Inicio Destaques Fertilizante organomineral favorece cultivo de abobrinhas

Fertilizante organomineral favorece cultivo de abobrinhas

0
149

Aldeir Ronaldo SilvaEngenheiro agrônomo e doutorando em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USPaldeironaldo@usp.br

Cristiano Ferrara de Resende Pós-doutorando – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – ESALQ/USPcristianoig2004@hotmail.com

Giovana CunhaEngenheira agrônoma e mestranda em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USPgiovanacunha@usp.br

Fabiano Simplício Bezerra Engenheiro agrônomo e doutorando em Engenharia Agrícola – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)fabianoagro14@gmail.com

Abobrinha – Crédito: Shutterstock

A cultura da abobrinha é de ciclo curto, sendo bastante cultivada por pequenos produtores. Ela movimenta em torno de R$ 1,8 bilhão ao ano, sendo também responsável por grande número de empregos diretos e indiretos.

Na região norte e nordeste o cultivo de abobrinha é realizado durante o ano todo, enquanto na região sul o cultivo ocorre com maior frequência no mês de agosto. Por ter um ciclo vegetativo curto, a abobrinha exige alta demanda de nutrientes em um curto intervalo de tempo. Dessa forma, os adubos organominerais, permitem um fornecimento de nutrientes uniforme ao longo do ciclo em função das partes constituintes orgânica e mineral.

Os fertilizantes ou adubos organominerais, como o nome indica, são uma junção de adubos orgânicos com nutrientes minerais.

A utilização incorreta de fertilizantes químicos pode acarretar sérios malefícios ao ambiente e à produtividade das culturas, tanto em ambiente protegido quanto em campo aberto. No primeiro caso, pode ocorrer salinização do solo devido à utilização de doses elevadas, recomendadas para campo aberto (o que desconsidera fatores específicos desse tipo de cultivo, como ausência de chuvas, por exemplo), afetando diretamente a fisiologia das plantas, que pode sofrer com deficiências nutricionais e hídricas.

No segundo caso, as perdas dos nutrientes devido à lixiviação ou escoamento superficial acabam favorecendo o seu acúmulo em lençóis freáticos e corpos d’água, acarretando a eutrofização desses ambientes e diversos outros problemas ecológicos.

Benefícios proporcionados

Uma das grandes vantagens dos fertilizantes organominerais é seu menor potencial reativo, em comparação aos fertilizantes químicos solúveis, o que permite um primeiro aporte de minerais para o crescimento inicial da planta e a mineralização posterior dos adubos orgânicos de forma gradual, havendo o incremento da eficiência agronômica no desenvolvimento da cultura.

A associação entre a boa disponibilidade inicial de nutrientes e o seu fornecimento gradual com a mineralização dos componentes orgânicos garante o desenvolvimento correto das plantas e evita os problemas causados pelo uso incorreto dos adubos químicos.

Além de melhorar a fertilidade, a presença da matéria orgânica ainda garante benefícios em relação às propriedades físicas do solo: aumenta a porosidade e reduz a densidade, eleva a capacidade de retenção de água, favorece a formação de agregados que reduzem a erosão e elevam a capacidade de troca catiônica.

Um outro fator de igual importância é a possibilidade de manutenção de toda uma microbiota no solo, que melhora suas propriedades físico-químicas e estabelece reações de benefícios mútuos com plantas e outros organismos, elevando as taxas fotossintéticas e incrementando a produtividade da cultura.

Como implantar a técnica

Para o sucesso da técnica, é importante o produtor realizar, primeiramente, a análise de fertilidade do solo, bem como os teores foliares dos nutrientes. Dessa maneira, o produtor com auxílio de um profissional qualificado irá determinar a dosagem de aplicação.

Quanto à composição, no mercado nacional há disponibilidade de vários produtos registrados, com garantias quanto à composição e eficácia. Dessa forma, o produtor deve evitar produtos de procedência duvidosa. Posteriormente à escolha do adubo organomineral é realizada a aplicação, que nesse caso pode ser via foliar ou solo.

 Quando aplicado via foliar, e recomendável analisar se o fabricante recomenda aplicação em conjunto com outros produtos. Em geral, a aplicação do adubo organomineral é feita durante o plantio, quando via solo, ou durante a fase de crescimento vegetativo, quando via foliar.

A aplicação via foliar deve ser feita em dias com temperaturas não elevadas, evitando-se alta pluviosidade e velocidade do vento. Tais medidas garantem a máxima eficiência da técnica para a cultura da abobrinha.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.

SEM COMENTÁRIO