28.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesÉ necessário reduzir o desperdício de alimentos

É necessário reduzir o desperdício de alimentos

Crédito Miriam Lins

O volume global de perdas e desperdício de alimentos estimado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Alimentação e  Agricultura (FAO) corresponde a um terço da produção mundial de alimentos, atingindo valores da ordem de 1,3 bilhões de toneladas por ano, volume este que seria suficiente para alimentar 2 bilhões de pessoas. Estas perdas e desperdícios têm implicações severas para a segurança alimentar e emissões de CO2.

Eliana Paula Ribeiro, Coordenadora do Curso de Engenharia de Alimentos do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), lembra que a população mundial atinge atualmente cerca de 7,5 bilhões de pessoas e deve atingir 10 bilhões até 2050. Segundo a ONU, 800 milhões de pessoas passam fome no mundo e que, até 2050, a produção de alimentos deve crescer em pelo menos 69 % para alimentar a população prevista. “Faz parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU a meta 12.3 de até 2030 reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita”, diz a especialista.

É importante ressaltar que por perdas entende-se a redução da quantidade disponível de alimentos para o consumo humano nas fases de produção, pós-colheita, armazenamento, abastecimento e transporte, enquanto o desperdício é resultante do descarte de alimentos que ainda têm valor comestível. “As perdas e desperdícios, além de reduzir a quantidade de alimentos, apresentam impactos financeiros, uma vez que geram menores recursos para os produtores e aumentam os preços para os consumidores, e resultam em desperdício dos recursos naturais utilizados na produção como, por exemplo, água, energia, insumos e trabalho”, afirma Eliana. 

Em toda a cadeia de produção de alimentos existem formas de evitar as perdas e os desperdícios, principalmente por meio de investimentos em pesquisa, melhoria de processos e de infraestrutura, educação e conscientização do consumidor. Para erradicar a fome se faz necessário que todos os setores da sociedade participem e façam esforços para reduzir as perdas e desperdícios de alimentos. “Neste sentido, vários trabalhos conjuntos envolvendo empresas, governos, instituições de ensino e pesquisa, organizações internacionais, agricultores e sociedade civil estão sendo realizados para acelerar o atingimento da meta 12.3. O engajamento e a conscientização do consumidor também são extremamente importantes para reduzir as perdas e os desperdícios”, completa.

Sobre o Instituto Mauá de Tecnologia

O Instituto Mauá de Tecnologia – IMT promove o ensino científico-tecnológico há 60 anos, visando formar recursos humanos altamente qualificados. Com dois campi, localizados em São Paulo e São Caetano do Sul, o IMT conta com um Centro Universitário e um Centro de Pesquisas. O Centro Universitário oferece cursos de graduação em Administração, Design e Engenharia, e agora também dois novos cursos – Ciência da Computação e Sistemas de Informação. Na pós-graduação, são oferecidos cursos de atualização, aperfeiçoamento e especialização (MBA), nas áreas de Gestão, Design, Engenharia e Tecnologia da Informação. O Centro de Pesquisas desenvolve tecnologias para atender às necessidades da indústria e atua como importante elemento de ligação entre as empresas e a academia. 

ARTIGOS RELACIONADOS

Nutrientes essenciais para o desenvolvimento e formação de couve-flor

A couve-flor (Brassica oleracea var. botrytis) é uma hortaliça do tipo inflorescência, pertencente à família Brassicaceae, mesma à qual pertencem o repolho, o brócolis e a couve comum, sendo considerada uma espécie de clima temperado (Santos et al., 2011).

Qual o papel da irrigação nas mudanças climáticas?

Estudo realizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) indica que uma em cada nove pessoas no mundo (ou cerca de 805 milhões de pessoas) não tem comida suficiente para levar uma vida saudável e ativa.

Brasil apresentará seu modelo de agricultura sustentável na COP 27

Projeções indicam safra recorde de grãos em 2022/2023 no país. Garantir segurança alimentar no planeta alinhada a processos sustentáveis de produção será um dos principais temas debatidos no encontro no Egito.

Sistemas agroflorestais cumprem 11 dos 17 ODS estabelecidos pela ONU

PRETATERRA, iniciativa que se dedica à disseminação da agricultura regenerativa, mostra os benefícios trazidos pela prática

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!