EPAMIG prepara sementes de café para comercialização

0
12
Crédito Fernando Nakayama

O investimento na formação da lavoura de café é um dos pontos determinantes para a definição do potencial produtivo. Nessa fase, atenção especial deve ser dada ao plantio de mudas vigorosas, formadas a partir de sementes de alta qualidade física, fisiológica, genética e sanitária.

Outro ponto fundamental é a escolha da cultivar, com elevado potencial genético e adaptada às condições de cultivo. No Brasil, o processo de produção e comercialização de sementes segue uma legislação específica, que tem como objetivo a garantia da identidade e da qualidade do material de multiplicação.

As cultivares que podem ser comercializadas estão cadastradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC) e qualquer agente envolvido neste processo (pessoa física ou jurídica) deve estar inscrito no Registro Nacional de Sementes e Mudas (RENASEM).

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) está iniciando o preparo de sementes qualificadas de café para comercialização no ano de 2021. A disponibilização acontece no período da colheita, a partir do mês de maio. E a comercialização é feita pelos Campos Experimentais de Machado, São Sebastião do Paraíso e Três Pontas, no Sul de Minas Gerais e em Patrocínio, no Alto Paranaíba.

Opções

A quantidade e as variedades ofertadas podem variar entre as unidades. No Campo Experimental de Três PontasCETP estarão disponíveis as cultivares, Mundo Novo IAC 37919, Mundo Novo IAC 3764, Catuaí Vermelho IAC 144, Catuaí vermelho IAC 99, Catuaí Amarelo IAC 62, Catucaí amarelo IAC 2SL, Topázio MG1190, Catiguá MG 2, MGS Catiguá 3, MGS Paraíso 2, Paraíso MG H 419-1, MGS Aranãs e Acaiá IAC 47419.

“É provável que tenhamos mais algumas disponíveis, mas essas são as mais procuradas. Conforme as recomendações do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a disponibilização de sementes com alta qualidade permite aos agricultores usufruir de toda a potencialidade produtiva das novas cultivares desenvolvidas pelo melhoramento genético”, informa a engenheira agrônoma e pesquisadora Vanessa Castro Figueiredo.

Os materiais de alta qualidade fisiológica, atendem aos parâmetros exigidos pelo MAPA e à legislação vigente, sendo eles, germinação mínima de 70%, ausência de insetos vivos e 98% de pureza. Essas características contribuem para a obtenção de mudas e plantas mais sadias e produtivas.

Os pedidos podem ser feitos nas próprias unidades. Em função das restrições devido à pandemia da Covid, os contatos devem ser feitos, preferencialmente, por e-mail ou telefone. A entrega das sementes poderá ser feita presencialmente (previamente agendada) ou pelos Correios.