Estância Shalom obtém alta produtividade bovina

0
212
Gado – Créditos internet

Depois de oito anos criando vacas holandesas, a fazenda já produz 2,7 milhões de litros de leite por ano.

A convite da De Heus, o produtor Fernando Sleutjes participou de uma live pelo Instagram com o gerente de Produtos – Ruminantes da empresa, Leonardo Corso, para compartilhar o case de sucesso da sua fazenda Estância Shalom, que está localizada em Piraí do Sul, no Paraná. Depois de oito anos criando vacas holandesas, a fazenda já produz 2,7 milhões de litros de leite por ano. No início, tinha 60 vacas em lactação, e hoje conta com 480 animais no rebanho, 280 em recria e 200 em lactação.

Com origem holandesa, Sleutjes já está na terceira geração de produtores de leite, atividade iniciada pela família em 1950. O produtor divide a fazenda com as atividades de pecuária e agricultura: a criação de vacas leiteiras e a leiteria ocupam uma área de 100 hectares; paralelamente, trabalha com 70 hectares de plantação de milho e dois cultivos de aveia — com mais de 140 hectares. 

Segundo ele, a Estância Shalom foca não somente na produção eficiente, mas também na recria: “Para termos um bom ganho com gados de leite, trabalhamos com uma meta de animais parindo, pois uma novilha holandesa, com 570 quilos, na faixa etária entre 23 e 24 meses, atinge a produção que temos alcançado, entre 40 e 45 litros no pico na primeira lactação, alcançando a eficiência na recria”.

Nutrição de novilhas

Para obter alta produção, Corso informou que a Estância Shalom utiliza o plano de criação de novilhas KALIBER®, da De Heus, cujo o objetivo é criar animais jovens de forma saudável e econômica, usando como referência às proporções do animal em termos de altura, peso e tamanho. Com isso, o animal terá um bom desenvolvimento esquelético, sem engordar. “É um plano dividido em quatro fases: inicial, jovem, puberdade e gestação. Cada fase possui diferentes requerimentos nutricionais, como proteínas, amido, fibras, minerais e vitaminas. As dietas de cada fase são formuladas para atender às exigências dos animais e se encaixarem com as forragens disponíveis na fazenda”, explica.

Na fase inicial, entre zero e cinco meses, o produtor faz algumas recomendações, como atenção ao uso do colostro, cura do umbigo, aleitamento, água limpa de qualidade, ambiente seco, limpo, ventilado, higiene, alimentação de concentrado e feno de média e boa qualidade.  “A partir da primeira semana de vida, a ração deve estar à disposição 24 horas, em pequenas quantidades para que o animal consiga atingir o consumo máximo do concentrado o mais rápido possível. O ideal é que consuma pelo menos dois quilos da ração nos três últimos dias antes da desmama. O feno pode ser oferecido à vontade a partir da terceira semana de vida. Depois dessa fase de aleitamento que dura entre, 70, 80 ou 90 dias, o ideal é que a bezerra continue tendo bom ganho de peso”, explana.

Fase de bezerro

Segundo ele, depois do período de desmame, os animais vão para as baias coletivas, que reúnem até quatro bezerras, e comem 2,5 kg de ração, tendo também feno à vontade: “Essas novilhas têm ganhado, em média 1 kg de peso por dia na fase de bezerreiro, e, quando jovem, até a primeira inseminação, um ganho de peso de 1 kg durante a fase inteira”.

Fernando Sleutjes explica que ao sair da fase de bezerra, o animal toma a primeira vacina polivalente e entra numa dieta mais concentrada: “Nessa etapa também recebe uma vacina sanitária obrigatória e se unirá a outras bezerras. Até chegar à faixa etária entre oito e nove meses, uso um pré-secado bom, um pouco de feno e ração em torno de 2,5 kg por dia. Na fase dois do plano KALIBER®, da De Heus, elas chegam a ganhar entre 1 kg e 1,2 kg de peso por dia”.

Fase de inseminação

O produtor segue um programa reprodutivo para a fase de inseminação, acompanhando o desenvolvimento fisiológico do animal, para alcançar uma taxa favorável de concepção: “Como estão crescendo demais, espero 12 meses, quando já estão com 370 kg, começo a inseminar. Com isso, estou conseguindo uma concepção excelente, com partos em faixa etária entre 22 e 23 meses”.

Em pesquisa interna da fazenda, foi constatado que, em 2018, uma primípara produzia 10.980 litros de leite, em 365 dias; em 2019, alcançou 11.500 por primípara; agora, em 2020, está entre 12.200 e 12.500, em 365 dias: “São quase cinco litros em três anos, só com a melhora na criação de novilhas e na genética. A nutrição de qualidade também influencia bastante na genética e nos resultados”, diz Sleutjes.

Case de sucesso

A parceria entre a fazenda Estância Shalom e a De Heus se iniciou há oito anos —quando a multinacional chegou ao Brasil —, período em que o produtor começou a criação. “Eu avalio a De Heus como uma empresa que, além de fornecer produtos de alta qualidade, também oferece o conhecimento para atingirmos resultados superiores por meio de pesquisas que, colocadas na prática, nos leva a atingir todas as metas de criação”, completa.

Segundo Leonardo Barros Corso, gerente de Produtos – Ruminantes da De Heus, todo o trabalho desenvolvido pela companhia tem como foco ver o progresso e a evolução de clientes, como acontece com a Estância Shalom: “Ver na prática, os conceitos nutricionais da De Heus funcionando perfeitamente em solo brasileiro, com tanto sucesso, é muito gratificante. Sleutjes, sua família e colaboradores trabalham com alto profissionalismo, comprometimento e disposição para fazer o melhor pelos animais. Queremos seguir juntos para ainda mais evoluções, nas próximas etapas de criação da Estância Shalom”.