Erradicação e reposição de nutrientes no cafeeiro

0
176

Autores

José Braz MatielloEngenheiro agrônomo do MAPA/Procaféjb.matiello@gmail.com

Celio Landi PereiraEngenheiro agrônomo – Fazenda Santa Helena

Área onde foi praticado o método alternativo de aproveitamento dos resíduos finos dos cafeeiros – Crédito: Matiello

A erradicação dos cafeeiros da lavoura velha, visando a liberação da área para o novo plantio, pode ser feita por diversos processos, em todos eles sendo indicado preservar ao máximo o material fino, folhas e ramos que repõem nutrientes ao solo.

Um dos sistemas em uso, para eliminação dos cafeeiros, consiste no seu arranquio, por trator ou pá carregadeira, seguido da amontoa ou enleiramento do material mais grosso e sua queima, para deixar a área limpa e facilitar, em seguida, o preparo do solo.

Como funciona

Nas fazendas de café, frequentemente torna-se necessária a substituição de cafezais, os quais, por diferentes razões, se tornaram improdutivos. Nessa substituição, seja com novo cafezal ou com outra cultura, a primeira etapa consta da eliminação da lavoura antiga, ou seja, a erradicação dos cafeeiros velhos, para deixar a área livre para início da preparação do terreno, para receber o novo cultivo.

Existem diferentes sistemas de erradicação de cafeeiros, seja mediante arranquio e amontoa, seja por poda de esqueletamento prévio, seguida de arranquio e aproveitamento de lenha, sempre com o uso de maquinário munido de lâmina ou de corrente, com dificuldades no manuseio do material erradicado.

Um sistema mais novo consta do uso de um tipo de trincha pesada, para triturar todo o material dos pés de café, deixando esses resíduos como uma forma de adubo orgânico, para melhorar a fertilidade do solo.

É fácil entender que quanto mais se puder aproveitar o material vegetal dos cafeeiros, maior será o fornecimento de nutrientes existentes nesse material. Então, devem ser priorizados os sistemas que resultem nesse aproveitamento, seja no todo ou admitindo-se, no máximo, a retirada, para fora, de apenas a lenha grossa, do tronco dos cafeeiros.

O material de uma lavoura adulta pode representar mais de 500 kg/ha de NK e de outros macro e micronutrientes que serão incorporados ao solo e numa forma orgânica, com esses nutrientes sendo lentamente liberados, portanto, com o melhor aproveitamento, sem perdas.

Isso corresponde a, pelo menos, 2.500 kg/ha de uma fórmula 20-05-20, a um preço referência de cerca de R$ 2 mil por tonelada, que seria um valor de cerca de R$ 5 mil/ha de ganho com a prática de aproveitamento do material.

Manejo

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.