28 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosEscolha da semente de soja correta

Escolha da semente de soja correta

Lucas Alexandre Batista

lukasp01@hotmail.com

Gleice Aparecida da Silva Lima

Graduandos em Agronomia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

 

Fotos Shutterstock
Fotos Shutterstock

A semente é o principal insumo de uma lavoura, e a escolha correta da semente de soja a ser plantada deve merecer toda a atenção do produtor que deseja obter altas produtividades.

Aspectos como a adequação à região a ser plantada e a finalidade de uso, o potencial produtivo, a resistência às doenças e pragas, a adequação ao sistema de produção e as condições climáticas deverão ser observados na escolha do material genético.

Entre tantas

No Brasil existem hoje mais 2000 mil cultivares de soja cadastradas no site do Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA). Anteriormente as cultivares de soja eram classificadas em precoce, semiprecoce, médio ou tardia.

Mas esse método era muito genérico, pois uma variedade precoce podia apresentar duração de ciclo diferente de acordo com a região onde era plantada. Hoje é usado o termo “Grupo de Maturação“, que varia de acordo com a latitude, sendo classificado numa escala de 0 (mais próximo dos polos) a 10 (mais próximo do Equador).

As cultivares de soja são agrupadas de acordo com sua região de melhor adaptação, cuja causa é a resposta ao fotoperíodo.

 

Qual plantar?

A indicação da cultivar de soja pode variar de acordo com a localidade onde ela será plantada e o grupo de maturação, pois no verão os dias são mais longos no Sul do Brasil do que próximo ao Equador, havendo assim maior fotoperíodo.

Para a cultura da soja, quanto menor incidência de luz, mais rapidamente ela entrará em estágio de florescimento. Assim, cultivares dos grupos de maturação com numeração mais alta são mais adaptadas às regiões próximas ao Equador e têm ciclo mais curto.

Também o ciclo de uma cultivar é menor em latitudes baixas. Cada alteração de um décimo de unidade no grupo de maturação significa aproximadamente dois dias de variação no ciclo da cultura.

Fotoperíodo

O fotoperíodo indica a quantidade de horas/luz de um dia. A cultura da soja é muito sensível a esse fator, pois o período de ausência de luz induz a floração e o excesso de luz o período vegetativo da cultura.

O efeito do fotoperíodo sobre a soja é a redução do período entre a germinação e o início do florescimento e, consequentemente, do aumento ou diminuição do ciclo da cultura.

A escolha

São vários os fatores que influenciam o posicionamento de cultivares de soja, todos de grande importância. O primeiro passo é fazer o levantamento das condições climáticas regionais, a capacidade de interação da cultivar escolhida e o ambiente em que ela se encontra. Isso permitirá estimar o tempo que a cultura permanecerá no campo, escalonar o manejo e o sistema da produção.

Fotos Shutterstock
Fotos Shutterstock

 Quanto menor o tempo em a cultura permanecer no campo, menores serão os danos sofridos pelas condições adversas, no entanto, o posicionamento da cultivar ideal no espaço e no tempo deve ser averiguado no grupo de maturação da semente escolhida, fornecido pela empresa produtora de sementes.

Outro fator importante é o pacote tecnológico da semente e a disponibilidade de equipamento do produtor.O ideal é ajustar a tecnologia àrealidade de quem está produzindo, dentro do sistema de manejo recomendado.

Erros

A escolha da cultivar pode determinar todo o potencial produtivo da lavoura. Um dos principais erros cometidos pelos produtores é não se atentar às especificações das cultivares, como: grupo de maturação, se ela é susceptível às pragas e doenças presentes na região, se é tolerante ao estresse hídrico e, principalmente, sua adaptabilidade ao local de plantio.

Um bom planejamento e acompanhamento técnico é o primeiro passo para não errar. O segundo consiste em analisar todas as variáveis da propriedade, como a composição do solo, a pluviosidade da região, o histórico de pragas e doenças, se haverá uma cultura de segunda safra ou de inverno. E, por fim, fazer a seleção da cultivar que atenda melhor às condições de plantio.

Essa matéria você encontra na edição de julho de 2018 da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Microverdes – Tendência na horticultura

Uma nova tendência na horticultura são os microverdes, vegetais ultrajovens, superatrativos e coloridos, ricos em sabor e nutrientes, que estão em evidência na gastronomia e mercados no Brasil e no mundo.

Micronutrientes em cana-planta

Os micronutrientes, também denominados de elementos traços ou elementos menores, são os elementos químicos essenciais ao desenvolvimento da cana-planta, requeridos em pequenas quantidades, na ordem de g/ha, mas de grande importância para o seu desenvolvimento.

Trigo – Cadeia produtiva debate desafios do pré e pós-colheita

Cerca de 400 pessoas participaram da 8ª edição do Seminário Técnico do Trigo do Paraná, no dia 10 de abril. O evento reuniu todos os elos da cadeia de produção de trigo em Campo Mourão (PR), uma das mais tradicionais regiões produtoras do cereal no Estado, com cerca de 10% da área e da produção. Participaram agricultores, produtores de sementes, cerealistas, técnicos e moinhos dos estados do Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Distrito Federal, Goiás e Paraguai.

Produtores de feijão do PR e SC podem adquirir na Embrapa sementes da cultivar BRS Esteio

A Embrapa está ofertando, para os produtores de sementes de feijão dos Estados do Paraná e de Santa Catarina, sementes da cultivar de feijão...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!