Dessecação pré-plantio é essencial no planejamento agrícola

0
171

Anna Carolina Abreu Francisco e Silvaannacabreufs@gmail.com

Igor Botega Junqueiraigorbotega@gmail.com

Graduandos em Agronomia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Letícia Silva Pereira BasílioDoutoranda em Agronomia/Horticultura – UNESPleticia.ufla@hotmail.com

Crédito Leandro Paiola Albrecht

O planejamento agrícola é uma etapa essencial no processo de produção, realizado com base na avaliação de fatores que possam interferir na produção, sendo necessário planejar todos os insumos necessários para o pleno desenvolvimento da cultura, como as operações, adubos e defensivos agrícolas, sementes e maquinários.  

A dessecação pré-plantio é uma técnica agronômica de manejo realizada com o intuito de eliminar toda a vegetação ainda presente em uma área, como plantas daninhas e restos culturais da safra anterior, antes da semeadura da cultura de interesse. Quando bem realizada e no momento correto, garante melhores resultados de produção, além de uma maior eficiência no uso de defensivos agrícolas.

Esta operação tem por objetivo facilitar o plantio, promover um melhor desenvolvimento para as plantas, aumentos na produtividade e o controle de plantas daninhas.

Danos

A presença de plantas daninhas e restos culturais na lavoura pode funcionar como hospedeira de pragas, pois atacam as culturas no início do ciclo, além de apresentarem a capacidade de sobreviver aos períodos de entressafra e competir junto à cultura principal por água, luz e nutrientes durante todo o desenvolvimento das plantas. 

A dessecação pré-plantio é realizada a partir do uso de um ou mais herbicidas, sistêmicos ou de contato, responsáveis por realizar a secagem das plantas daninhas e remanescentes. A aplicação deve ser realizada em torno de 30 dias antes do plantio, de forma que seja respeitado o período residual do herbicida, evitando assim danos à cultura seguinte.

Para a realização da dessecação, deve-se ter conhecimento do tipo de vegetação presente na área, a partir da identificação das espécies e o estágio de crescimento das plantas, determinando assim o tipo de defensivo químico a ser utilizado.

Técnicas para evitar a resistência

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.