23.3 C
São Paulo
sábado, julho 2, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Eventos Dia de Campo destaca evolução do beneficiamento de café

Dia de Campo destaca evolução do beneficiamento de café

Durante o evento foi exposto o projeto de secagem estática de café com capacidade de processar 10.000 sacas sem o uso de terreiro

 Fotos Palini & Alves
Fotos Palini & Alves

Vocês conseguem imaginar um projeto no qual uma safra de aproximadamente 10.000 sacas não passou pelo terreiro? Pois é exatamente isso que os visitantes puderam acompanhar durante o Dia de Campo Palini & Alves, nas Fazendas Reunidas ACP e Filhos, realizado no dia 12 de julho, em Carmo do Rio Claro (MG).

O evento contou com a presença de mais de 250 produtores de diversas regiões de Minas Gerais e São Paulo, além da presença de donos de armazéns na região, pesquisadores, em especial o professor Ivan Franco Caixeta, do IF Sul de Minas – campus Machado, e do consultor de café e apresentador do programa “Papo de Cafeicultor“, Guy Carvalho.

Atualmente, os grandes desafios dos cafeicultores estão em buscar a sustentabilidade, a agregação de valor e a redução dos custos de produção. De acordo com o diretor da Palini & Alves, Carlos Henrique Palini, “o projeto de secagem estática apresentado busca atender exatamente esta demanda de redução de custos, especialmente os relacionados à mão de obra“.

Pontos importantes

Carlos Henrique, diretor da Palini & Alves juntamente com os diretores da Fazendas Reunidas
Carlos Henrique, diretor da Palini & Alves juntamente com os diretores da Fazendas Reunidas

A correta secagem do café é um processo crucial para manutenção da qualidade do produto, porém, quase sempre requer um intenso uso de trabalho. O uso de terreiros tradicionais na secagem tem por desvantagem questões como necessidade de amplo espaço para instalação e manejo, a restrição na capacidade de seca nos picos da colheita, a dependência dos fatores climáticos (chuva e sereno), o dano físico nos grãos, além dos já mencionados custos com mão de obra.

Com o objetivo de facilitar o trabalho do produtor nesta etapa de secagem, a Palini & Alves lançou em 2016 o seu Secador Estático para café. A primeira grande vantagem deste sistema é eliminar a seca no terreiro, do pé de café diretamente para o Secador Estático. Ele elimina a necessidade de movimentação dos grãos durante o processo e, por isso, consegue trabalhar com qualquer grau de umidade e qualquer estado de maturação.

Para Bruno Marquês, representante Palini & Alves e responsável pelo projeto, “o Secador Estático permite flexibilidade em termos de volume, atendendo tanto pequenos como grandes produtores, a um custo acessível, inclusive para os produtores de menor porte, especialmente quando comparamos aos custos de instalação de terreiros“.

Ainda segundo Bruno, um projeto desta magnitude necessita de um suporte constante que só a Palini & Alves oferece. “Começamos a discutir o projeto há um ano, e é uma grande satisfação vê-lo em plano funcionamento, atendendo nossos clientes“.

Um diferencial importante é a experiência e liderança de mercado que só a Palini & Alves pode oferecer, incluindo a qualidade no atendimento pós-venda, um diferencial reconhecido no mercado.

A qualidade do Secador Estático se baseia nos equipamentos Palini & Alves que o acompanham, como a fornalha de fogo indireto, o alimentador de palha automático e o ventilador tipo turbina de rotor duplo. Além disso, possui uma estrutura robusta, totalmente metálica.

Carlos Henrique destaca como grande diferencial do sistema de turbina com rotor duplo de alto rendimento a possibidade de secagem das duas caixas simultaneamente, com ar quente ou frio, flexibilizando assim o operacional, com um único motor elétrico e única fornalha. “A turbina é uma exclusividade Palini & Alves“, orgulha-se.

Para Léo Pereira, sócio das Fazendas Reunidas ACP e Filhos, “o projeto funcionou muito bem e está dando um resultado muito interessante, com total eliminação de todo o processo no terreiro de café. Isso vai beneficiar em qualidade, tempo e redução de custos“, afirmou Léo.

Opções

Os participantes conheceram a secagem estática de café que elimina terreiro
Os participantes conheceram a secagem estática de café que elimina terreiro

O diretor da Palini & Alves, Carlos Henrique, falou sobre a capacidade do projeto: “São oito secadores duplos, com 16 caixas aquecidas por uma única caldeira, com capacidade total de secagem de 256 mil litros“.

Para Eduardo Renê, coordenador de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé, “a Palini realmente busca a inovação, e para isso se mantém muito próxima do produtor, percebendo sua real necessidade“. Essa dedicação ficou clara para os presentes no Dia de Campo.

O consultor de café e apresentador do programa “Papo de cafeicultor“, Guy Carvalho, realizou uma palestra aos presentes sobre tecnologias visando aumento de competitividade, com foco na secagem do café. Para Guy, “a Palini & Alves é uma empresa que busca a tecnologia, a inovação e oferece isso ao produtor, ou seja, é uma parceira do campo“.

Essa matéria completa você encontra na edição de setembro de 2018 da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

Inicio Eventos Dia de Campo destaca evolução do beneficiamento de café