Consorciação de mamão e outras culturas

0
170

Deniete Soares MagalhãesPós-doutoranda na Universidade Federal de Lavras (UFLA)denieteagro@yahoo.com.br

Mamão – Crédito: Satis

A consorciação é a associação de uma cultura, como o mamoeiro, com uma ou mais, numa mesma área, podendo o mamoeiro ser consorciado com culturas perenes ou anuais, atuando como cultura intercalar ou principal.

Dentre as vantagens do cultivo consorciado podemos citar: melhor utilização da área, diminuição de riscos de perdas totais por fatores imprevistos, melhor uso dos recursos ambientais, maior produção de alimentos por área, estabilidade de rendimento, melhor proteção contra o ataque de pragas, doenças e plantas daninhas, melhor utilização de mão de obra familiar, melhor controle da erosão, diversificação da dieta alimentar, além de proporcionar diversificação da fonte de renda.

Culturas para serem consorciadas com mamão

Por apresentar um ciclo, em média, de dois a três anos, o mamoeiro pode ser intercalado com plantas de ciclo curto ou permanentes. Dentre as culturas de ciclo mais curto, consideradas temporárias, verificam-se em pomares comerciais consórcios de mamoeiro com feijão, milho, arroz, batata-doce, amendoim, leguminosas para adubação verde, entre outras.

Já com culturas permanentes tem sido consorciado com macadâmia, café, graviola, goiaba, acerola, manga, citros, coco, abacate, entre outras, principalmente com o objetivo de amenizar o custo de implantação destas lavouras, uma vez que o controle de plantas daninhas, a adubação e a irrigação poderão ser comuns às culturas consorciadas.

No caso de coberturas vegetais/adubos verdes, as espécies mais recomendadas para o consórcio com o mamoeiro são feijão-de-porco (anual), crotalárias (anuais), calopogônio (perene), amendoim forrageiro (perene) e braquiária ruziziense (perene).

Manejo

Para o consórcio, devem ser observados vários aspectos, tais como: identificação de culturas apropriadas, espaçamentos compatíveis, ciclo das culturas e o sistema de manejo das culturas associadas. Após a escolha das culturas a serem consorciadas, o primeiro passo é a definição do espaçamento ideal de cada uma delas.

O segundo passo é a montagem do arranjo de plantas mais adequado, levando em conta os benefícios que podem proporcionar, a facilidade no manejo e outros fatores.

No caso do café, que necessita de sombreamento após sua instalação, especialmente em regiões mais quentes, em consórcio com o mamoeiro este irá proporcionar um sombreamento adequado, com a diminuição de temperatura junto à muda.

O mamão entrará em fase de queda de rendimento no mesmo período em que o café começará a entrar em produção, ou seja, após três anos da implantação do consórcio. Dessa forma, o mamão viabilizará a fase inicial e improdutiva do café, proporcionando a geração de renda neste período.

Normalmente, o mamão é plantado na mesma linha do café, pois nesse espaçamento é possível mecanizar e trabalhar na entrelinha com roçadeiras e uso de tração animal. Pode-se, ainda, diversificar mais o consórcio plantando, por exemplo, com adubos verdes na entrelinha de cultivo entre o mamão e café.

Mais produtividade

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.