21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiEmbrapa desenvolve filmes comestíveis

Embrapa desenvolve filmes comestíveis

Créditos-Flavio Ubiali.
Créditos-Flavio Ubiali.

Resultado de duas décadas de pesquisas e de investimentos da ordem de R$ 200 mil, os filmes comestíveis foram apresentados pela primeira vez na Agrishow. Desenvolvidos à base de diferentes alimentos como espinafre, mamão, goiaba, tomate, beterraba, maracujá, entre outros, a novidade foi apresentada pela Embrapa Instrumentação (São Carlos “SP) aos visitantes da feira no estande do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Entre as vantagens desses filmes está o reaproveitamento de rejeitos da indústria de alimentos e a substituição de material sintético, que é descartado após o uso. Os filmes têm a mesma resistência e textura dos plásticos convencionais, mas podem aumentar o tempo de vida do alimento com a adição de propriedades bactericidas.

O chefe-geral da Embrapa Instrumentação e coordenador da pesquisa, Luiz Henrique Capparelli Mattoso, lembra que o trabalho de desenvolver filmes a partir de frutas tropicais é pioneiro no mundo.

Outro destaque da Embrapa Instrumentação são sensores de baixo custo para irrigação, como os sensores Diédrico e IG, que já estão em processo de produção industrial e devem estar disponíveis ainda neste primeiro semestre de 2015 para comercialização a preços que estarão entre R$ 10 e R$ 150.

Luiz-Henrique-Caparelli-Mattoso-líder-da-equipe-que-trabalha-com-os-plásticos-comestíveis-junto-com-os-estudantes-Marcos-Lorevice-e-Caio-Gomide-Otoni-Créditos-Flavio-Ubiali.jpg
Luiz-Henrique-Caparelli-Mattoso-líder-da-equipe-que-trabalha-com-os-plásticos-comestíveis-junto-com-os-estudantes-Marcos-Lorevice-e-Caio-Gomide-Otoni-Créditos-Flavio-Ubiali.jpg

Utilização

Os instrumentos podem ser usados no campo ou na cidade, indicam a quantidade de água no solo, servem para qualquer tipo de cultura e podem ser adaptados a todas as regiões do país. Outra vantagem é que os sensores são eficazes em períodos de chuvas e em épocas de estiagem e não exigem nenhuma fonte de energia.

Essa matéria você encontra na edição de maio da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua!

 
 

ARTIGOS RELACIONADOS

Manejo de doenças da lichia

O consumo e a produção de lichia estão crescendo nos últimos anos. Apesar de cultivada no País desde a década de 70, a lichia pode ser considerada uma fruta exótica para os brasileiros, devido à limitada produção nacional, oriunda de pequenas áreas, além de apresentar pouca divulgação científica. A cultura da lichia constitui-se em uma alternativa econômica, devido à alta produtividade.

Enxofre bentonita, mais um produto incluído no portfólio da Química Anastacio

A partir do mês de maio, a Química Anastacio terá disponibilidade do produto Enxofre Bentonita 90%. Com isso, haverá aumento do portfólio de produtos,...

Teoria da dupla-relatividade para fertirrigação

  Os fertilizantes são, em geral, sais. A salinidade pode ser medida com o auxílio de um condutivímetro para identificar a Condutividade Elétrica (CE). Para...

Milho-doce orgânico – Sabor e lucratividade acentuados

Lucas Luís Faustino Doutorando em Produção Vegetal - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) lucasfaustino1987@yahoo.com.br   O milho-doce é um produto de alto valor nutritivo e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!