Ensacamento de frutos – Produtores de goiaba atestam eficiência do método

0
223

Aline Mendes de Sousa Gouveia

Engenheira agrônoma, mestre e doutoranda em Agronomia (Horticultura) – FCA/UNESP ” Botucatu/SP

alinemendesgouveia@gmail.com

Veridiana Zocoler de Mendonça

Engenheira agrônoma e doutora em Agronomia – FCA/UNESP

 

Crédito José Emílio
Crédito José Emílio

Pelo grande apelo por qualidade e em busca de melhores preços na goiaba, houve a necessidade de aportes tecnológicos de produção, como exemplo, o uso do ensacamento de frutos. Os produtores de goiaba estão comprovando a eficácia do método no combate às pragas, como a mosca-das-frutas e o ataque de pássaros, e também na redução da aplicação de agroquímicos.

Como funciona

O ensacamento de frutos é uma técnica que consiste em utilizar sacos de papel impermeável, plástico ou TNT (tecido-não-tecido) presos ao ramo ou ao pedúnculo do fruto, com o intuito de obter frutos de melhor qualidade, pois é criada uma proteção contra o ataque de insetos e a incidência direta do sol. Os frutos, uma vez protegidos contra o ataque de pragas, reduz o uso de inseticidas, tornando este um manejo ecológico na produção agrícola.

Esta técnica é muito utilizada na fruticultura, em culturas como pessegueiro, bananeira, videira, macieira, goiabeira, entre outras fruteiras, mas também pode ser utilizada em olerícolas, como o tomate e alcachofra.

Pesquisas evidenciam que para a cultura da goiaba, o ensacamento dos frutos foi eficiente no controle de mosca-das-frutas, uma das pragas mais importantes e que causa maior dano à fruticultura, além da redução de infestação de outras pragas, e também melhor aspecto visual dos frutos com casca uniforme e sem manchas.

A utilização de sacos de papel proporcionou frutos de maior comprimento, massa e maior teor de sólidos solúveis (conhecido como °Brix). Outra vantagem é que os frutos ensacados ficam isentos de resíduos de agroquímicos.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Por onde começar

Para implantar a técnica, o ensacamento deve ser realizado nos frutos novos da goiabeira, de 01 a 05 cm de diâmetro, de modo que o saquinho envolva o fruto, protegendo-o, e seja preso ao pedúnculo ou, preferencialmente, ao ramo que o sustenta com um fitilho vegetal, arame fino ou grampo, sem causar injúria à planta.

O material do saquinho pode ser escolhido em função da preferência ou disponibilidade no mercado e de tamanho adequado aos frutos que serão produzidos.

 Crédito José Emílio
Crédito José Emílio

Opções

Diversas embalagens e dimensões podem ser utilizadas pelos produtores, como os sacos de pipoca, papel pardo, papel branco, jornal, TNT, sacos plásticos (poliproprileno ou polietileno perfurado), atentando-se para as dimensões, que podem variar de acordo com a cultivar e, ainda, as embalagens devem ser resistentes à chuva (impermeáveis) e permitir a passagem da luz e do ar.

O tamanho dos saquinhos pode variar de 10 a 21 cm de largura e de 15 a 28 cm de comprimento, e podem ser comprados prontos ou confeccionados pelo produtor. Para ensacamento dos frutos de goiaba, a exemplo da cultivar Paluma, são necessárias embalagens de no mínimo 13,5 cm x 26,0 cm, enquanto que para os frutos das cultivares Pedro Sato e Século XXI devem ter dimensões maiores, em função do maior tamanho dos frutos.

As características desses materiais para o ensacamento dos frutos e o recrutamento de mão de obra disponível para realização deste manejo constituem fatores preponderantes na escolha do tipo de material a ser utilizado.

Limitações

O ensacamento dos frutos possui como principal fator limitante a necessidade de grande quantidade de mãodeobra, que em função do tamanho do pomar pode representar aumento no custo de produção, ou seja, as frutas produzidas com este manejo chegarão ao mercado consumidor com um preço mais elevado.

Por outro lado, há redução na despesa com agroquímicos, pois com os frutos já ensacados não há mais a necessidade de aplicações. Além das questões de economicidade de produção, atualmente há um novo perfil consumidor, principalmente em relação a alimentos vegetais in natura, que busca por alimentos mais saudáveis e produzidos de maneira mais sustentável.

Deste modo, a técnica de ensacamento de frutos permite ao produtor atingir este novo perfil consumidor que se dispõe a pagar um custo mais elevado por um alimento produzido com redução no uso de agroquímicos ou até mesmo a isenção, como os alimentos orgânicos.

- Crédito Shutterstock

Viabilidade

Os sistemas de produção de goiaba com ensacamento dos frutos mostraram-se sustentáveis economicamente, com custo superior de 7,95% por hectare em relação ao sistema de produção sem ensacamento.

Em termos de produtividade, não há influência do ensacamento dos frutos por este ser utilizado com intuito de proteção contra o ataque de pragas e doenças, pássaros, incidência direta dos raios solares e também na melhoria na qualidade físico-química dos frutos como na coloração da casca e da polpa (precocidade na maturação dos frutos/amadurecimento), firmeza da polpa, acidez e teor de sólidos solúveis.

Deve-se atentar para alguns fatores em relação ao ensacamento que possam comprometer a eficiência do método, como: a época mais aconselhável para sua realização, que será influenciada, em grande parte, pelo diâmetro do fruto; o material utilizado para o ensacamento, que deve ser resistente e ao mesmo tempo garantir que não haja perdas na qualidade do fruto; o tamanho do material utilizado deve ser adequado para não prejudicar o fruto quando ele estiver no máximo desenvolvimento fisiológico; amarração das embalagens ao pedúnculo do fruto por meio de arame grosso ou de grampo não específico que possa causar ferimentos e ser porta de entrada de pragas e doenças.

A orientação ou treinamento dos funcionários que irão executar este serviço é de suma importância para o sucesso do método implantado e redução dos prejuízos de produção.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de julho de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine