24.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosFatores que desgastam os bicos de pulverização e acarretam prejuízos

Fatores que desgastam os bicos de pulverização e acarretam prejuízos

Fotos Jacto
Fotos Jacto

Os bicos desgastados causam prejuízos, pois o defensivo não chega corretamente na lavoura. Por isso, a necessidade de trocá-los para atingir uma boa pulverização. Veja um exemplo: a cultura da soja em uma propriedade de 500 hectares com um desgaste de 10% dos bicos de pulverização, há perda total de agroquímico de até R$ 25 mil.

Os bicos de pulverização sofrem desgastes naturais ao longo de sua vida útil. Porém, caso esse desgaste não seja solucionado com a troca dos bicos gastos por novos, é sabido que a pulverização gerará prejuízos financeiros e ambientais, causados pelo desperdício de produto químico que passa por eles.

O especialista em tecnologias de aplicação da Jacto, Walter Mosquini, elencou pelo menos quatro itens que indicam desgastes em bicos de pulverização. São eles:

ÂŒPoder abrasivo dos agroquímicos: o mercado de agroquímicos oferece formulações que possuem em sua composição partículas em suspensão com alto grau de dureza que contribuem naturalmente para o desgaste dos bicos de pulverização.

Qualidade da água de pulverização: pelo mesmo motivo relatado anteriormente, a qualidade da água utilizada na pulverização pode contribuir para o desgaste dos bicos de pulverização, já que a sílica, que possui extrema dureza, é encontrada com facilidade em suspensão na água. Cuidados como escolher o local de coleta da água podem contribuir para reduzir a presença de sílica na água.

ÂŽPressão de trabalho: a pressão recomendada pelo fabricante do bico de pulverização se baseia em informações definidas no momento de seu desenvolvimento. De acordo com o material de fabricação, desenho e características técnicas, como diâmetro de gota, vazão e ângulo do jato, recomendam-se limites mínimos e máximos de pressão. Trabalhar fora das especificações máximas de pressão pode contribuir diretamente para o desgaste e redução da vida útil do bico.

 Não se deve usar como referência as horas de trabalho para substituição dos bicos - Fotos Jacto
Não se deve usar como referência as horas de trabalho para substituição dos bicos – Fotos Jacto

Limpeza: limpar os bicos com instrumentos confeccionados com materiais de maior dureza do que o material utilizado para a fabricação dos bicos acentua a deterioração do orifício de saída do jato no bico, ocasionando mudança do perfil de distribuição e das características do diâmetro da gota. Para a limpeza correta, utilize escovas (pode ser escova de dente com cerdas mais duras) e ar comprimido.

Uma importante dica nesse tema, reforça Mosquini, é que, independente do material de fabricação, o critério que se deve adotar para troca dos bicos é o desgaste. “A referência deve ser sempre a vazão nominal de cada bico, conforme consta na tabela do fabricante. Portanto, quando um bico apresentar acima de 10% da vazão nominal de um bico novo, ele deve ser substituído imediatamente“.

Outro fator que deve ser levado em conta e que o especialista recomenda especial atenção é que não se deve usar como referência as horas de trabalho para substituição dos bicos. “Temos que levar em consideração que esse critério de horas de trabalho nem sempre expressa a real situação do bico. Além disso, se utilizado, pode ocasionar troca tardia ou prematura dos bicos“, enfatiza.

Para se ter uma ideia de quanto pode ser economizado observando esses itens,   considerando a cultura da soja em uma propriedade de 500 ha com  um desgaste de 10% dos bicos de pulverização, há perda total de agroquímico de até R$ 25 mil.

Essa matéria você encontra na edição de março 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Utilização de Mathury na colheita mecanizada do café

  Felipe Santinato Engenheiro agrônomo, Msc., doutorando - UNESP Jaboticabal TAVARES, T.O. Engenheiro agrônomo, mestrando - UNESP Jaboticabal SILVA, R.P. Professor e doutor - UNESP Jaboticabal COSTA, W.C.A. Acadêmico em...

Satis apresenta novas tecnologias

  A Satis participa do Congresso Brasileiro de Pesquisas Cafeeiras desde 2009. “A importância do Congresso se dá pela apresentação de novas pesquisas, inclusive da...

Inovações em EPS (isopor®) voltadas ao Agronegócio são destaque na 35º Festa da Uva e VI Expo Vinhos, em Jundiaí (SP)

Ampliar o shelf-life da fruta, proporcionar menor perda de peso pela desidratação e manter o teor vitamínico por mais tempo. Esses são alguns dos...

O sistema ideal para cultivar morangos

Mário Calvino Palombini Engenheiro agrônomo e consultor técnico vermelhonatural@hotmail.com   Existem vários sistemas de produção de morango em semi-hidroponia ou hidroponia por gotejamento. Todos eles possuem vantagens e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!