27.2 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosFerrugem tardia é alerta para os cafeicultores

Ferrugem tardia é alerta para os cafeicultores

Ricardo Nascimento Lutfala Paulino

ricardo.lutfalap@gmail.com

Giovani Belutti Voltolini

giovanibelutti77@hotmail.com

Graduandos em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), membros associados ao Núcleo de Estudos em Cafeicultura (NECAF) e Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD)

Dalyse Toledo Castanheira

Doutoranda em Fitotecnia/Cafeicultura pela UFLA, membro do NECAF e do GHPD

dalysecastanheira@hotmail.com

 

Crédito Giovani BeluttiVoltolini
Crédito Giovani BeluttiVoltolini

Atualmente, o manejo preventivo da ferrugem, na maioria das vezes, tem se mostrado com muita eficiência, assegurando a baixa incidência do fungo nas folhas cafeeiras. Geralmente, a disseminação da doença é favorecida por épocas com elevada precipitação, ou seja, muita umidade, aliada a temperaturas elevadas, além de maior incidência em cafeeiros com carga pendente elevada e em condições de grande adensamento.

Entretanto, nestes últimos anos ocorreram algumas mudanças no clima, favorecendo a ocorrência de uma nova forma de ataque do fungo, que é a ferrugem tardia.

Danos

Os danos provocados pela incidência da ferrugem no cafeeiro são evidenciados pela intensa desfolha da planta, principalmente quando a mesma se encontra com alta carga pendente. Também é observado como consequência da doença a seca de ramos e a redução da vida útil da planta.

Em se tratando do caso de incidência precoce, a ferrugem pode provocar redução drástica no pegamento da florada. E no caso da ferrugem tardia, a queda das folhas pode prejudicar o desenvolvimento inicial dos ramos para a safra seguinte. Portanto, as diversas formas de ataque, aliado aos danos causados ao cafeeiro, fazem com que a ferrugem provoque redução elevada na produtividade da lavoura, chegando, em alguns casos, a perdas de 50%.

Formas de controle

São muitas as formas de controlar a incidência de ferrugem no cafeeiro, abrangendo desde técnicas culturais, preventivas, curativas e também erradicantes.

O controle cultural consiste na realização de adubações equilibradas, na realização de podas periódicas, desbrotas e também na não utilização de super adensamento nas entrelinhas do cultivo. Porém, o controle preventivo é indispensável, pois o ataque da ferrugem sempre se mostrou um grande problema aos cafeicultores.

A prevenção é um dos passos mais importantes no controle, pois sob baixa incidência da doença o controle se torna mais fácil. A utilização de cobre tem apresentado bons resultados na prevenção da ferrugem, principalmente no início do ciclo da doença, que se inicia em novembro.

Já o controle por meio da utilização de fungicidas, principalmente à base de estrobilurina + triazol, é o mais recomendado, pois a eficiência é elevada, desde que aplicados no momento certo.

O mais recomendado seria a adoção de um sistema de manejo integrado, realizando as diversas práticas culturais, aliado ao controle preventivo e, por fim, o químico, por meio da utilização dos fungicidas em momentos que antecedem a maior propensão ao desenvolvimento da doença, ou seja, de novembro a março.

Prejuízos causados à lavoura de café - Crédito Arquivo
Prejuízos causados à lavoura de café – Crédito Arquivo

Quando agir

Como mencionado anteriormente, há condições climáticas propícias para que ocorra a incidência da ferrugem na lavoura cafeeira. Dessa forma, a ferrugem tardia ocorre quando chove pouco em janeiro e fevereiro, atrasando então a inoculação da doença, e acarretando, consequentemente, na desnutrição do cafeeiro, pois com o atraso das chuvas as adubações são adiadas ou se mostram ineficazes, promovendo, dessa maneira, a maior suscetibilidade da planta, pois a mesma estará em déficit hídrico e mais vulnerável ao ataque do fungo.

Após este período de escassez hídrica, ocorrente principalmente nos últimos anos, a chuva é restabelecida, entre março e maio, em menor intensidade, tendo, ainda, temperatura mais alta do que a normal, o que proporciona grande incidência da ferrugem, “escapando“, na maioria das vezes, do controle químico que foi realizado entre dezembro e março.

Assim, o controle químico normalmente é realizado entre dezembro e março, com três aplicações. Porém, quando falamos da ferrugem tardia, aconselha-se estender a época de aplicação, podendo ser feita por meio da aplicação inicial preventiva (cobre ou estrobilurina) em novembro, seguindo-se duas aplicações de triazol mais estrobilurinas, que são preventivas/curativas, estas duas iniciando e terminando mais tarde, entre fevereiro e abril.

Observa-se, também, que em infecções tardias, especialmente em lavouras novas e naquelas que terão boa produção no ano seguinte, é importante aplicar um triazol curativo ou sua combinação com estrobilurina, nesse caso atuando, ainda, contra a cercosporiose tardia e algo sobre Phoma.

Atualmente, há muitas opções de produtos no mercado, sendo que o uso de fungicidas na lavoura cafeeira se destaca com um dos tratos culturais mais importantes para a obtenção de altas produtividades.

Essa matéria completa você encontra na edição de dezembro 2015  da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

FEACOOP 2015: maior e melhor

  Entre os dias 3 a 6 de agosto,a FEACOOP, feira de agronegócios realizada pela Coopercitrus e Sicoob Credicitrus, oferecerá soluções integradas em insumos, máquinas...

Expocaccer – O pilar do Seminário do Café

A Expocaccer, um braço da Federação dos Cafeicultores, esteve presente no Seminário do Café oferecendo apoio logístico de estratégia à Acarpa para a realização...

Câmbio e pequena redução de área cultivada provocam queda no mercado de defensivos agrícolas

O levantamento BIP – Business Inteligence Panel, da Spark Consultoria Estratégica, apontou queda de 2%, em dólar, na movimentação de defensivos agrícolas para cana-de-açúcar.

Cooxupé lidera ranking ESG entre cooperativas de todo o Brasil

A Cooxupé é líder nacional no quesito ESG do ranking de Melhores e Maiores 2021 da Exame.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!