Defensivo para combate ao bicudo do algodoeiro é liberado

0
158

 Devido a uma exigência do Paquistão, o uso emergencial de agrotóxicos à base de Brometo de Metila em fibras e caroço de algodão, destinados à exportação, foi autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A medida para combate ao bicudo do algodoeiro foi publicada nesta quinta-feira, 5 de dezembro, no Diário Oficial da União.

Empresas interessadas em comercializar o produto devem requerer aprovação para uso emergencial e apresentar termo de compromisso para geração e apresentação dos estudos necessários à realização do registro definitivo do agrotóxico.  O registro do Brometo de Metila, para uso emergencial, será cancelado se constatado problema de ordem agronômica, toxicológica ou ambiental.

O bicudo do algodoeiro foi identificado no Brasil em 1983 e causa danos às estruturas reprodutivas do algodoeiro e ao produto final, reduzindo diretamente a produção do algodão. Segundo o coordenador-geral de agrotóxicos e afins do Mapa, Carlos Venâncio, a medida é necessária para impedir a suspensão do comércio com o Paquistão. “Várias práticas são adotadas para o manejo dessa praga, no entanto o uso desse defensivo é uma exigência formal do país importador de fibras e caroço de algodão“, disse.