17.7 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasDegradação florestal na Amazônia Legal aumenta 1.070% em outubro

Degradação florestal na Amazônia Legal aumenta 1.070% em outubro

Os dados são da Ong Imazon, que fica no Pará, na comparação com o mesmo período do ano passado

Uma grande área desmatada da floresta Amazônica, na América do Sul. Muitos seres vivos extinguem-se com o corte e queima de árvores
Uma grande área desmatada da floresta Amazônica, na América do Sul. Muitos seres vivos extinguem-se com o corte e queima de árvores

O levantamento não-oficial de desmatamento feito pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), de Belém, apontou nova alta na devastação da floresta amazônica em relação ao ano passado.

O SAD, como se chama esse monitoramento independente, detectou 244 km² de desmatamento na Amazônia Legal em outubro de 2014. Isso representou um aumento de 467% em relação a outubro de 2013, quando o desmatamento somou 43 km².

O Imazon destacou que, por causa da cobertura de nuvens, foi possível monitorar 72% da área florestal na Amazônia Legal enquanto que em outubro de 2013 o monitoramento cobriu uma área menor: 69% do território.

Em outubro de 2014, o desmatamento se concentrou em Rondônia (27%), Mato Grosso (23%), seguido pelo Pará (22%) e Amazonas (13%), com menor ocorrência em Roraima (9%), Acre (5%) e Amapá (1%).

As florestas degradadas (parcialmente destruídas) na Amazônia Legal somaram 468 quilômetros quadrados em outubro de 2014. Em relação a outubro de 2013 houve um aumento de 1.070%, quando a degradação florestal somou 40 quilômetros quadrados.

O SAD do Imazon já havia indicado aumento de 191% em agosto e setembro de 2014, em relação ao mesmo bimestre de 2013. Em termos absolutos, naqueles meses, a alta foi de 288 km² para 838 km².

O levantamento do Imazon é paralelo ao realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que utiliza o sistema Deter. O dado mais recente do Deter foi divulgado em setembro, com números referentes aos meses de junho e julho, e também indicava aumento de 195% no desmate na comparação entre os dois meses de 2013 e 2014. As informações são utilizadas pelo Ministério do Meio Ambiente para controlar a devastação do bioma. A pasta não quis comentar os dados do Imazon, posto que não são oficiais.

 

Por: G1

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Biofertilizantes – Você já conhece?

Joara Secchi Candian Natália de Brito Lima Lanna Bacharéis em Agroecologia e doutorandas em Agronomia (Horticultura) Antonio Ismael Inácio Cardoso Professor da UNESP/FCA " Departamento de Horticultura,...

Verão pede pepino indústria

A cultura do pepino apresenta grande potencial de produção em praticamente todo o território nacional, com o desenvolvimento e a ampliação de redes de...

Qualidade do tomateiro é elevada com programa contra pragas

Pedro Victor V. Quinute Teixeira Técnico Agrícola, graduando em Agronomia pela UFLA,membro do Núcleo de Estudos em Sementes e consultor na Terra Júnior Consultoria Agropecuária pedrovictor@terrajr.com Maria...

Telas – Mais proteção no cultivo de tomate

AutoresLuana Keslley Nascimento Casais luana.casais@gmail.com Rhaiana Oliveira de Aviz rhaianaoliveiradeaviz@gmail.com Emanoel dos Santos Vasconcelos emanoeldsvpgm@gmail.com Graduandos em Agronomia - Universidade Federal Rural da Amazônia...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!