Erros que você não pode cometer na aplicação de fosfato

0
353

Autora

Araína Batista Hulmann  arainahulmann@gmail.com

José Geraldo MagesteProfessores da Universidade Federal de Uberlândia (ICIAG/UFU)

Aplicação de fosfato – Crédito: Antônio Nolla

Um dos erros primários que mais acontece nos plantios agropecuários é a aplicação de fosfato reativo em áreas que receberam calagem pouco antes (menos de três meses) dessa operação. Tal produto depende da acidez do solo para liberar boa parte do fósforo nele contido e aplicado em áreas onde o pH foi elevado pela calagem.

O fósforo deste fosfato natural ficará praticamente inerte e indisponível para a plantas por um bom tempo, não podendo ser consumido imediatamente. Interessante que nesta fase inicial de vida das plantas elas precisam de muito fósforo, fornecedor de energia para elas. A seguir será apresentada uma breve orientação sobre o correto manejo de aplicação de fosfato reativo, visando à alta eficiência.

Condições pedoclimáticas de aplicação do fosfato

Altas temperaturas e muita chuva caracterizam o clima de boa parte do território brasileiro. Esta combinação torna os solos do país muito profundos e com boa porosidade, características físicas que favorecem o uso para a agropecuária.

Entretanto, é comum por quase todas as regiões brasileiras que os solos apresentem baixa fertilidade, com elevada acidez e teor de alumínio e baixos teores de nutrientes, especialmente o fósforo.

Regiões como o Cerrado abrigam solos que, além de baixa fertilidade, são compostos por materiais argilosos que contêm elevados teores de óxidos de ferro e alumínio. Isto faz com que os solos “drenem” o fósforo aplicado para os cultivos, fazendo com que sejam necessárias altas doses de fertilizantes, com baixo aproveitamento, para uma produção razoável.

Na quantidade certa

Áreas com uso mais intensivo (muitos cultivos em curto espaço de tempo), como a produção de grãos, contam com os fertilizantes solúveis para garantir altas produtividades. Mas é preciso considerar que estes produtos possuem alto valor agregado, tornando-se economicamente inviáveis em áreas com menor rentabilidade, ou cujos produtos sejam colhidos a longo prazo, como é o caso dos plantios florestais ou cultivo de fruteiras.

Por outro lado, solos normalmente usados para a silvicultura (cultivos florestais) são geralmente ainda de menor fertilidade, uma vez que são destinados a estes cultivos por não terem aptidão para produções de culturas anuais.

Alternativas

Para driblar estas limitações de custo, algumas alternativas às fontes solúveis convencionais estão disponíveis no mercado, procurando-se manter o fornecimento do  nutriente  e preservando ou melhorando a fertilidade natural. Em relação ao fornecimento do fósforo, os produtores podem utilizar fosfatos naturais reativos, que são produtos de liberação lenta e que devem ser usados para fornecimento de nutrientes, em áreas extensas e com pobreza nutricional natural.

Fosfato natural reativo e sua utilização

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.