Inicio Destaques Cultivo de chuchu

Cultivo de chuchu

0
141

Diego Henriques SantosPesquisador – Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM)dh.agroengenharia@gmail.com

Quênia de Souza BarrosPesquisadora – Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM)qsflorestal@gmail.com

Chuchu – Crédito: shurtterstock

Versátil e benéfico à saúde, o chuchu é também um aliado da economia doméstica, por ser barato em comparação a outros alimentos. De fácil cultivo, presente em todo o planeta, cresce praticamente em todo lugar onde for plantado, podendo ser encontrado em qualquer época do ano.

O chuchu é uma planta trepadeira originária da América Central e do México. Está entre as dez hortaliças mais consumidas no Brasil. A planta é semiperene e o fruto atinge o ponto de colheita em torno de 12 a 14 dias, quando está macio e sem fibras.

Dependendo da cultivar, o fruto pode ser classificado em grande, médio ou pequeno – a cor pode ser branca, creme, verde-claro ou verde-escuro, e com ou sem espinhos macios na superfície.

Os frutos são consumidos principalmente cozidos, em salada e conserva. É um alimento nutritivo, sendo fonte de diversas vitaminas, sais minerais, aminoácidos livres e fibras. Por essas características e por ser de fácil digestão, é um alimento recomendado para dietas. Tem poucas calorias e é rico em minerais como fósforo, potássio, cálcio e magnésio, bem como em vitamina C, em fibras e antioxidantes.

Características

A planta pertence à família Curcubitaceae, a mesma do pepino, melancia, maxixe, melão e abóbora. Seu cultivo é mais comum na agricultura familiar e ideal para pequenas propriedades.

O chuchu é uma cultura dependente de insetos polinizadores, abelhas principalmente, fator que deve ser levado em consideração na decisão sobre a necessidade de se aplicar ou não determinados produtos fitossanitários.

O cultivo prefere temperaturas amenas, entre 15 e 28°C. O frio é um fator limitante e a cultura não tolera geadas. Temperaturas acima de 28°C fazem com que a planta brote em excesso e provocam queda de flores e frutos.

As altitudes ideais para a produção são aquelas acima de 700 metros, com ótima produção em altitudes entre 1.000 e 1.200 metros. Pode ser plantado o ano todo em regiões de clima quente, com irrigação.

Quanto ao solo, as plantas se desenvolvem bem em todos os tipos de solo, desde que bem preparados e manejados e não toleram terrenos encharcados. Evitar locais com ventos fortes, pois provocam a quebra de ramos e brotações e a queda de flores e frutos.

Produção brasileira

O chuchu segue crescendo em importância como alimento no Brasil, maior produtor do mundo dessa hortaliça. O País possui uma produção anual de aproximadamente 271.344 toneladas, sendo o Espírito Santo o maior produtor, com 49.972 toneladas, seguido pelos Estados de São Paulo, com 44.134 toneladas, Rio de Janeiro, com 37.490, Bahia, com 33.967 e Minas Gerais, com 32.614 toneladas.

O valor total desta produção supera a marca de R$ 133 milhões. De acordo com as estimativas do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil possui 16.160 estabelecimentos agropecuários que cultivam chuchu, sendo que 3.853 estão localizados no Estado de Minas Gerais, que concentra o maior número destes estabelecimentos, seguido pelos Estados de Santa Catarina e Bahia.

O Estado de São Paulo possui três regiões produtoras de chuchu denominadas serrana e metropolitana, localizadas no planalto, e litorânea. Na região serrana, os maiores produtores são os municípios de Amparo, Atibaia, Monte Alegre do Sul e Socorro.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.

SEM COMENTÁRIO