27.7 C
São Paulo
sexta-feira, maio 20, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Geoplanta Precisão - Serviços de última geração para lavouras

Geoplanta Precisão – Serviços de última geração para lavouras

 Fotos Geoplanta
Fotos Geoplanta

Há cinco anos a Geoplanta Precisão participa da Femagri. “Este é um evento muito importante para nós, porque esta é uma grande região produtora de café. Nosso objetivo é levar ferramentas que garantam menor custo e mais qualidade de café a todas as escalas de propriedades agrícolas“, diz Felipe de Araújo Lopes, especialista em Agricultura de Precisão da Geoplanta.

Ainda segundo ele, não existe um tamanho ideal de propriedade para viabilizar a tecnologia na lavoura. “Os produtores mais tecnificados e mecanizados vão optar por nossas tecnologias, com certeza, mas essa é a saída para todos eles, mesmo para os pequenos, que também já se preparam para receber algum tipo de tecnologia na lavoura“, garante.

Precisão no que faz

A Geoplanta está sempre preocupada em fazer um trabalho representativo e preciso. Felipe de Araújo explica que aagricultura de precisão nada mais é do que representar as variações existentes no solo que vão condicionar e impactar na lavoura, criando outras variações.

“Nossa preocupação é ter representatividade no serviço para mostrar as “manchas“ das lavouras e do solo. Fazemos isso com ferramentas dotadas de tecnologias de ponta, parte delas importadas de outros países que são pioneiros na aplicação destas ferramentas de ponta“, revela o especialista.

Felipe de Araújo, engenheiro agrônomo, e o representante comercial Layer Filho, representaram as empresas Geoplanta, Allplant e Liberfós na Femagri 2016
Felipe de Araújo, engenheiro agrônomo, e o representante comercial Layer Filho, representaram as empresas Geoplanta, Allplant e Liberfós na Femagri 2016

Tecnologias em segmentos

Começando pelo solo, a nova tecnologia disponibilizada pela Geoplanta é a representação da textura de solo com alta resolução, por meio de um sensor de condutividade elétrica de solo que mostra onde devem ser colocadas as análises de solo naquela lavoura. Esse é um ponto muito discutido, pois uma das premissas da agricultura de precisão é realizar a grade amostral que não deve ser “quadrada“, como em alguns projetos de baixo custo.

O mapa gerado por esse sensoriamento mostra o lugar e a quantidade exata que será usada no projeto de agricultura de precisão comprado pelo produtor.“Na parte de amostragem, o cuidado de fazer de uma maneira não totalmente automática, garantindo a qualidade da amostra de solo, é fundamental. A amostra de solo tem que ter uma profundidade que sigaum padrão. Temos que tirar a cada 20cm uma amostra uniforme daquele lugar, e não podemos colocar um equipamento automático para fazer esse serviço de maneira autônoma se ele não conseguir garantir estabilidade na profundidade de amostragem. Por isso, a Geoplanta tem o cuidado de realizar um trabalho semi-artesanal nessa etapa“, diz Felipe de Araújo.

Outra ferramenta é a imagem aérea. A Geoplanta utiliza um drone de alta resolução com uma câmera profissional para capturar as imagens. O drone tem uma grande autonomia de voo, e cobre uma área muito grande, com qualidade de imagens de 2 a 4cm cada pixel da foto, garantindo a informação exata.

Trabalho

A Geoplanta atua no Brasil todo, sem limites. “Onde quer que esteja a fazenda e o produtorinteressado em melhorar seus processos, conhecer as suas variabilidades com alta resolução, temos ferramentas para isso e vamos até lá. Lembrando que nosso atendimento não se restringe à cafeicultura. Temos como clientes também usinas de cana, grandes indústrias produtoras de laranja, empresas produtoras e cooperativas de café, todos querendo ter informações mais precisas para a tomada de decisões“, detalha Felipe de Araújo.

Uso de sensor de solo para definição de zonas de textura, grade amostral e padrões de solo - Fotos Geoplanta
Uso de sensor de solo para definição de zonas de textura, grade amostral e padrões de solo – Fotos Geoplanta

O evento

A Geoplanta ficou surpresa com a Femagri, especialmente devido à quantidade e qualidade do público. “O evento está muito maior, com muito mais tecnologia, a presença de grandes empresas, o que enaltece a feira e oferece um bom suporte ao cooperado. A Geoplanta está sempre presente nas duas versões deste ano, Guaxupé e Coromandel, buscando caminhos para facilitar o acesso dos cooperados e clientes“, afirma.

A empresa já oferece, inclusive, a facilidade de financiar o serviço de agricultura de precisão, e pela Cooxupé há a opção de pagar o serviço com café. “O contrato tem o tempo de um ciclo da cultura, portanto, é anual. Fazemos todo o levantamento e entregamos o diagnóstico para o produtor.Podemos ajudá-lo por meio da cooperativa, fazendo as recomendações, ou também temos os nossos recursos para dar sugestões e recomendações a ele. Depois ajudamos no processo de aplicação dessa informação no campo, oferecendo suporte para a compra de uma máquina de modo que a adubadeira possa ser adaptada ao GPS, para a aplicação dos mapas. Se esse produtor precisa de ajuda com os mapas, devido aos ajustes de produção da cultura, vamos fazer isso para ele“, diz Felipe de Araújo.

A Geoplanta também treina a equipe do produtor na própria fazenda para que ela esteja apta a aplicar a tecnologia com o mínimo impacto possível na gestão da propriedade, ou seja, é comprometida com o processo produtivo mais eficiente.

Essa matéria você encontra na edição de maio 2016 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

Inicio Revistas Grãos Geoplanta Precisão - Serviços de última geração para lavouras