18.1 C
São Paulo
quarta-feira, agosto 10, 2022
-Publicidade-
Inicio Notícias Empresas do agro enfrentam dificuldades na busca por mão de obra especializada

Empresas do agro enfrentam dificuldades na busca por mão de obra especializada

Foto: Divulgação

Problema tem sido frequente em diversos segmentos na cadeia; Genesis Group está com 540 oportunidades, principalmente para o campo; a mineira Seedz busca 70 profissionais voltados à tecnologia e outras áreas, a logtech goFlux tem 16 vagas e a startup de inteligência artificial Adroit, tem até três bolsas de pesquisa

Segundo dados do IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em outubro do ano passado o País tinha cerca de 12,9 milhões de desempregados. Mesmo com um número alto assim, alguns setores sofrem com a falta de mão de obra e arrastam a meses vagas abertas, vivendo uma verdadeira caçada na busca por novos profissionais. Uma dessas áreas é o agronegócio, que cresce a cada ano e para sustentar este cenário precisa também ampliar o número de contratações.

Desde 2021 o Genesis Group, plataforma de soluções em testes, inspeções, certificações, análises e rastreabilidade para o agroalimento, está com mais de 500 vagas de emprego abertas para diversas cidades de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Bahia, Paraná, Maranhão e São Paulo. Para diferentes posições como: Classificadores de Grãos, Coordenador Contábil,  Assistente  Administrativo, Auxiliares Administrativo, Auditor de campo, Supervisor de Operações e Técnico de Suporte.

Segundo a Gerente de DHO e Academia no Genesis Group, Nancy Sert Ferreira, um dos principais obstáculos para contratar no caso deles é a falta de profissionais dispostos a atuar no agronegócio em período de safra. “Em determinadas épocas do ano, a demanda é muito alta, sendo necessário ter disponibilidade de horário”, relata.

Os processos seletivos são sempre um grande desafio para as empresas, mas segundo Nancy, a cada ano nota-se uma escassez cada vez maior de mão de obra qualificada e de pessoas dispostas a aprender e se desenvolver diante dos desafios que o agronegócio oferece. “Estamos entre as melhores empresas para se trabalhar, certificados pelo GPTW, mas mesmo assim, nos deparamos com dificuldade em algumas regiões do país e para vagas mais específicas”, reforça a executiva do Genesis Group.

A formação acadêmica é outro desafio no momento de preencher as vagas. “No campo não exigimos experiência, pois temos uma universidade corporativa, por meio da qual desenvolvemos e capacitamos nossos times, mas o número de pessoas que não concluem o ensino médio, que é o requisito mínimo para nossas vagas, ainda é elevado”, ressalta. Quem se interessar em trabalhar no grupo pode se inscrever pelos canais: http://www.genesispar.com.br/pages/trabalhe_conosco.php e https://jobs.solides.com/genesis-group.

Mais oportunidades no agronegócio

Mão de obra capacitada também é um problema na agtech mineira Seedz, uma startup de tecnologia e serviços no agronegócio, sediada em Belo Horizonte e que cresceu mais de 600% no último ano.  Por lá, são 70 vagas para os níveis pleno e sênior, para as áreas de tecnologia da informação, processamento de dados, marketing, recursos humanos e comercial.  De acordo com Leiliane Amorim, Head de Recursos Humanos, há oportunidade para atuação em Belo Horizonte/MG, na sede da empresa, e, também, para trabalho na modalidade remota ou híbrida.

Com foco em TI, algumas das vagas são para Data Analyst Intern, Data Engineer, Desenvolvedor Back-end, Desenvolvedor Front-end, Product Manager, Product Owner, BI Analyst (Tableau), Data Scientist, UI/UX Designer. “Buscamos profissionais engajados, com perfil independente e colaborativo, atraídos por desafios e ambientes dinâmicos. Pessoas que queiram fazer parte da construção e da evolução de uma empresa que nasceu para impactar positivamente toda a cadeia do agro”, diz Leiliane. Os interessados nessas oportunidades podem se candidatar em https://seedz.gupy.io.

Também na área de tecnologia, a startup Adroit, que desenvolve soluções em inteligência artificial, que reinventou o monitoramento dos pomares com seus sensores inteligentes, o sistema LeafSense. Em um crescimento exponencial, a empresa além de uma oportunidade para Desenvolver Phyton, também tem três vagas para pesquisadores, com bolsas de pesquisa pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para atuar em um projeto de expansão de cafeicultura, uma para graduado na área de computação ou engenharia, com título de mestrado ou doutorado, e outras duas bolsas para formados na área de computação ou engenharia, com pelo menos quatro anos de experiência após a conclusão do curso. Para concorrer, basta acessar o endereço: https://www.linkedin.com/company/adroit-robotics/?originalSubdomain=br.

Na logtech goFlux, que disponibiliza uma plataforma para negociação de fretes, ligando transportadoras aos embarcadores, são 16 oportunidades para trabalhar com logística no agronegócio, sendo, 12 em tecnologia para a área comercial, no bairro de Pinheiros, na capital paulista, e outras cinco para o departamento comercial.  Segundo Alessandra Alves Duarte, HR manager da empresa, eles estão praticando o modelo híbrido de trabalho, ou seja, presencial e a distância, porém uma das dificuldades, é que a maioria dos candidatos prefere somente o modelo remoto. Aqui os interessados se candidatam pelo e-mail: rh@goflux.com.br ou na aba “Trabalhe Conosco” do site.

Inicio Notícias Empresas do agro enfrentam dificuldades na busca por mão de obra especializada