Controle de pulgão no milho

0
185

Especialista da FMC reforça que a praga será um motivo de atenção para os produtores

Pulgões – Foto: Divulgação

Nos últimos anos, algumas pragas que eram consideradas secundárias na cultura do milho, passaram a ganhar destaque, tornando-se um problema real para alguns agricultores, como é o caso do pulgão (Rhopalosiphum maidis). O período mais crítico da praga é o pendoamento, ou quando a planta forma o pendão – área preferida pelo inseto, podendo causar sérios danos na fase reprodutiva da planta, se não for bem manejado.

Em temperaturas altas e baixas precipitações, a população é favorecida e se reproduz rapidamente, alimentando-se da seiva das plantas. Além disso, o inseto também é responsável pela secreção de uma substância açucarada que facilita o desenvolvimento da fumagina, um fungo que prejudica a fotossíntese das plantas, e  pode ainda ser vetor de doenças causadas por vírus e bactérias.

Além disso, plantios tardios de milho safrinha estariam mais sujeitos a períodos de estiagem mais prolongados, favorecendo o ataque da praga.

Por todos esses fatores, o controle do pulgão-do-milho tem se tornado cada vez mais essencial dentro do planejamento do agricultor, e uma necessidade para garantir cada vez produtividades melhores. O Desenvolvimento de Mercado da FMC, Paulo Tarso, dá dicas de como ter um controle efetivo da praga.

  1. Monitore sua lavoura para levantamento do pulgão: a partir do monitoramento é possível identificar o nível populacional da praga e os dados, para assim, determinar a necessidade e qual a ferramenta deve ser utilizada. Acima de 50 indivíduos é considerado um alto nível de infestação e necessita de manejo químico.
  2. Eliminação de plantas hospedeiras: após realização do monitoramento, ao notar a presença do inseto, o agricultor também pode realizar a eliminação das plantas atingidas a fim de diminuir a propagação do inseto na lavoura.
  3. Controle com defensivos: após identificar a necessidade de controle mais efetivo, o produtor pode realizar o controle aéreo com defensivos, respeitando as recomendações de aplicação do fabricante. 
  4. Após aplicações de defensivos, os monitoramentos devem continuar: é preciso verificar como está o andamento do controle da praga e se há necessidade de nova aplicação.

A FMC, empresa de ciências para agricultura com forte capacidade de pesquisa e desenvolvimento, possui um portfólio completo para o controle das principais pragas, doenças e plantas daninhas para cultura do milho, sempre com foco na produtividade e sustentabilidade das lavouras. Para o pulgão, a FMC possui o Talisman®, produto completo para alta performance e residual que contribui para um manejo mais eficiente do pulgão, mas também percevejos, cigarrinha e outros insetos.

Para saber mais, acesse: www.fmcagricola.com.br/.

 Sobre a FMC

A FMC Corporation, uma companhia de ciências para agricultura, fornece soluções inovadoras para produtores de todo o mundo com um portfólio de produtos robusto, impulsionado por uma descoberta orientada para o mercado e desenvolvimento em proteção de cultivos e manejo de pragas e doenças nas principais culturas. Essa poderosa combinação de tecnologias avançadas inclui a liderança no mercado de controle de insetos, além de contar com soluções como herbicidas, fungicidas e biológicos. A FMC Corporation emprega aproximadamente 6.500 funcionários em todo o mundo. Para saber mais, visite www.fmc.com e www.fmc.com.br.