Inicio Revistas Hortifrúti Fósforo – Mais produtividade para a batateira

Fósforo – Mais produtividade para a batateira

0
342

Autora

Raíra Andrade Pelvine
Engenheira agrônoma e mestranda em Agronomia/Horticultura, Unesp-Botucatu
raira_andeplvine@hotmail.com

O fósforo é um mineral altamente presente em solos brasileiros, porém, sua maioria fica presente na forma indisponível (não lábil) para a planta absorver, causando assim a deficiência.

Assim, deve ser realizada uma adubação fosfatada antes da introdução da cultura, afim de evitar esta deficiência. Usam-se materiais comerciais, que são fontes de P, e quando são distribuídos no solo encontram-se presentes na forma disponível (lábil) para a absorção da planta de forma mais rápida.

O P é imóvel no solo, ou seja, na natureza este elemento que está “preso” ou adsorvido no solo é liberado de forma lenta pelo intemperismo e pela ação dos microrganismos presentes no solo.

Ação e reação

O fósforo (P) atua no enraizamento inicial e no desenvolvimento dos brotos, fornecendo energia para os processos da planta, como a absorção e o transporte de íons. Em relação à exigência de macronutrientes, a batateira é exigente em: N<P<K<Ca<Mg<S.

O P é o segundo em absorção e 78% do que é absorvido é acumulado no tubérculo da planta, sendo esta a parte da planta de interesse comercial.

Fósforo x produtividade da batata

A cultura da batata (Solanum tuberosum L.) possui crescimento rápido, com grande exigência nutricional em um curto período do ciclo vegetativo. Levando em consideração o ciclo da batateira de 90 a 110 dias, a absorção máxima de nitrogênio (N), potássio (K), magnésio (Mg) e enxofre (S) ocorre normalmente entre 40 e 50 dias após a emergência (DAE), sendo o fósforo (P) e o cálcio (Ca) absorvidos, continuamente, até 80 DAE.

Como o fósforo atua no desenvolvimento de raízes, desta forma aumenta a absorção de nutrientes e água pela planta, fazendo-a explorar melhor o solo e obtendo um melhor desenvolvimento. O elemento pode elevar a produção aproximadamente 25 t/ha-1, com doses entre 435 e 691 kg ha-1 de P2O5.

Máxima eficiência

A área para plantio da batata deve ser bem ventilada, com solos profundos, estruturados, boa fertilidade e que tenham sido cultivados previamente, de preferência com gramíneas. Recomendam-se terrenos relativamente planos, pois os mais declivosos, além de dificultarem a mecanização, favorecem a erosão e evitam o encharcamento.

Realiza-se o preparo do solo com correção de acidez. O preparo para o plantio, de acordo com a análise, deve ser feito com adubo fosfatado, o mais solúvel, ou seja, de granulometria menor, pois desta forma a liberação do mineral será melhor e de forma mais rápida, aumentando a disponibilidade para a cultura assim que implantada.

Produtividade

O uso de fertilizantes fosfatados pode influenciar na qualidade do amido e no tamanho do tubérculo. O fósforo foliar, aplicado após a iniciação da tuberização, em ensaios na Inglaterra, tem mostrado ter um efeito positivo sobre a produtividade dos tubérculos por meio do aumento de tamanho.

A aplicação correta de P na fase de plantio resulta em mais tubérculos por planta e mais crescimento destes. Na fase de desenvolvimento inicial dos tubérculos, resulta em tubérculos maiores e maior ganho de peso, já que está acumulando amido.

Para a indústria alimentícia, que normalmente possui interesse no amido, quanto mais viscosidade, melhor, pois o amido é usado como um agente espessante em alimentos.

Erros

O uso indiscriminado de fertilizantes tem como consequência o menor rendimento financeiro para o produtor. Na implantação da cultura, alguns produtores acham que conseguem corrigir os erros durante o ciclo, mas muitas vezes não conseguem, e assim acabam aumentando o custo de produção da batata. Não realizam um adequado preparo de solo antes da introdução da cultura, não fazem a correção da acidez do solo e assim acabam deixando indisponível o P para a cultura.

Erros na adubação, e muitas vezes na fase crítica, como no enchimento do tubérculo (03 – 04 semanas após emergência) até o final do ciclo são os mais fatais, pois esta é a fase em que a planta necessita de todos os elementos disponíveis para a absorção.

Equilíbrio

Deve ser realizado um preparo de solo e uma adubação de plantio muito rigorosos, conforme a análise, já que ambos poderão causar o sucesso ou insucesso da cultura. Para evitar a má distribuição, deve-se realizar a distribuição no solo em forma de faixa, pois o fósforo é imóvel, e desta forma funciona melhor do que espalhá-lo.

Deve-se, também, depositá-lo mais perto do tubérculo, para que a raiz da planta tenha contato com o mineral na fase inicial.

Como agregar à técnica

A adubação foliar fornece, de forma mais rápida, o nutriente para a planta, podendo assim amenizar, ao longo do ciclo restante, o dano causado pela deficiência do nutriente.

Assim, sempre deve ser realizada uma análise de solo antes da introdução da cultura visando a melhor recomendação de adubação. Deve-se, ainda, manter a matéria orgânica no solo, pois com a ação do intemperismo e dos microrganismos é que será liberado o fósforo.

Após a correção do solo de forma adequada, o fósforo é absorvido pelas plantas sob a forma de ânions H2PO4- em solos ácidos e HPO42-. É importante manter a acidez em nível adequado, ou seja, o pH entre 5,5 e 6,5, pois assim não ocorrerá a indisponibilidade do P.

Custo

O custo envolvendo fertilizantes é de 15% do total, ficando atrás apenas dos defensivos. Para a produção de 01 ha, o custo total é de R$ 41.820,38, com produção média de 600 sacas de 50 kg. Custo com maquinário, defensivos, mão de obra, sementes e beneficiamento mais comercialização totalizam quase 70% do custo total de produção.

O custo-benefício, por outro lado, se dá pela melhora na qualidade do produto, possibilitando vender por um preço melhor, já que a venda é feita averiguando outros quesitos, como tamanho, casca, qualidade de amido, entre outros.

A venda da saca de 50 kg de batata beneficiada varia, em média, de R$ 40,00 a 100,00, dependendo da época, da cotação do mercado e da variedade.

“O fósforo (P) atua no enraizamento inicial e no desenvolvimento dos brotos, fornecendo energia para os processos da planta, como a absorção e o transporte de íons”

SEM COMENTÁRIO