21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosEmbrapa desenvolve algodão de fibra longa

Embrapa desenvolve algodão de fibra longa

 

Luiz Paulo de Carvalho

Pesquisador da Embrapa na área de melhoramento genético

lpaulo@cnpa.embrapa.br

Crédito Isaias Alves
Crédito Isaias Alves

Uma pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) obteve fibras longas de algodão, que o Brasil não produz e precisa importar para atender um nicho específico de mercado. Se novas pesquisas com as variedades desenvolvidas comprovarem a produtividade destas plantas, o País poderá cultivar em território nacional fibras que hoje compra de outros países e que, inclusive, já chegou a importar do Egito.

Características

O que a Embrapa desenvolveu foram linhagens de algodão herbáceo com fibras mais longas, com 32 a 34 mm no HVI, aproximando-se este último valor das fibras extralongas. Esse material ainda não tem nome e são apenas linhagens que deverão passar por alguns anos de testes antes de se tornarem cultivares e, portanto, não estão ainda no mercado.

Antes destas, a Embrapa já havia desenvolvido outras cultivares de fibra longa, como a BRS ACACIA e a BRS 336, entre outras já disponíveis no mercado.

Benefícios

O algodão de fibra longa e extralonga produz fios mais finos e com maior resistência, sendo a qualidade dos tecidos derivados deles melhor. O extralongo também é usado na fabricação de linhas.

Apenas 3% da produção mundial de algodão é de fibras longas e extra longas. Se considerarmos a produção de algodão do Brasil em 2010 de aproximadamente 1.040.000 toneladas de pluma, teríamos em torno de 31.000 toneladas de fibra longa e extra longa. Esta seria a demanda por fibras longas e extralonga do Brasil, o que corresponderia a uma área plantada em torno de 21.000 ha.

A produção deste tipo de algodão está diminuindo nos países produtores, então, seria vantajoso se o Brasil pudesse produzir para exportar.

Crédito Isaias Alves
Crédito Isaias Alves

Para breve

É importante frisar que os materiais obtidos ainda não são comerciais. São apenas linhagens de algodão herbáceo com comprimento de fibra mais longo que o usual de fibra longa.

A Embrapa Algodão já desenvolveu, antes desta pesquisa, outros materiais de fibra longa e que são comerciais, como dito anteriormente. A diferença para estes novos materiais desenvolvidos é que o comprimento de fibra é um pouco maior.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nova safra de algodão 2023

Investimento em pesquisa de ponta não falta para tornar a cotonicultura brasileira a melhor do mundo

Fevereiro é o mês de definir a segunda safra

  Ronaldo Teixeira Economista, contador e profissional da área agrícola ronaldoteixeira@mprado.com.br   Para a safrinha deste ano estima-se que o Brasil deve produzir entre 41,5 e 46,0 milhões de...

Preço do milho sobe e promete ser boa opção nesta safra

O panorama para produção da safrinha ainda é uma incógnita, porque o atraso das chuvas poderá impactar diretamente em uma redução da área plantada...

TMG realiza cerca de 80 mil fenotipagens de algodão, soja e milho por ano

Análise especializada de sintomas, características, expressões e comportamentos das plantas é fundamental para o desenvolvimento de cultivares resistentes a diferentes doenças e condições climáticas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!