14.3 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosControle biológico e nutricional do fusarium em feijoeiro

Controle biológico e nutricional do fusarium em feijoeiro

 

Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto

Doutorando em Agronomia/Fitopatologia na Universidade Federal de Lavras (UFLA)

felipemoretti113@hotmail.com

 

Controle biológico e nutricional do fusarium em feijoeiro - Crédito-Nilton-Jaime
Controle biológico e nutricional do fusarium em feijoeiro – Crédito-Nilton-Jaime

Dentre os principais fatores da baixa produtividade do feijoeiro encontram-se as doenças causadas por patógenos que habitam o soloe podem provocar prejuízos severos, chegando a 100% de perdas.

O complexo Fusarium causa duas doenças: a murcha de fusarium e a podridão radicular seca. A murcha de fusarium tem causado grande impacto à produtividade do feijoeiro na região Sul de Minas Gerais, sendode enorme dificuldadeo seu controle e a ocorrência cada vez maior nas áreas produtoras, podendo causar até 80% de perdas em uma área.

O fungo causador é o Fusariumoxysporumf.sp. phaseoli, que pode ser disseminado dentro e entre lavouras pelo movimento do solo, fragmentos infectados de tecidos do hospedeiro, água de drenagem ou irrigação, sementes contaminadas, homem e equipamentos agrícolas.

Sintomas

A podridão radicular seca é causada pelo fungo Fusariumsolanif. sp. phaseoli, uma doença que ocorre em todas as regiões produtoras do Brasil e que tem aumentado nos últimos anos, podendo causar grandes prejuízos.

Os principais sintomas dessa doença são observados na parte aérea das plantas, que murcham, e as folhas amarelecem, secam e caem a partir da base da planta, podendo ocasionar o escurecimento do sistema vascular. Quando ocorrem condições climáticas favoráveis, nota-se a presença de massa de esporos de coloração rosaclara no caule.

Os sintomas iniciais desta doença são caracterizados por estrias longitudinais, de coloração vermelha, no hipocótilo e na raiz de plântulas ou plantas jovens. Com o passar do tempo surgem lesões irregulares, avermelhadas, que coalescem com o desenvolvimento da doença, tornam-se marrons, estendendo-se até a superfície do solo.

As raízes primárias geralmente são destruídas, dificultando as plantas de absorverem água e nutrientes de maneira adequada. O patógeno pode destruir todo o sistema radicular, resultando em um estande irregular com plantas subdesenvolvidas.

O complexo Fusarium causa duas doenças a murcha de fusarium e a podridão radicular seca - Crédito Ana Maria Diniz
O complexo Fusarium causa duas doenças a murcha de fusarium e a podridão radicular seca – Crédito Ana Maria Diniz

Controle

O controle de patógenos de solo deve ser feito de forma preventiva, recuperando-se a estrutura do solo e recompondo a comunidade microbiana, fragilizada pela agricultura intensiva. Uma alternativa para recompor a comunidade microbiana presente no solo é a aplicação massal de agentes de controle biológico.

O controle químico de fitopatógenos habitantes do solo não se mostra eficiente em muitos casos, deixando assim a população em um nível maior do que o aceitável, contribuindo para o inóculo inicial da doença no próximo ciclo de cultivo. Outro ponto importante é que não há o problema de resistência em relação ao uso contínuo de um ingrediente ativo, como no caso de produtos químicos.

Assim, a utilização de Trichoderma tem sido uma alternativa eficiente, tendo, inclusive, dois produtos registrados para o controle da podridão radicular seca do feijoeiro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Entre os ingredientes ativos estão os fungosTrichodermaharzianume Trichodermaasperellum, que ageminibindo e bloqueando o desenvolvimento de fitopatógenos no solo, utilizando-se de alguns mecanismos como a antibiose, o parasitismo e a competição.

Além disso, estes produtos permitem o bom desenvolvimento radicular da planta, liberando metabólitos que atuam como fitohormônios na decomposição de matéria orgânica e na liberação de nutrientes, além de bloquear o efeito alelopático negativo do fitopatógeno.

Biológicos x nutrição

Além da utilização de agentes de controle biológico, deve-se preocupar com o equilíbrio nutricional das plantas e, no caso da cultura do feijoeiro, o fósforo merece uma atenção especial, pois aumenta a chances de sucesso no controle da murcha de Fusariumquando aplicado no sulco de semeadura.

O uso em conjunto de Trichoderma e fósforo irá favorecer a promoção de crescimento da planta de feijoeiro, aumentando assim a possibilidade de saída da janelade susceptibilidade da doença.

A aplicação de Trichodermaasperellum deve ser de 100 gramas por 100 kg de sementes no tratamento de sementes.Já a aplicação de Trichodermaharzianumdeve ser de 800 a 1.000 ml por hectare na aplicação no sulco de plantio, e a aplicação de fósforo deve ser feita no sulco de plantio de acordo com a recomendação para cada área.

Vale a pena?

A relação custo-benefício do uso de Trichoderma visando o controle de doenças de solo é muito boa, porém, o agricultor deve fazer o uso associado a outras ferramentas do manejo e, nesse contexto, a utilização da adubação com fósforo pode aumentar a chance de sucesso no controle de Fusarium na cultura do feijoeiro.

Assim, no próximo ciclo de cultivo a necessidade de aplicações químicas reduzirá, pois o inóculo inicial dos patógenos presentes na área será menor, e isso ocorrerá de forma gradativa.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nematoides em batata e cenoura causam perdas milionárias

Os nematoides parasitas de plantas representam uma grave ameaça à produção de alimentos em todo o planeta, principalmente em países tropicais, a exemplo do Brasil. Prova disto é a inclusão dos nematoides na lista do Ministério da Agricultura das pragas com maior potencial de provocar prejuízo à agricultura brasileira.

Parceria forte – AgroCultivo e Vivaz Consultoria

AgroCultivo e Vivaz Consultoria fecham acordo de distribuição das mudas de morango e framboesa da empresa espanhola ViverosCalifornia para o mercado brasileiro Em novembro, os...

XIV Seminário Nacional de Milho Safrinha acontece em Cuiabá, em novembro

Cuiabá, capital de Mato Grosso, recebe em novembro o XIV Seminário Nacional de Milho Safrinha (SNMS). Realizado a cada dois anos, o evento é...

Moringa oleífera cultivada em sistema biodinâmico

A moringa oleífera (Moringaceae) é uma hortaliça arbórea que chega a até oito metros de altura. Planta cultivada inicialmente na Índia,ela é considerada por...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!