15.2 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosFosfitos: resistência de plantas à incidência de pragas e doenças

Fosfitos: resistência de plantas à incidência de pragas e doenças

Crédito Jacto

Nilva Teresinha Teixeira
Engenheira agrônomo, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Bioquímica e Nutrição de Plantas – UniPinhal/FPE
nilva@unipinhal.edu.br

Entre os fatores que afetam a produtividade das culturas os problemas causados por pragas e doenças se destacam. Assim, os produtores, cada vez mais, se preocupam em proteger suas lavouras quanto aos danos causados pelos insetos e microrganismos nocivos.

Entre as medidas estão: adubação equilibrada, o uso de variedades tolerantes, o uso de defensivos (convencionais ou alternativos) e o emprego de insumos que aumentam a resistência da planta à incidência de pragas e doenças, Entre os últimos, temos os fosfitos, que nada mais são do que derivados do ácido fosforoso.

Vantagens

A inclusão de fosfitos nas lavouras apresenta algumas vantagens: custo menor – em comparação com os insumos convencionais -, contribuição quanto à prevenção e controle das doenças.

Os fosfitos são produtos que rapidamente são absorvidos pelas raízes e folhas das plantas. Apresentam ação sistêmica, atuando na redução do crescimento micelial, na formação de esporângios e na liberação de zoósporos.

Proteção contra incidência doenças

As plantas, ao longo do tempo e no processo de evolução, desenvolveram mecanismos de resistência aos ataques de insetos-pragas e de microrganismos fitopatogênicos. Tais mecanismos compreendem a percepção da presença de tais organismos, que se inicia com o reconhecimento dos compostos lipopolissacarídeos e peptidoglicanos, presentes nas paredes celulares dos fungos.

As plantas possuem uma família de proteínas denominada de pattern recognition receptors (PRRs), que sinalizam a presença dos organismos invasores, estimulando a planta a produzir compostos tóxicos contra estes fungos.

As plantas, assim que percebem a presença destes microrganismos, ativam os genes responsáveis pela produção de tais substâncias tóxicas aos invasores.

E os fosfitos?

Os fosfitos estimulam a formação de fitoalexinas que aumentam a eficiência das proteínas PRRs, tornando as plantas mais eficientes no combate aos microrganismos fitopatogênicos.

Assim, há evidências de que em soja e feijão a inclusão dos fosfitos de potássio e manganês tem potencial para estimular a produção e a ação de fitoalexina gliceolina.

Relatos na literatura evidenciam benefícios obtidos com o uso de fosfitos na resistência da soja aos agentes fitopatogênicos, como os fungos Phakopsora pachyrhizi, que provoca a ferrugem asiática e é uma das doenças que mais tem preocupado os produtores de soja, e Cercospora kikuchii, agente causal da cercosporiose que é também importante na cultura em referência.

Em relação à ferrugem asiática, considera-se que os fosfitos, que têm ação sistêmica, interferem na formação de urédias (estruturas de reprodução da ferrugem da soja) e no crescimento micelial dos fungos.

Ainda quanto à ferrugem asiática, Neves; Blum (2012) verificaram que a aplicação de fosfito de potássio (associado ao óleo vegetal) em dois estágios de desenvolvimento da soja (V8 e R2) promoveu redução de severidade de ataque, aumentando ao redor de 20% a produtividade em relação às plantas não tratadas – acréscimo não estatístico.

Nas plantas que receberam a associação de fungicida e fosfito, os prejuízos causados pela doença foram menores e a produtividade foi cerca de 50% superior à obtida sem nenhum tratamento.

Mais resultados

Algumas observações na literatura evidenciam efeitos positivos quanto à incidência de cercóspora em soja. Silva Jr (2017) descreve que a inclusão de fosfitos promoveu a redução da severidade da antracnose nas vagens e na transmissão do patógeno de vagens a sementes, porém, os fosfitos de Cu, Mn e K promoveram maior controle.

Ainda, verificou-se que os fosfitos de potássio e de manganês provocaram o aumento do teor de lignina, importante carboidrato na formação da estrutura das plantas.

A inclusão dos fosfitos no processo produtivo pode ser vantajosa para o produtor, não apenas para prevenir incidência de ferrugem asiática e de cercosporiose, na soja. Como se trata de um indutor de resistência, pode auxiliar no enfrentamento de outros problemas fitossanitários na soja e em outras culturas.

Quando aplicar?

Seu emprego preventivo, anterior à época de maior ataque, pode ser interessante. É necessário levar em conta que os fosfitos trazem em sua formulação nutrientes de plantas como o potássio, o cobre, o zinco e outros que podem auxiliar na nutrição das plantas.

Trata-se de um produto que deve ser considerado, visto que a inclusão na cultura, no mínimo, diminuirá o emprego de defensivos, o que ajuda a minimizar efeitos prejudiciais ao meio ambiente.

O uso do produto deve ser cuidadoso, em pulverização, recobrindo a planta, e nunca nos horários quentes do dia. Verificar também a compatibilidade com os demais insumos, em uma possível mistura. Quanto à dose a empregar, depende da cultura-alvo e do formulado escolhido.

Embora haja informações positivas sobre o uso de fosfitos, o correto é procurar orientação de técnico especializado.

ARTIGOS RELACIONADOS

Vassourinha-de-botão: como identificar e manejar

Na produção de grãos, a presença da vassourinha-de-botão afeta de forma negativa as culturas de interesse, como soja, sorgo e milho, provocando perdas de produtividade com o aumento populacional da planta daninha na área de cultivo.

Mudas florestais exigem cuidados

Atualmente, existem diversas opções de substratos disponíveis no mercado. O produtor ...

Cigarrinha-do-milho cresce mais de 177% em dois anos

A informação é do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Defesa Vegetal (Sindiveg).

Doenças relevantes do café requerem atenção do produtor

Não controladas, ferrugem, cercosporiose e antracnose podem levar a perdas da ordem de 40% a uma lavoura do grão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!