barreira estabiliza os barrancos e atua impedindo que a chuva incida diretamente na superfície do substrato, dificultando assim que a terra seja carreada (processo que chamamos de erosão) e depositada em corpos hídricos. A erosão pode gerar perda de produtividade da terra, devido ao empobrecimento do solo com a lixiviação dos nutrientes.

 Sem esta vegetação a terra pode deslizar em grandes quantidades e acumular nos fundos dos rios, ação denominada de “assoreamento”. Este processo reduz o volume de água, torna-a turva e, em alguns casos, impossibilita a entrada de luz, extinguindo a condição de vida para algas e peixes. Também limita o fornecimento hídrico para a agricultura e impede a navegação.

ð Qualidade da água – a vegetação ao longo dos corpos hídricos impede que sedimentos sejam carreados e depositados na água, conservando a sua qualidade. A mata ciliar age como filtro à chegada de nutrientes, fertilizantes e agrotóxicos. Além disso, a copa das árvores absorve a energia solar e diminui a temperatura da água. O aumento da temperatura provocado pela extração da mata ciliar aumenta a viscosidade da água, provoca a ação tóxica de elementos e compostos químicos, assim como a submersão de muitos microrganismos.

Conservação das APPs protege os rios e nascentes

A presença de vegetação, tanto no entorno de cursos d’água quanto nas demais áreas previstas em lei e classificadas como Áreas de Preservação Permanente, é imprescindível na conservação da água e do solo. A perda de cobertura vegetal nesses locais faz com que o nível da água dos rios seja vulnerável a grandes variações, tanto em períodos de seca como nos mais chuvosos.

Em locais sem vegetação, o nível da água sobe com a precipitação pluviométrica, mas é rapidamente escoado após a sua passagem, visto que nesses casos a infiltração no lençol freático é mínima. Além disso, o escoamento superficial no terreno carrega o solo e resíduos sólidos para dentro dos rios, podendo causar, além da erosão nas lavouras, o assoreamento, enchentes e contaminação da água dos rios.

Em contrapartida, em locais mais conservados, a vegetação atua como um agente regulador e mantém a umidade por mais tempo no solo e no ambiente. Isso acontece uma vez que a presença de vegetação age como uma esponja que permite a infiltração da água no solo, favorece a recarga do lençol freático e proporciona um escoamento gradativo até o rio.

Importância de proteger esse recurso

A água é um recurso fundamental finito, usufruído por todos os organismos vivos e setores da sociedade. O consumo de água é tão automático no dia a dia que às vezes é possível esquecer o tamanho da importância que esse recurso tem para a nossa sobrevivência.

As necessidades mais básicas do ser humano são supridas com a água, seja para hidratação ou para a produção de alimentos na agricultura e na pecuária.

Todos os processos estão interligados e o desequilíbrio dos ecossistemas traz sérias consequências para a economia, como pragas, doenças, secas extremas, enchentes, falta de energia, etc. Conservar as Áreas de Preservação Permanente, assim como manter a reserva legal prevista em lei, é a garantia da manutenção dos recursos naturais que todos precisamos usufruir.


O que diz a lei?

O Código Florestal (Lei n° 12.651, de 25 de maio de 2012) prevê a largura ideal da faixa de mata ciliar, dependendo da largura do rio, conforme apresentado na tabela. É importante ressaltar que a obrigatoriedade de manutenção da área de preservação permanente existe tanto em rios perenes quanto nos intermitentes.

Situação Largura mínima da faixa de APP
Rios com menos de 10 m de largura 30 m em cada margem
Rios com 10 a 50 m de largura 50 m em cada margem
Rios com 50 a 200 m de largura 100 m em cada margem
Rios com 200 a 600 m de largura 200 m em cada margem
Rios com largura superior a 600 m 500 m em cada margem
Nascentes Raio de 50 m no entorno
Lagos ou reservatórios em áreas urbanas 30 m ao redor do espelho d’água
Lagos ou reservatórios em zona rural, com área menor que 20 ha 50 m ao redor do espelho d’água
Lagos ou reservatórios em zona rural, com área igual ou superior a 20 ha 100 m ao redor do espelho d’água

Em áreas rurais consolidadas, o Código Florestal considera o tamanho do imóvel para definição da faixa de recuperação de APP. A faixa de recuperação pode variar de cinco a 100 metros, dependendo da quantidade de módulos fiscais de cada propriedade. Precisando recuperar a sua área de preservação permanente, consulte a legislação vigente ou um profissional da área ambiental habilitado.

Apesar da reconhecida importância, as matas ciliares continuam sob processo intenso de degradação.Ter uma mata ciliar reconstituída traz benefícios ecológicos, econômicos e sociais, afetando diretamente o desenvolvimento agropecuário.

Assim, manter as Áreas de Preservação Permanente protegidas e providenciar a recuperação daquelas que se encontram degradadas é essencial para evitar futuras consequências negativas para a produção agropecuária e, consequentemente, para a qualidade de vida humana.

ARTIGOS RELACIONADOS

Transportadoras de madeira e celulose

O transporte de cargas pesadas requer uma responsabilidade redobrada, tanto das ...

Solo fértil – Sinônimo de alimento de boa qualidade

  Os nutrientes têm várias funções: possibilitam o funcionamento metabólico da planta, permitem que ela complete o ciclo de vida, tenha produção adequada e com...

Gliricídia fixa nutrientes no solo

A gliricídia (Gliricidia sepium) é uma árvore representante da família Fabaceae que pode ...

Prevenção de incêndios florestais

Entre as inúmeras funções de uma floresta, as perspectivas social, econômica e ambiental ....

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!