Grupo Staphyt adquire divisão de serviços da brasileira Promip

0
36
Centro de Inovações, Pesquisa & Desenvolvimento da Promip Serviços/Divulgação

Companhia global do segmento de pesquisa e registro de produtos agrícolas, a francesa Staphyt anunciou hoje a aquisição da divisão de serviços da brasileira Promip. Com o negócio, a Staphyt entra no mercado local de serviços agronômicos de pesquisa & desenvolvimento para terceiros. Já a Promip se concentrará na produção e distribuição de defensivos agrícolas biológicos, insumos demandados no chamado manejo integrado de pragas na agricultura (MIP). O valor da transação não foi divulgado.

De acordo com as empresas, a aquisição transfere à Staphyt o controle do Centro de Inovações, Pesquisa & Desenvolvimento da Promip Serviços, instalado na cidade paulista de Conchal. A área compreende 100 hectares ocupados por lavouras experimentais, diferentes cultivos agrícolas, estufas e laboratórios. Os cerca de 60 colaboradores da unidade – pesquisadores, agrônomos e técnicos – serão incorporados ao quadro profissional da Staphyt.

O diretor de negócios da Staphyt para o Brasil e a América Latina, Luiz Antonio José, ressalta que o mercado de pesquisa & desenvolvimento para terceiros está no DNA da companhia. “A Staphyt constitui a maior e mais bem-sucedida empresa de ensaios de campo e de laboratórios da Europa, com mais de sete mil estudos entregues anualmente nas áreas de proteção, nutrição e melhoramento de plantas”, revela ele. “A aquisição da Promip Serviços permitirá estender essa experiência aos principais estados agrícolas do Brasil.”

Fundador e CEO da Promip, o engenheiro agrônomo Marcelo Poletti assinala que a transação encerra o processo de spin-off da empresa, planejado há cerca de dois anos, visando a ampliar a participação da marca brasileira no mercado de defensivos agrícolas ativados por agentes microbiológicos (vírus, bactérias e fungos) e macrobiológicos (ácaros, insetos e nematoides). “A expectativa imediata é a de expandir a capacidade de biofabricação do portfólio da Promip, além de destinar investimentos à diversificação de tecnologias.”