Corretores de carência nutricional

0
28

Aldeir Ronaldo SilvaEngenheiro agrônomo e doutorando direto em Fisiologia e Bioquímica de Planta – ESALQ/USPaldeironaldo@usp.br 

João Pedro Ramos da SilvaEngenheiro agrônomo – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)joaopedro_r@outlook.com

Pulverização – Crédito: Shutterstock

As hortaliças são de grande importância nutricional para o consumo humano, devido aos diversos benefícios à saúde humana. Além disso são utilizados na indústria farmacêutica devido às propriedades como antioxidante, antisséptico, analgésico e expectorante (Oliveira et al., 2003).

Durante o cultivo de hortaliças, se faz o uso intenso do solo, promovendo o aumento das exigências nutricionais nas plantas. Essa exigência pode representar até 25% do custo de produção, com relação ao uso de fertilizantes. Dessa forma, é importante o manejo nutricional eficiente, com o objetivo de fornecer quantidades de nutrientes adequadas de maneira economicamente viável.

A baixa concentração desses nutrientes minerais nas plantas pode ocorrer por meio de vários fatores, como a existência de uma baixa concentração no solo, impossibilitando a absorção pelas plantas.

Outro fator é o excesso ou a deficiência de um nutriente, que podem provocar o acúmulo ou a redução de outro nutriente, referente a uma relação de sinergismo ou antagonismo. Além disso, a incidência de algumas doenças pode produzir sintomas semelhantes à deficiência nutricional.

Dessa forma, o uso de corretores nutricionais envolve uma complexidade, afim de obter alta eficiência da técnica. Dessa forma, se faz uso de corretores nutricionais com o objetivo de suplementar concentrações dos nutrientes em deficiência no cultivo.

Corretores de carência nutricional

Esses fertilizantes corretivos viabilizam para plantas, nutrientes minerais em concentrações adequadas, afim de não promover efeito tóxico ou antagônico a outro nutriente. Esses nutrientes minerais são classificados em macro e micronutrientes, divisão essa em função da quantidade exigida pela planta. 

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.