19.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosFertilizante foliar ajuda no combate aos nematoides da soja?

Fertilizante foliar ajuda no combate aos nematoides da soja?

Rodrigo Vieira da Silva

Engenheiro agrônomo,doutor em Fitopatologia pela Universidade Federal de Viçosa e professor do IF Goiano ” Campus Morrinhos

rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br

João Pedro Elias Gondim

Luam Santos

Engenheirosagrônomos emestrandos em Olericultura pelo IF Goiano – Campus Morrinhos

Caio Felipe Moreira Cruz

Edcarlos Silva Alves

Graduando em Agronomia pelo IF Goiano – Campus Morrinhos

Créditos Miriam Lins
Créditos Miriam Lins

A soja constitui-se num dos principais produtos do agronegócio brasileiro e está suscetível a diversos tipos de problemas fitossanitários durante o seu ciclo de vida. Dentre estes, merece atenção especial as causadas por nematoides, que atacam as plantas desde o início do seu desenvolvimento, comprometendo as raízes e acarretando perdas significativas na produção.

As perdas de produção por nematoides na soja chegam a variar de 10 a 70%, a depender das condições do ambiente, da cultivar plantada, da densidade populacional e espécie de nematoide na área de cultivo. Uma das estratégias de manejo de fitonematoides é por meio da nutrição mineral.

Sintomas e prejuízos dos nematoides

 

O plantio da soja está praticamente em todas as regiões brasileiras, e os nematoides estão presentes na maioria dessas áreas produtivas. No Brasil, os mais prejudiciais à cultura da soja têm sido os formadores de galhas radiculares, principalmente M. incognita e M. javanica, o de cisto, Heteroderaglycines, o das lesões radiculares, Pratylenchusbrachyurus e o reniformes, Rotylenchulusreniformis.

Os nematoides-das-galhas-radiculares, como o próprio nome diz, são capazes de infectar a planta de modo a desencadear um “câncer“ vegetal, induzindo a formação de tumores nas raízes. Esse grupo de nematoides tem uma ampla distribuição geográfica e a capacidade de infectar as mais diversas plantas, e no caso de cultivo de soja podem sobreviver em plantas hospedeiras sucessivas e invasoras. No caso da espécie Meloidogyne incognita, acarreta perdas que podem ultrapassar 55% na produção, por ser bastante agressiva.

O nematoide do cisto se caracteriza pela formação de cistos (corpo da fêmea adulta morta), que são bastante resistentes às condições desfavoráveis do ambiente. Assim, os ovos presentes dentro do cisto podem sobreviver por até oito anos ou mais no solo. Está bastante presente no Brasil Central, e devido às condições de excesso de calagem com uma grande densidade populacional do nematoide, as perdas podem chegar a 100% na produção.

O nematoide-das-lesões-radiculares causavastas lesões necróticas nas raízes. Sua movimentação na raiz desorganiza e destrói as células, além de abrir portas para entrada de patógenos de solo secundários, como alguns fungos e bactérias. No Centro-Oeste já foram relatados casos em que ocorreram perdas de até 80% na produção apenas com o ataque da espécie.

Nas áreas cultivadas com soja, onde o parasitismo das plantas pelos nematoides é intenso devido à alta população, ocorre geralmente a formação de reboleirasem determinados locais específicos da lavoura, ou se concentram plantas com sintomas bem visíveis na parte área, plantas menores, com as folhas bem amareladas e falhas devido à morte de algumas plantas.

A nutrição foliar está diretamente ligada à resistência ou suscetibilidade da doença - Créditos Miriam Lins
A nutrição foliar está diretamente ligada à resistência ou suscetibilidade da doença – Créditos Miriam Lins

Efeito de fertilizantes foliares no combate aos nematoides

A nutrição foliar está diretamente ligada à resistência ou suscetibilidade da doença. As relações entre nutrição e doenças já foram avaliadas em diversos estudos, e comprovados efeitos relevantes de nitrogênio, fósforo, potássio e alguns micronutrientes em enfermidades causadas por microrganismos de parte aérea, bem como de solo, tal como os nematoides.

O estado nutricional da planta apresenta relação direta com seu crescimento e desenvolvimento, além do fato de ser considerado um fator responsável pelos mecanismos de defesa da planta a fatores bióticos, neste caso de patógenos.

Casos de deficiências e desequilíbrios nutricionais alteram a planta bioquimicamente e morfologicamente, podendo até mesmo tornar algumas cultivares resistentes suscetíveis a patógenos. Portanto, é fato que os elementos minerais estão envolvidos nas plantas em todos os mecanismos de defesa, seja por meio da composição de tecido vegetal, ativadores, inibidores ou reguladores do metabolismo.

No combate aos nematoides, alguns fertilizantes foliares são compostos por substâncias orgânicas que promovem o aumento da produção de proteínas chamadas de PR, que são ligadas à resistência a doenças – daí o termo de indução de resistência, ou seja, os nutrientes induzem a planta a ativarem os mecanismos de defesa contra a ação do microrganismo patogênico, neste caso o nematoide.

Desse modo, a adubação foliar, seria uma maneira de fornecer à plantaprincipalmente micronutrientes, tornando-a mais tolerante e/ou resistente ao ataque dos nematoides. Vale ressaltar que, no caso dos macronutrientes, que a planta precisa em grandes quantidades, como o nitrogênio, fósforo e potássio, devem ser aplicados preferencialmente via solo.

Dentre os elementos minerais que têm auxiliado na indução de resistência de plantas, o silício (Si) tem se apresentado como um grande aliado na redução e severidade de doenças, inclusive nematoides. Os mecanismos de defesa mobilizados pelo silício são a princípio pelo acúmulo de lignina, peroxidades e compostos fenólicos. As principais formas de Si são por meio de silicatos, principalmente de cálcio e de potássio.

Eficiência

Segundo pesquisas, o uso de alguns fertilizantes foliares na cultura da soja, como o silicato de potássio e o fosfito de potássio, tem sido mais estudado no controle de nematoide-das-galhas-radiculares (Meloidogyne javanica) e nematoide-das-lesões-radiculares (Pratylenchusbrachyurus), com redução significativa na reprodução do nematoide.

Essa matéria completa você encontra na edição de janeiro 2018 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

ARTIGOS RELACIONADOS

Novidades em nutrição do tomateiro

A fertirrigação tem ajudado os produtores de tomate a colocarem na planta a quantidade equilibrada de nutrientes, na hora certa e no local ideal O...

Fosfitos podem controlar patógenos de solo e parte aérea

A interação “patógeno-hospedeiro e ambiente” é essencial para a ocorrência de doenças ...

IV Encontro dos Produtores de Trigo de Minas Gerais destaca a força da cultura

  O Moinho Sete Irmãos promoveu, no dia 31 de março, em Uberlândia (MG), o IV Encontro dos Produtores de Trigo de Minas Gerais 2017,...

Cálcio e a uva: a importância na produção e pós-colheita

Artigo da Campo & Negócios detalha a ação do cálcio nas uvas e dá dicas para os produtores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!