18.1 C
São Paulo
domingo, agosto 14, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Expocafé cresce em público e negócios gerados

Expocafé cresce em público e negócios gerados

 

Maior evento do agronegócio café no país recebeu 28 mil pessoas em três dias

 Expocafé - Fotos Bruno Lavorato
Expocafé – Fotos Bruno Lavorato

Maior evento do agronegócio café no Brasil, a Expocafé completou sua maioridade em 2015 com motivos de sobra para comemorar. O evento, que começou no dia 01º de julho, movimentou a cidade de Três Pontas, no Sul de Minas, e chegou ao fim no dia 3 de julho, com saldo de negócios gerados e prospectados de R$ 230 milhões, número 15% maior que os R$ 200 milhões registrados no ano passado.

O número de expositores, 150 em 12 mil metros quadrados de área comercializada, foi recorde. E 28 mil visitantes passaram pelo Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais ” EPAMIG ” nos três dias de feira, seis mil a mais que na última edição, em 2014.

“Só temos o que celebrar ao final deste evento. Mesmo em um ano de dificuldades macroeconômicas, expositores e produtores de café estiveram mais uma vez conosco e os números comprovam o sucesso desta 18ª edição da Expocafé“, disse o diretor-presidente da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas (Cocatrel), Francisco Miranda de Figueiredo Filho.

Novidades atraíram visitantes

A programação da Expocafé 2015 reuniu feira com exposição de máquinas, implementos e acessórios; dinâmicas de campo; e uma série de cursos e palestras gratuitos. Tudo com o objetivo de oferecer aos produtores de café de todo o país e também do exterior o que há de melhor em tecnologias e técnicas para melhoria da produtividade das lavouras.

Organização

A Expocafé é realizada pela Cocatrel, EPAMIG e Universidade Federal de Lavras (Ufla), com apoio da Prefeitura Municipal de Três Pontas. A promoção é da Café Editora, empresa com mais de 10 anos de atuação e especializada no mercado de cafés. O objetivo dos organizadores é contribuir para a promoção da melhoria de renda e da qualidade de vida do produtor rural, a geração de empregos e a fixação do homem no campo.

Tecnologias para a cafeicultura

Responsável pela coordenação técnica da Expocafé, a Epamigapresentou a cultivar Aranãs, que é resistente à ferrugem, com potencial para produção de bebida de qualidade. Esta que é a 15ª cultivar registrada pelo Programa de Melhoramento Genético de Café da Epamig, juntamente com outras instituições que integram o Consórcio Pesquisa Café, tem se destacado pela alta produtividade e adaptabilidade em diferentes regiões como Vale do Jequitinhonha e Sul de Minas.

Nas dinâmicas de campo, os visitantes da Expocafé conheceram em 17 estações o funcionamento de máquinas e equipamentos para a cultura. Uma das novidades foi uma podadeira lateral e de topo da GTM do Brasil, que pode ser adaptada em tratores pequenos. A máquina, que tem duas serras de 650 mm, consegue rendimento médio de sete hectares por dia, em 10 horas e pode substituir cerca de 100 homens por dia. Outra novidade foi o pulverizador costal elétrico da Jacto, com programação para misturar os produtos para pulverização foliar, herbicida e fungicida, em cinco níveis de pressão. O equipamento pode ser regulado em cinco níveis de pressão e a bateria dura entre quatro e oito horas com o gatilho acionado.

Pela primeira vez, a Epamig promoveu cursos de degustação e avaliação de cafés especiais, vinhos e azeites. Os participantes da feira conheceram mais sobre processamento de café de qualidade, características agronômicas, químicas e sensoriais de vinho e azeite, com degustação de produtos desenvolvidos com tecnologia da Epamig.

De acordo com a coordenadora de Transferência e Difusão de Tecnologia da Epamig Sul de Minas, Vanda Cornélio, a Expocafé é uma oportunidade de a Empresa aproximar as tecnologias de cultivo aos cafeicultores de pequeno a grande porte e consumidor final. “O papel da transferência é potencializar a aplicação das novas tecnologias, considerando as realidades do cafeicultor e do mercado“.

Expocafé - Pesquisador da Epamig, César Botelho, apresentou a nova cultivar de café, a Aranãs - Fotos Bruno Lavorato
Expocafé – Pesquisador da Epamig, César Botelho, apresentou a nova cultivar de café, a Aranãs – Fotos Bruno Lavorato

Café

O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e o segundo maior consumidor do produto. Há cerca de 1.900 produtores divididos em 15 Estados: Acre, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. A variedade de climas, relevos, altitudes e latitudes permite que o país produza uma ampla gama de tipos e qualidades de cafés.

Entre os Estados produtores, Minas Gerais é o maior. Em 2014, a safra mineira foi de 22,6 milhões de sacas e a previsão é que a safra de 2015 seja de 23,3 milhões de sacas. As principais áreas produtoras no Estado são as seguintes: Sul de Minas e Centro Oeste; Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste; Zona da Mata, Rio Doce e Central; Norte de Minas, Jequitinhonha e Mucuri.

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

Inicio Revistas Grãos Expocafé cresce em público e negócios gerados