Correto manejo nutricional do mamoeiro

0
56

Antônio Rafael Neri dos Santosrafaelnsantos29@gmail.com

Lucas Guilherme Araujo Soareslucasifpa@gmail.com 

Graduando em Agronomia – Universidade Federal da Amazônia (UFRA), Campus Capitão Poço – Pará

Antonio Santana Batista de Oliveira FilhoMestre em Agronomia e tutor presencial – UNOPAR – Balsasa15santanafilho@gmail.com

Mamoeiro – Crédito: José Eduardo Borges

O mamoeiro é uma planta de crescimento, florescimento e frutificação constantes e, por conseguinte, a partir do início de produção demonstra que é constante a demanda por água e nutrientes frequentes, permitindo o fluxo contínuo de produção de flores e frutos (Trindade et al., 2000; Crisóstomo, 2009).

A nutrição mineral e a adubação do mamoeiro vêm sendo abordadas como prioridade nos sistemas de produção do mamão, pela utilização da análise de solo e da análise foliar para a diagnóstico da disponibilidade de nutrientes e o seu equilíbrio nutricional, para obtenção de alta produtividade e qualidade dos frutos (Alves et al, 2003).

A amostragem de solo da área, é feita normalmente na profundidade de zero a vinte centímetros, três a seis meses antes da implantação da cultura (Trindade et al., 2000). A diagnose foliar, baseada em métodos padronizados de amostragem, é o critério mais eficaz na avaliação do estado nutricional do mamoeiro, com a grande vantagem de se considerar a própria planta como um extrator dos nutrientes do solo, permitindo a avaliação direta de seu estado nutricional, constituindo, assim, uma forma indireta de avaliação da fertilidade do solo (Alves et al, 2003).

Identificação visual

O Incaper – Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural, realizou um estudo sobre a deficiência e excesso de macro e micronutrientes. A deficiência de nitrogênio se manifesta nas folhas mais velhas na forma de clorose foliar devido à redução da formação de clorofila, enquanto o excesso pode causar o amolecimento da polpa do mamão, característica indesejável para a qualidade do fruto.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.